Pisa Trekking Aventura Levada a Sério

(11) 5052-4085 • (19) 3253-0274

Receba nossos Informativos

Reserve Agora

Voltar

França - Trekking Tour du Mont Blanc 360º com Agnaldo Gomes

Cód.Roteiro:1245

Convidar Amigo Imprimir

EXPERIÊNCIAS:

  • Trekking

    Trekking

  • |
  • Grandes Expedições

    Grandes Expedições

  • |
  • Viagens em Grupo

    Viagens em Grupo

  • |
15 DIAS E 14 NOITES

Nível de dificuldade:

- Radical -
Valor a partir de:

€ 3.500,00

Terrestre

Gostou do Roteiro?
Solicite a sua Pré-reserva!

Solicitar

O Tour du Mont Blanc, também conhecido como TMB, 360º é a mais clássica das caminhadas dos Alpes. Uma oportunidade rara de realizar a volta completa no maciço da principal e mais famosa montanha da Europa Ocidental. 
Passando por três países (França, Itália e Suíça) o Tour du Mont Blanc oferece paisagens fantásticas, vales, campos, montanhas nevadas, agulhas de rocha que parecem tocar o céu. A cada dia vamos nos deslumbrar com uma das paisagens mais bonitas do mundo. Além disso, vamos conhecer as pequenas vilas e cidades do interior com suas construções únicas e antigas e vivenciar o espirito de montanha que toda a região respira, com anos de história por onde já passaram os maiores escaladores do montanhismo.  Um trekking sem dificuldades técnicas, mas com certeza, desafiador por sua grande duração e pelo desnível acumulado durante o percurso. 

Pontos de Interesse

- Roteiro completo 360° do clássico Tour do Mont Blanc, chegando e terminado em Chamonix. 

- Um dia livre em Chamonix para aproveitar os deliciosos restaurantes, pubs e a energia única desta charmosa cidade encravada nos Alpes.

- Trekking com pernoites em lodges de montanha e hotéis de 2 ou 3 estrelas, alimentação completa e contato com pessoas do mundo inteiro;

- Transporte de bagagem quase todos os dias, onde você poderá caminhar mais leve.

- Um dia livre em Courmayer, uma simpática vila italiana, para um merecido descanso no meio do trekking;

- Saborear gastronomias únicas e deliciosas de três países diferentes: França, Itália e Suiça.

- Ter um guia brasileiro especialista em grandes expedições para acompanhar o grupo durante toda a viagem;

 

Saída Garantida em 08 de Setembro de 2017.

Sobre a Trilha

Apesar de não caminharmos em altitude o Tour du Mont Blanc oferece grandes desníveis a serem vencidos, praticamente vamos subir e descer cerca de 800 metros diariamente e em alguns dias podendo chegar a 1000 metros. Mas como é um trekking que não apresenta dificuldades técnicas e não é necessário carregar mochila pesada ele pode ser feito por qualquer pessoa não sedentária, indicado para iniciantes que gostariam de conhecer o que é um trekking de longa duração e até para caminhantes experientes que desejam desfrutar de belas paisagens.

Dia a Dia

08/09 - 1° DIA - CHEGADA A CHAMONIX

Chegada em Chamonix (traslado não incluso), localizada nos Alpes franceses, a cidade oferece uma verdadeira experiência de montanha com caminhadas impressionantes, cultura antiga e, claro, paisagens inesquecíveis. Elevando-se acima de Chamonix o Mont-Blanc alcança 4810m. Uma vista impressionante!
 
Pernoite em Chamonix
Sem refeições


09/09 - 2° DIA - DIA LIVRE EM CHAMONIX

Pela manhã o guia da expedição fará uma verificação nos equipamentos do grupo e uma reunião para falar sobre os dias de trekking. Teremos a tarde livre para compra de equipamentos, se necessário. Recomendamos também o passeio de teleférico até a Agulha de Midi (opcional), conjunto impressionantes de torres de rocha e um lugar espetacular para visualizar o Mont Blanc. 

