Patagônia: tudo que você precisa saber sobre a Terra do Fogo

Quando Fernão de Magalhães chegou no extremo sul do continente americano, uma densa névoa encobria a vista dos navegadores, que só conseguiam enxergar pontos de fogo flamejando em tochas. A Terra do Fogo. Hoje conhecida como Patagônia.

Essa região de clima severo teve papel importante na ligação entre o Atlântico e Pacífico durante séculos. Já foi uma região de intensa pecuária, e atualmente é conhecida como um dos principais destinos de ecoturismo e turismo de aventura do mundo.

 

perito-moreno-461092_1280

Perito Moreno e o clima rigoroso do inverno patagônico

 

História da Patagônia

Acredita-se que os primeiros habitantes da Patagônia chegaram lá há 6000 anos. Era o lar de diversas etnias, das quais apenas os Mapuches ainda sobrevivem. A colonização “europeia” da região só se deu a partir de 1536. Depois que Fernão de Magalhães descobriu o caminho para o Pacífico, oceano que ele mesmo batizou, demorou alguns anos até que outros ousassem repetir a façanha. A navegação no extremo Sul do continente é muito difícil. Seja pelos ventos fortes do mar aberto, seja pelos estreitos canais que margeiam o continente. No entanto, foi uma rota muito usada para escoar os tesouros peruanos que iam para a Espanha.

Casas de uma antiga estância abandonada, às margens do Estreito de Magalhães

Casas de uma antiga estância abandonada, às margens do Estreito de Magalhães

Em 1832-33, durante sua viagem de volta ao mundo a bordo do navio Beagle, comandado pelo Capitão Fitzroy, Charles Darwin esteve na Patagônia, percorrendo o litoral e o interior da região. Darwin coletou diversos fósseis de animais extintos que foram muito importantes para o desenvolvimento da Teoria da Evolução das Espécies. Hoje estes nomes estão imortalizados na Patagônia: existe a Cordilheira Darwin na Terra do Fogo, o Monte Fitzroy no Parque Nacional Los Glaciares e o Canal de Beagle também na Terra do Fogo.

Ushuaia, a cidade mais austral do mundo, e a Cordilheira Darwin ao fundo

Ushuaia, a cidade mais austral do mundo, e a Cordilheira Darwin ao fundo

O desenvolvimento econômico da Patagônia foi próspero durante os anos de colonização do território pela Argentina e Chile, entre meados do século XIX até o começo do século XX. Do lado argentino, a criação de ovelhas em grandes estâncias que ocupavam a vasta planície prosperou até que o valor da lã caísse e levasse a bancarrota muitas propriedades. No Chile as principais investidas foram na navegação e mineração, uma vez que o território chileno está ocupado por uma porção da Cordilheira dos Andes e tem o litoral muito entrecortado.

Atualmente, o turismo é a principal fonte de renda na Patagônia, que atrai pessoas do mundo inteiro interessadas nos trekkings, navegações pelos canais estreitos e geleiras de beleza ímpar.

Trekking sobre o Glaciar Viedma, um dos mais imponentes da região, próximo a cidade de El Chaltén, na Argentina

Trekking sobre o Glaciar Viedma, um dos mais imponentes da região, próximo a cidade de El Chaltén, na Argentina

 

Geografia da Patagônia

A Patagônia é uma imensa área de quase 800 mil km2. Seus limites mais ao norte começam, no Chile na região de Puerto Montt, e na Argentina na mesma latitude, na região de Bariloche (Nos Andes) até a Península Valdés, no Atlântico. Com tamanha extensão, ela pode ser dividida em três grandes áreas: Patagônia Atlântica, Andina e Austral.

Patagônia Atlântica

Grande parte do território patagônico é representado pela sua paisagem Atlântica. São planícies infindáveis, que se perdem na vista, com uma vegetação rasteira e aparência desértica.

Os ventos sopram de Oeste à Leste (do Pacífico ao Atlântico), e toda a umidade que carregam fica “presa” nos Andes. Sendo assim, os ventos fortes que sopram na região são secos, o que torna a região praticamente desértica.