Pernoite em hotel 3*
Café da manhã

 



10/09 - 3° DIA - INICIO DO TREKKING: CHAMONIX - LES HOUCHES

Neste dia começaremos nosso trekking em direção a Les Houches, uma simpática vila francesa com alguns restaurantes e pequenas lojas. Les Rouches oferece vistas impressionantes do maciço do Mont Blanc. Durante o dia acompanharemos o vale de Chamonix com encostas arborizadas e já poderemos sentir a exuberância dos dias que estão por vir. 

Distância: 19km / Tempo estimado: 5h

Pernoite em hotel 2*
Café da manhã e jantar


11/09 - 4° DIA - LES HOUCHES - LES CONTAMINES

Nosso ponto culminante neste dia será o Col de Voza à 1653 metros de altitude, pouco antes de chegar ao Col de la Voza, uma fileira de agulhas que guarda o Mont Blanc e se oferecem para uma bela vista. O Dôme du Goûter e Aiguilles de Bionnassay dominam as vistas sobre o lado sul do Col, com a impressionante geleira Bionnassay se derramando entre eles, enquanto que a partir da vila de Le Champel todo o Val Montjoie é visto à frente com um pouco do Col du Bonhomme na sua extremidade sul.
 
Distância: 19km / Tempo estimado: 5h30
 
Pernoite em hotel 2*
Café da manhã e jantar

 



12/09 - 5° DIA - LES CONTAMINES - CHAPIEUX

Ao pé do Mont Blanc, descobriremos uma vila bastante diferente de qualquer outra: tradição e autenticidade. Por tradição queremos dizer verdadeiros valores alpinos, o respeito da arquitetura local e o ambiente circundante. Por autêntico queremos dizer construções tradicionais feitos de madeira, pedra e ardósia. Neste trecho, o TMB (Tour du Mont Blanc) vai direto para o topo de Val Montjoie e cruza para o Vale das Geleiras pelo Col du Bonhomme, ponto culminante do dia com 2.483m. Podemos ter um pouco de neve entre os dois cols. No final deste dia chegaremos a Les Chapieux, onde encontraremos uma atmosfera relaxante em uma pequena cidade no Vallée des Glaciers.

Distância: 18km / Tempo estimado: 7h30

Pernoite em Gife
Café da manhã e jantar



13/09 - 6° DIA - CHAPIEUX - REFUGIO ELISABETA

Hoje entraremos na Itália em direção ao tradicional Refugio Elisabetta. Nesta fase, o TMB atravessa a França e entra na Itália pelo Col de la Seigne (2516 m), um dos cols mais fáceis do circuito, mas que também está entre os mais bonitos dada a visibilidade com a vista do Mont Blanc e da Aiguille Noire do Col de la Seigne e é deslumbrante. Vamos ter a oportunidade de dormir em um típico refúgio de montanha alpino e trocar experiências com outros viajantes. 
 
Distância: 15km / Tempo estimado: 5h

Pernoite Refúgio de Montanha Elisabetta
Café da manhã e jantar


14/09 - 7° DIA - REFUGIO ELISABETA - COURMAYER

Continuamos nossa trilha pela Itália. A beleza do lado italiano do Mont Blanc é deslumbrante durante todo o ano. Situado no sopé do lado italiano do Mont Blanc, Courmayeur, Val Veny e Val Ferret são no verão muito populares com alpinistas, caminhantes e ciclistas . Natureza, flora e fauna estão intactos. Como no Val d'Aosta, a criação de vacas está muito presente e em muitos trechos rebanhos de gado e ovelhas também caminham nas pastagens de verão. O som dos sinos acompanhará a nossa estadia nestes exuberantes vales. 