Caminhonete abandonada próxima a Ruta 40, na Patagônia Argentina. A região de clima semi-desértico e ventos muito fortes tem uma das menores densidades demográficas do planeta.

Caminhonete abandonada próxima a Ruta 40, na Patagônia Argentina. A região de clima semi-desértico e ventos muito fortes tem uma das menores densidades demográficas do planeta.

 

Na costa do Atlântico, apesar da aridez do clima, a região apresenta uma grande diversidade de vida marinha, sendo um ótimo local para observação de animais como baleias, leões-marinhos e lobos-do-mar.

 

Patagônia Andina

A região patagônica que faz as divisas geográficas entre Chile e Argentina é chamada de Patagônia Andina.

Não é uma região caracterizada por montanhas muito altas. A Cordilheira dos Andes vai perdendo altitude à medida que se dirige ao sul, até que praticamente termine próxima da região onde está El Chaltén e El Calafate, Torres del Paine e o Campo de Gelo Continental.

A Patagônia Andina se distingue muito da Atlântica pelas altas taxas de precipitação pluviométrica, que tornam sua paisagem muito mais verde, com as florestas de clima temperado da região, principalmente no Chile. Os roteiros na região de Puerto Montt, Bariloche e a Região dos Lagos possuem esta paisagem de montanhas verdes, lagos e rios de degelo e picos nevados. A região também é conhecida por alguns vulcões que de tempos em tempos entram em erupção!

patagonia_OL

Patagônia Chilena, próxima a vila de Futaleufú, com montanhas nevadas e florestas verdejantes.

 

Patagônia Austral

A Patagônia termina na famosa Terra do Fogo, o extremo Sul da América. A região austral compreende as províncias de Santa Cruz (Argentina) e Terra del Fuego (Ilha compartilhada entre Chile e Argentina).

Esta é a região mais famosa para os amantes da vida ao ar livre e que sonham em praticar uma atividade de aventura nessa terra remota do globo.

Na porção continental, El Calafate, El Chaltén e o Parque Nacional de Torres del Paine são as grandes atrações. Os picos graníticos são impressionantes e atraem escaladores profissionais em busca de grandes desafios. Nas planícies, imensos blocos de gelo com até 80 metros de altura formam braços do Campo de Gelo Continental, a maior formação de gelo fora dos pólos. São os glaciares, como o Perito Moreno, considerado o mais bonito (e certamente o mais famoso) do mundo.

patagonia_OL-17

Glaciar Perito Moreno, na Argentina, um dos pontos turísticos mais visitados da patagônia

É também nesta região que estão alguns dos melhores hotéis de luxo da Patagônia, como o Tierra Patagônia, o Explora, o Remota e o Las Torres, este último sendo o único que está dentro do Parque Nacional Torres del Paine.

Na porção insular, a grande atração está em Ushuaia e na geografia privilegiada do lugar, que possui montanhas e vales que ficam nevados no inverno, uma época muito propícia para ir até lá, pois permitem a prática de diversas atividades como andar de trenós e motos de neve.

E o mar, a fronteira entre os dois grandes oceanos, uma região de difícil navegação, como o Estreito de Drake, caminho que leva à Antártica. Os canais Patagônicos são muito mais tranquilos para se navegar, e é por eles que passam os cruzeiros turísticos que nos levam até colônias de pinguins e paisagens repletas de geleiras.

patagonia_OL-15

Navios e barcos atracados em Ushuaia, último porto do extremo sul das Américas, caminho para a Antartica.

Características climáticas:

Abaixo, algumas características climáticas da Terra do Fogo, região de Ushuaia, onde as características são mais próximas às encontradas nos pólos da Terra.

Na cidade de Ushuaia as precipitações em forma de chuva, neve, granizo, ou nevasca, têm uma distribuição uniforme ao longo do ano.

Um fenômeno que merece ser destacado é a diferença de luminosidade que existe entre os dias de inverno e os de verão. Como conseqüência de sua posição latitudinal tão extrema,  pode-se desfrutar de um inverno de dias muito curtos e de noites muito longas, alcançando até 17 horas de escuridão, enquanto que no verão a situação se inverte.