Distância: 17km / Tempo estimado: 6h

Pernoite em hotel 3*
Café da manhã



15/09 - 8° DIA - DIA LIVRE EM COURMAYER

Vamos aproveitar esta simpática vila Italiana para um merecido descanso, aproveitar os restaurantes para repor as energias e lavar roupa! 

Pernoite em hotel 3*
Café da manhã


16/09 - 9° DIA - COURMAYER - LAVACHEY

Este trecho promete ser um dos destaques do Tour de Mont-Blanc. A grandeza da visão das montanhas é combinado com o longo flanco de Mont de la Saxe onde um caminho fácil e ondulante pode ser trilhado com os olhos sempre voltados para a grande parede de pedra e gelo através do Val Ferret. Você também poderá ver os impressionantes e magníficos Grandes Jorasses em seu caminho. 

Distância: 12km / Tempo estimado: 5h30

Pernoite em Gife
Café da manhã e jantar


17/09 - 10° DIA - LAVACHEY - LA FOULY

A travessia do Grand col Ferret (2.537 m) leva o TMB para a fronteira entre Itália e Suíça e ao longo da borda oriental da cordilheira do Mont Blanc. Entre os destaques desta etapa será, sem dúvida, a vista do col Ferret olhando para trás, uma visão em parte enquadrada por monstruosos contrafortes de rocha. No suíço Val Ferret, o caminho para La Fouly tem outras características para desfrutar: campos de flores e chalés com janelas cheias com gerânios e petúnias; riachos leitosos e aldeias que parecem estar intocadas por séculos passados.
 
Distância: 20km / Tempo estimado: 7h30

Pernoite em Gife
Café da manhã e jantar


18/09 - 11° DIA - LA FOULY - CHAMPEX

A pequena aldeia de La Fouly, situada no Val Ferret, no canto suíço de Valais, fica ao pé do Mont Dolent (3.823m) e da Tour Noir (3.836m) no maciço do Mont Blanc.
Este é o estágio mais fácil do TMB, e com uma quantidade modesta de ganho e perda de desnível o dia pode ser tomado em um ritmo vagaroso. Aqui experimentamos a natureza pastoral de um vale montanhoso suíço onde o modo de vida das comunidades agrícolas locais parece à primeira vista ter sido mal tocado pela tecnologia moderna. 

Distância: 15km / Tempo estimado: 4h30

Pernoite em hotel 3*
Café da manhã e jantar


19/09 - 12° DIA - CHAMPEX - TRIENT

Uma cidade idílica no alto das montanhas suíças, Champex é um local ideal para escapar das pressões do mundo moderno.  Curva-se, mergulha e sobe em contornos montanhosos dentro e fora de recortes na encosta. Existem campos coberto de floresta e pastos alpinos elevados. Hoje alcançaremos o ponto mais alto de toda travessia, o Fenêtre d’Arpette (2.665m), um verdadeiro passo de montanha e um ótimo lugar para desfrutar a visão súbita e extraordinária da geleira Trient superior revelada emergindo através do lado ocidental. 

Distância: 16km / Tempo estimado: 5h

Pernoite em gife
Café da manhã e jantar


20/09 - 13° DIA - TIRENT - ARGENTIÈRE

Hoje, retornaremos para a França, perto de completar nosso circuito. O Col de la Forclaz marca a extensão norte do TMB, o ponto mais afastado do cume do Mont Blanc, mas este trecho leva a rota sobre a última barreira de montanha e nos devolve ao Vale de l'Arve, que flui ao pé de do Mont Blanc.  O Col de Balme, que atravessa a fronteira franco-suíça, oferece à primeira vista e a linda cúpula de neve permanece à vista durante a maior parte da descida até Tré-le-Champ. Isto é feito ao longo da crista da Aiguillette des Posettes, um caminho elevado com um panorama magnifico.
 
Distância: 15km / Tempo estimado: 6h

Pernoite em hotel 3*
Café da manhã e jantar

 



21/09 - 14° DIA - ARGENTIÈRE - CHAMONIX

Pitoresca vila alpina e aldeia de montanhismo, Argentière está localizado perto do começo do vale de Chamonix à cerca de 7 km da cidade. A geleira de Argentière situa-se a sudeste da vila e é ligada ao seu lado nordeste pela Aiguille du Chardonnet, Aiguille d'Argentière e Tour Noir, e ao sul-oeste pela Aiguille Verte, Les Droites e Les Courtes. A etapa final do Tour de Mont Blanc é tão variada como qualquer uma nesta caminhada. Ela adota o aclamado Grand Balcon Sud, um dos mais belos caminhos alpinos, que corre ao longo das encostas de meia altura no lado norte do Vallée de l'Arve para fornecer um panorama quase ininterrupto do Mont Blanc.
 
Distância: 20km / Tempo estimado: 5h

Pernoite em hotel 3*
Café da manhã e jantar

 



22/09 - 15° DIA - VOO DE RETORNO AO BRASIL

Embarque no voo internacional com destino ao pais de origem. (traslado não incluso)

Sem pernoite
Café da manhã



Datas e Preços

Calendário

Datas

Status

A Partir de

 

08/09/2017
Independência

Lotado

€ 3.500,00
Terrestre

Faça sua pré-reserva

PREÇO POR PESSOA - TARIFA EM EURO - SOMENTE TERRESTRE

SAÍDA

HOSPEDAGEM

DBL

08 de setembro de 2017

Hotéis 3* e 2*, Gites e Refúgio de montanha

3.500

Valor válido para grupo mínimo de 4 pessoas.
 
Single Supplement Involuntário:
Conforme os clientes forem se inscrevendo na viagem serão feitos pares para a divisão de quartos. Caso, ao final do período de inscrição alguém fique sem par, esta pessoa terá de pagar um single suplement de € 450. 
 
Single Supplement Voluntário:
Caso a pessoa escolha ficar em quarto individual pagará o dobro do Single Suplement Involuntário, ou seja, € 900 já que por sua escolha outra pessoa do grupo também ficará em um quarto individual.

TRECHO AÉREO SÃO PAULO / GENEBRA / SÃO PAULO - VALORES EM US$ **

CIA. AÉREA

VALOR A PARTIR DE

TAP / AIRFRANCE

Sob Consulta

- Todos os roteiros estão sujeitos a confirmação quanto à disponibilidade de vagas de todos os serviços locais.
- A programação acima poderá sofrer modificações devido a fatores climáticos, de acesso ou que possam interferir na segurança dos participantes.
 
Formas de pagamento:
 
Cheque
5 x sem juros em cheques pré datados.
6 x sem juros até 30 dias antes do embarque
(30% na 1a. parcela e o restante em parcelas de igual valor)
 
* Aceitamos somente cheque do próprio viajante.
 
Cartão
Visa, American Express e Mastercard - Entrada + 3 x sem juros.
(Entrada de 30% em cheque ou depósito e o restante em até 3 x iguais no cartão).
 
Cancelamentos
Em caso de cancelamento por parte do passageiro, serão abatidos os valores referentes à taxa administrativa e a multa de cancelamento da companhia aérea, e sobre o valor restante pago incidirão as seguintes taxas de cancelamento que serão rigorosamente cobradas:
 
Parte terrestre
Cancelamento até 30 dias do início da viagem: multa de 10% do valor total
Cancelamento entre 29 e 21 dias do início da viagem: multa de 20% do valor total
Cancelamentos com 20 ou menos dias do inicio da viagem: percentuais superiores aos acima referidos, desde que correspondentes a gastos efetivamente comprovados pela agência perante a EMBRATUR, efetuados em decorrência da desistência do usuário.
 
Parte aérea: Taxa ou multa de cancelamento cobrada pelas Companhias Aéreas para os bilhetes em questão.
 