 

Temperaturas

Período Diurna Noturna
Outubro / Novembro

Dezembro / Fevereiro

Março / Maio

Junho / Agosto

+  4º / + 11º

+ 8º / + 18º

+ 5º / + 10º

-2º / + 3º

+ 2º / + 7º

+ 6º / +10º

0º / + 6º

-8º / -15º

Dados gerais:

Idioma

O idioma oficial da Patagônia é o Castelhano, com suas particularidades dependendo da região.

 

Câmbio / Moeda

Indicamos que você leve dinheiro em dólares americanos e troque nas casas de câmbio locais. É possível trocar dinheiro nos aeroportos, casas de cambio. Existem diversos caixas eletrônicos que permitem saques. Entretanto, por se tratar de uma região remota a reposição de dinheiro nos caixas pode não acontecer, assim, recomenda-se que não deixe para sacar todo o dinheiro localmente e leve sempre algum dinheiro em espécie para os gastos.

No Chile a moeda são os Pesos Chilenos (CLP). Circula em moedas de $1, $5 , $10, $50, $100 e $500. E notas de $1,000, $2,000, $5,000, $10,000 e $20,000.

Na Argentina: Pesos Argentinos (ARS). Circula em notas: 2, 5, 10, 20, 50, 100 pesos argentinos. E em moedas: 5, 10, 25, 50 centavos, 1 peso, 2 pesos

 

Eleticidade / Internet / Fuso Horário / Telefone

No Chile e Argentina a corrente elétrica é de 220V. A tomada é geralmente de dois pinos redondos, com o que estávamos acostumados aqui no Brasil, mas você pode encontrar as mais diversas variações. Assim, recomendamos levar adaptadores que sirvam em seus carregadores de câmeras fotográficas, celulares e tablets.

Em alguns lugares pode não haver luz elétrica, como nos parques nacionais e seus acampamentos.

Em todas as cidades encontramos lan houses e muitos hotéis e restaurantes que oferecem o serviço de wifi, mas nos lugares mais remotos você poderá passar alguns momentos offline. Vá preparado para isso e desfrute dessa oportunidade!

Ambos os países tem o fuso horário com uma hora a menos que o Brasil, exceto quando estamos com horário de verão, onde o fuso se torna de duas horas a menos.

 

Entenda melhor nossos roteiros:

Pelas grandes dimensões e grande variedade de paisagens, são muitas as possibilidades de turismo na Patagônia.

São opções para observação da natureza, sem grandes desafios físicos. Ou com aventura, que incluem caminhadas de longo curso. Atividades na neve para toda família, tanto em Ushuaia quanto em El Calafate. E navegações, perfeitas para quem gosta de desbravar novos lugares e estar em contato com uma paisagem intocada.

Geralmente os roteiros passam por Buenos Aires. Nossa sugestão é, inclusive, passar alguns dias na capital da Argentina para desfrutar um pouco da cultura e culinária local.

Outra opção é conhecer Santiago do Chile. No entanto, será quase inevitável ir até a Argentina, o que costuma deixar as passagens um pouco mais caras. A vantagem desta rota é poder conhecer o Deserto de Atacama, com incríveis opções de atividades de aventura. Ou ainda a Ilha de Páscoa, um destino surpreendente.

A primeira escolha que você deve fazer é a época do ano em que irá viajar. No verão, os dias são longos e você pode aproveitar mais o tempo, no inverno os dias são curtos, algumas atividades não podem ser praticadas, mas é a época ideal para praticar atividades na neve.

Sua segunda escolha deve ser qual tipo de atividade quer praticar. Trekking, caminhada sobre os glaciares, navegação, avistagem de animais. São muitas opções possíveis.

Agora é só preparar as mochilas, escolher o equipamento certo, carregar as baterias das câmeras e partir!

E se tiver alguma dúvida entre em contato conosco!

Pisa Trekking. Sua próxima aventura começa aqui!

lighthouse-530049

Farol de Ushuaia, a Terra do Fogo