Reservas: Mediante o sinal de US$ 200 por pessoa, para solicitação da reserva completa (trechos aéreos, hospedagem, passeios e demais serviços). O sinal recebido para reserva será descontado do valor total do roteiro reservado no ato do pagamento do restante do valor total do pacote. Esse valor será integralmente reembolsado ao passageiro, no caso de não confirmação da Pisa do roteiro solicitado. O valor não será reembolsado ao passageiro, em caso de desistência e ou cancelamento por parte do passageiro, do roteiro reservado, após a confirmação da reserva total por parte da Pisa. Valor esse, retido a título de perdas e danos para pagamento de multas de cancelamento de reserva junto a terceiros.

O que está Incluso

Inclui:
 
- Acomodação em hotéis 3* e 2* (quartos duplos) ; Gites (quartos duplos ou pequenos quartos compartilhados) e uma noite em Refúgio de montanha (quarto coletivo)
- Café da manhã e jantar no dias de trekking (exceto os dias em Courmayer (sétimo e oitavo dia, somente café da manhã))
- Café da manhã e jantar nos demais dias
- Acompanhamento do guia Agnaldo Gomes a partir de Chamonix;
- Transporte de bagagem entre os pontos de partida e pernoite (exceto sexto e sétimo dia)
- Brinda Pisa Trekking
 
Não inclui:
 
- Voos internacionais;
- Traslados: Genebra / Chamonix / Genebra (serviço adicional a partir de € 60) 
- Seguro viagem internacional - Plano GTA All Sport - US$ 150
- Alimentação onde não citado
- Bebidas engarrafadas durante o trekking;
- Taxas de embarque;
- Vistos ou gorjetas;
- Qualquer item não citado acima.

O que levar

PÉS
 
BOTAS DE CAMINHADA
Devem ser específicas para trekking e cobrir o tornozelo. Compradas com antecedência e "amaciadas". Comprar no Brasil. Se você já tem a sua e se ela já tem mais de cinco anos, mesmo em bom estado, substitua por uma nova. Tanto a cola como os materiais ressecam com o passar do tempo e existe o risco de descolamento da sola.
 
MEIAS DE TREKKING
O ideal são meias de trekking de lã ou outro material térmico. Essas meias devem ser específicas para trekking, compradas em casas especializadas. Você vai notar que as meias de trekking são bastante caras, mas pense que estará andando por muitos dias. É importante ter os pés secos, confortáveis e quentes.
 
LINERS
Para quem tem extremidades frias é recomendado levar também meias finas ou liners de material térmico tipo capilene ou polipropileno.
 
PAPETE OU CROCS
Um par de sandálias ou chinelos. O ideal são "papetes" ou Crocs, pois podem ser usadas com meias, para descansar os pés após chegarmos ao lodge ou no acampamento.
 
TÊNIS
Um par de tênis para os passeios nas cidades.
 
PERNAS 
 
SEGUNDA PELE
Calças térmicas (segunda pele) tipo capilene ou polipropileno. 
 
CALÇA TREKKING 
Estes novos matérias de calças de trekking são mais justos já que de material stretching e resistentes a água secandocom muita facilidade e sujando menos.
 
CALÇA DE FLEECE(#)
Calça de fleece fino para usar a noite nos lodges ou barracas refeitórios ou então como uma camada extra nos dias mais frios. 
 
SHORTS
Um short ou bermuda. Pode ser também uma calça com zíper na perna.
 
SOBRE CALÇA
Uma sobre calça de material impermeável e respirável (como Gore Tex) com zíper lateral integral de modo a poder colocá-la e retirá-la sem precisar tirar a bota.
 
TRONCO
 
CAMISETAS DRY FIT
 
Camisetas de manga curta e camisetas de manga longa (além da roupa de baixo), de preferência de material tipo dry fit.
 
FLEECE FINO
 
 
FLEECE GROSSO
 
ANORAK
Um anorak com gorro, de preferência de material respirável como Gore Tex. Este anorak deverá ser bastante fino e ocupar pouco espaço, já que estará dentro de sua mochila todos os dias. Evitar anoraks forrados de fleece. Existem vários modelos, mas o importante é buscar um com capuz ajustável, zíper em baixo dos braços para melhor ventilação.
 
CABEÇA
 
GORRO
Gorro de fleece grosso cobrindo as orelhas. Recomendamos algo como o modelo Micro Dome da Mountain
 
BONÉ 
Pode ser com ou sem proteção para o pescoço tipo legionário.
 
CACHECOL OU BUFF
Cachecol de fleece, lã ou um Buff, produto espanhol extremamente versátil. 
 
MÃOS
 
LUVA FINA
Um par de luvas finas de material térmico. 
 
LUVA GROSSA(#)
Um par de luvas grossas. A luva grossa deve ser grande o suficiente para ser usada com a fina por baixo sem comprimir as pontas dos dedos. 
 
Equipamentos De Trekking
 
ÓCULOS
Óculos escuros com filtro UV. Para expedições de escalada é necessário ter proteção lateral. Para trekkings não.
 
LINER DE SLEEPING BAG
Nesta viagem em todas as acomodações existem cobertores para noite. No entanto se preferir algo mais para se proteger recomendamos um linear de sleeping Bag, uma peça feita de seda ou algodão no formato de um saco de dormir.
 
MOCHILA – DAY PACK
Uma mochila média de capacidade entre 35 a 50 litros com alças bem confortáveis e acolchoadas com capa impermeável. 
 
HEAD LAMP
Lanterna com pilhas reservas. Embora as head lamps (lanternas que são usadas presas na cabeça) não sejam obrigatórias, elas são muito mais práticas, já que deixam as mãos livres. 
 
BASTÕES DE CAMINHADA
Bastões de caminhada de altura regulável. 
 
MISCÊLANIA
 
SACOS ESTANQUE
É muito importante levar sacos estanque ou sacos plásticos para acomodar todas as suas roupas, sleeping bag, equipamentos eletrônicos, etc. 
Se for levar sacos plásticos, opte por sacos mais grossos e resistentes.
Leve uma quantidade suficiente para tudo possa ser ensacado, tanto as coisas que irão na mochila com você quanto as coisas que irão no duffle bag. É interessante ter sacos de vários tamanhos.
NÃO PODEMOS GARANTIR QUE, NUM DIA DE CHUVA, O MATERIAL QUE ESTIVER NO
DUFFLE BAG NÃO IRÁ MOLHAR.
 
DESPERTADOR
Traga um despertador. Os celulares não funcionam muito bem, já que em algumas viagens não conseguimos recarregar a bateria.
 
CANTIL
Cantil de 1 litro. Os cantis de plástico duro são os mais recomendados, principalmente os de boca larga. Reservatórios de água para mochila tipo “Camel Back” também são interessantes.
FILTRO SOLAR E LABIAL
Filtro solar com proteção mínima fator 15 e protetor labial com filtro solar.
 
TOALHA
Toalha. Recomendamos comprar uma wet towel, toalha de material sintético que deve ser guardada molhada e com isso não fica com mau cheiro.
 
DUFFLE BAG
Saco de cordura ou nylon grosso para levarmos seu equipamento durante o trekking. Trazer um dufle bag grande com 120 litros ou mais.
 
CADEADO
Comprar de tamanho médio para o duffle bag. Sugerimos os de números ao invés de chave, pois são mais práticos.
 
MÁQUINA FOTOGRÁFICA
Máquina fotográfica, de preferência máquinas leves com bateria com grande duração ou levar baterias extras.
 
SNACKS
Recomendamos levar dois snacks por dia de expedição, para comer entre as refeições. Por um snack entende-se a quantidade de calorias equivalente a uma barra de cereais. Pode ser chocolate, frutas secas, nozes, barra de cereais, castanhas, bolachas etc.
 
PAPEL HIGIÊNICO
Recomendamos dois rolos.
 
LENÇOS DE PAPEL
Lenços de papel em grande quantidade (nas montanhas, devido ao ar frio e seco, a coriza é constante).
 
ARTIGOS DE TOILETE
Levar artigos essenciais como sabonete, escova e pasta de dentes, desodorante, aparelho de barbear, hidratante e lenços humidecidos.
 
LIVROS
Opcionais. Uma boa idéia é levar um Kindle que é mais leve e tem bateria longa.
 
COLETE
Opcional mas uma boa peça de vestuário de montanha para quando você prefere o torax protegido e os braços descobertos.
 
REMÉDIOS
 
Medicamentos de uso pessoal. Trazer do Brasil. Recomendamos a seguinte lista:
Diamox para tratamento de Mal de Altitude;
Azitromicina para tratamento de infecções bacterianas das vias respiratórias e de diarréia bacteriana;
Analgésicos como Novalgina ou Paracetamol;
Descongestionante nasal como Naldecon diurno e noturno;
Rehidratante oral em pó;
Antiinflamatório;
Imodium, para diarréia;
Fibra como Metamucil caso você tenha tendência para obstipação.

Informações Importantes

VOOS, VACINAS E VISTOS
 
- Voo: O melhor meio de se chegar em Chamonix é através da Cia Air France. São Paulo - Paris e Paris - Genebra. A partir de Genebra o transporte é feito por terra até Chamonix.
 
- Visto: Brasileiros não necessitam de visto prévio para entrar na comunidade européia

- Seguro: Para esta viagem é obrigatório o seguro viagem para esportes de aventura
 
- Vacinas: Para passageiros viajando com passaporte brasileiro é obrigatório ter a vacina de Febre Amarela. Recomendamos também as vacinas de Hepatite A e Febre Tifóide.  Recomendamos conversar com o seu médico sobre vacinação e fazer uma consulta a um dos serviços de Medicina dos Viajantes. Esses serviços estão disponíveis no Laboratório Fleury (+55 11 5014 7704) ou no Hospital Emílio Ribas, de segunda a sexta-feira, das 12 às 17 horas (+55 11 3896 1200). 
 

Perguntas e respostas mais frequentes
 
1 - Como é o clima desta viagem ?
Vamos estar no verão europeu e as temperaturas durante o trekking costumam variar entre 15 e 25 C graus durante o dia e 15 a 5 C graus durante a noite. 
 
2 - Como é nossa acomodação ?
A maior parte do tempo vamos estar hospedados em hotéis 3* e 2** , mas também teremos uma noite em um típico refúgio de montanha e outras 4 noites em gites. Os gites são pequenos hotéis com quartos duplos ou pequenos quartos coletivos com banheiro compartilhado.
 
3 - que roupas e equipamentos devo usar?
Uma lista detalhada dos equipamentos está no site da Morgado Expedições, além disto Chamonix dispõe de ótimas lojas de equipamentos e roupas de montanha, podendo ser adquirido itens faltantes ou até mesmo todos os itens.
 
4 - Como este trekking é classificado em grau de dificuldade ?
Apesar de não caminharmos em altitude o tour du Mont Blanc oferece grandes desníveis a serem vencidos, praticamente vamos subir e descer cerca de 800 metros diariamente e em alguns dias podendo chegar a 1000 metros. Mas como é um trekking que não apresenta dificuldades técnicas e não é necessário carregar mochila pesada ele pode ser feito por qualquer pessoa não sedentária , indicado para iniciantes que gostariam de conhecer o que é um trekking de longa duração e até para caminhantes experientes que desejam desfrutar de belas paisagens.
 
5 - Quanto dinheiro devo levar ?
Na cidade de Chamonix você vai ter a oportunidade de se deliciar com a ótima culinária francesa em excelentes restaurantes. Uma refeição custa em média 25 euros. Durante o trekking teremos que comprar nosso lanche de trilha e bebidas com um custo médio de 15/20 euros. Recomendamos algo como 800 euros. Dólares podem ser trocados em Chamonix e nas cidades e vilas é possível pagar com cartão de crédito.
 
6 - Porque exigimos que você tenha um seguro para participar desta viagem?
É tranqüilizante saber que, se algo acontecer, você pode ter tratamento gratuito nos melhores hospitais. Também sua bagagem está segurada no caso de extravio durante os vôos. Toda ocorrência deve ser comunicada o mais rapidamente possível à companhia de seguros. Leia com muita atenção seus direitos e deveres perante a seguradora para não haver problemas futuros.
Resgate por helicóptero durante o trekking é possível, porém bastante caro se não for coberto pelo seguro.
 
7 - Este trekking é muito desconfortável?
Não. Apesar de caminharmos durante, em média, cinco horas por dia, não temos o agravante da altitude e não carregamos muito peso em nossas mochilas, apenas o necessário para o dia, sendo o restante levado por estradas até nosso próximo destino (menos no sexto e sétimo dia).
 
8 - Como faço para tirar o visto e quanto custa?
Brasileiros não necessitam de visto prévio para entrar na comunidade européia. O visto é concedido no aeroporto no momento de sua chegada, sem custos.
 
9 - Existe algum limite de idade?
Não. Mas, deve-se levar em consideração de que é um trekking de dificuldade média e com dias longos que podem não ser divertidos para crianças. No outro lado do espectro, recomenda-se àqueles com mais de 50 anos que façam um bom check up antes da viagem.
 
10 - E se eu tiver alguma doença crônica como Hipertensão ou Diabetes?
De um modo geral doenças crônicas controladas não são impedimento para fazer o trekking, mas recomendamos fortemente que a pessoa consulte seu médico e que discuta com ele sobre se este trekking é uma atividade adequada para ela. Estamos à disposição para dar ao seu médico todas as informações que ele necessite sobre o trekking para ele tomar sua decisão. Entre em contato conosco.
 
11 - Posso fazer ligações telefônicas internacionais ou ter acesso a internet durante o trekking?
Sim, a maioria dos hotéis disponibilizam wifi, porém durante o dia não teremos acesso a internet.
 
12 - Posso carregar meus eletrônicos durante o trekking ?
Sim, a noite todos os lugares de hospedagem possuem energia elétrica

 

Guias da Trilha

  • Agnaldo Gomes

    Agnaldo Gomes é formado em Geografia pela PUC - São Paulo. É guia de montanha há 15 anos e pratica esportes outdoor há 25. A paixão pelas montanhas nasceu nas aulas de Geografia, quando cursava o ensino médio e desde então o amor pelas montanhas e a necessidade de estar ao ar livre somente aumentou. Tem em seu currículo expedições em alta montanha, travessias de bicicleta e caiaque oceânico. Em 1990 fez sua primeira expedição em altitude, no Aconcágua, na Argentina. Realizou cursos de escalda em rocha, gelo e primeiro socorros. Participou e liderou expedições nas montanhas mais altas de vários países, entre elas o Aconcágua na Argentina,Huascaran e o Pisco no Peru, Cotopaxi, Illiniza e Chimborazo, no Equador, Huyana Potosi, Pequeno Alpamayo, Illimani e Sajama, na Bolívia, Elbrus, na Rússia,Kilimanjaro, na Tanzânia e o Island Peak, no Nepal. Em setembro de 2013 participou de uma expedição ao Cho Oyu, a sexta mais alta montanha do planeta, com 8201 metros, localizado na fronteira do Nepal com o Tibete. Alcançou o cume no dia primeiro de outubro e se tornou um dos poucos alpinistas brasileiros a ter escalado uma montanha com mais de 8000 metros.

VOCÊ TAMBÉM VAI CURTIR