Grandes expedições: os maiores desafios de trekking ao redor do mundo

Para conhecer algumas das paisagens mais incríveis da Terra é preciso enfrentar grandes desafios. São lugares que para chegar não basta querer. É preciso estar preparado. Frio, mochila pesada nas costas, longas horas e dias seguidos de caminhada enfrentando longas distâncias. Estas grandes expedições desafiam corpo, alma e mente, e nos forçam a superar nossos limites. Muito além do destino em si, essas experiências nos transformam, para melhor.

Para quem quer viver uma emoção superlativa em 2018, preparamos uma lista das grandes expedições ao redor do mundo. Confira, e esteja preparado para uma viagem revolucionária!

 

Monte Roraima

O Monte Roraima fica na divisa entre a Venezuela, Brasil e  Guiana. É um dos locais mais antigos e intocados da Terra, tendo apenas um único ponto de acesso ao seu topo, que está a mais de 2.800m de altitude.

As expedições para conquistar esta montanha saem da cidade de Santa Elena de Uairén, na Venezuela, e a partir de lá adentram em veículos 4×4 até a comunidade indígena de Paraitepui. A partir daí começa a caminhada, que entre ida e volta terá no mínimo 90km.

Um dos grupos da Pisa Trekking, descansando no primeiro acampamento, após um dia inteiro de caminhada.

 

No primeiro dia de trilha, em plena Gran Sabana, são 16km de caminhada que nos leva até o Rio Kukenan. Lá montaremos o primeiro acampamento. No dia seguinte, uma árdua trilha de 7km nos aguarda. A distância caminhada parece pouca, mas o terreno fica mais acidentado à medida que nos aproximamos da montanha, e é preciso enfrentar subidas intensas. Mas tudo vale a pena: no terceiro dia de trekking, chegamos ao topo do Monte Roraima, em uma subida intensa de quase 1.000m de desnível. A recompensa pelos esforços é realmente gratificante. De lá, parece que conquistamos o topo do mundo.

Existem três possibilidades de roteiros para o Monte Roraima, e o que varia é o número de noites que passamos em cima da montanha. O roteiro mais curto é o Circuito Três Nações, com duas noites no topo. O Circuito Místico Catedral tem três noites no topo da montanha, e visita mais atrativos: a Pedra Maverick, o Vale dos Cristais, El Fosso, Ponto Triplo, Salto Catedral e o Paredão La Ventana.

A Gran Sabana venezuelana vista de cima do Monte Roraima.

O roteiro de trekking mais completo no Monte Roraima é o Circuito Mágico Makunaima, com 9 dias de trilha e 5 noites acampando no topo da montanha. É o único roteiro que acampa no lado brasileiro. Para isso, é preciso atravessar todo o tepuy, passar por regiões de difícil acesso como El Labirinto, e carregar todo o equipamento até lá. Se você gosta de um grande desafio, essa é a melhor opção!

Só quem já esteve no topo do Monte Roraima sabe a sensação. Quer se juntar ao seleto time? Clique nos links do texto e conheça os roteiros!

 

Curso de Escalada em Gelo e Huayna Potosi (6.088 m)

Os cumes das montanhas geladas sempre exerceram um enorme fascínio sobre o homem. Para quem tem o sonho de escalar uma montanha nevada, a Bolívia é o destino certo. Com algumas montanhas entre 5 e 6 mil metros de altitude, nosso país vizinho é um prato cheio para aventureiros.

O montanhismo requer não só treinamento, mas também muito estudo. É assim que aumentamos o conhecimento técnico dos equipamentos, além de ampliar a previsibilidade da montanha. Estes dois fatores garantem o ótimo planejamento e execução das escaladas com o máximo de segurança.

Grupo no cume do Condoriri, no batismo do curso de escalada em gelo feito na Bolívia.

 

Um ótimo curso de escalada em gelo é oferecido nos meses de Junho e Julho. Feito no Condoriri, uma famosa montanha na Bolívia. Este curso é indicado tanto para montanhistas iniciantes quanto para montanhistas já experientes. São abordados assuntos como aclimatação, controle de temperatura corporal, comportamento fisiológico em altitude, técnicas de deslocamento em gelo, formação de glaciares, sistema de ancoragem, sistema de polias, resgate em gretas, recuperação de quedas, entre outros.
Para quem já tem experiência, a sugestão é fazer a expedição para escalada no Huayna Potosi. Uma montanha lendária, que impressiona por sua beleza e imponência. Desde La Paz podemos ver o gigante de pedra e gelo que nos convida à uma aventura. O clima da Bolívia é bastante estável, favorecendo as chances de cume.

Escalada do Huayna Potosi, na Bolívia

 
Para quem é iniciante, a melhor opção é fazer o curso de escalada em gelo seguido da escalada no Huayna Potosi, aproveitando uma única viagem para ter estas duas experiências incríveis.
Tour du Mont Blanc

O Tour do Mont Blanc, também conhecido como TMB, é um dos trekkings mais conhecidos no mundo, e deve estar na lista de todos os amantes de montanha e caminhada. Além de sua base ser a charmosa Chamonix, esta travessia passa por 3 países de grande tradição no montanhismo: França, Itália e Suíça.

A Pisa Trekking oferece dois roteiros diferentes para quem quer fazer o TMB, ambos com saídas no mês de setembro, a melhor época para andar pela região.

Trilha durante o Tour du Mont Blanc, rodeado de montanhas nevadas.

O roteiro mais curto tem 10 dias de duração, e é guiado pelo experiente guia franco-brasileiro Jean-Claude Razel. Nascido na região de Chamonix, ele conhece profundamente a cultura e história da região.

Este trekking acontece em terreno alpino sem dificuldades técnicas, mas é reservado para quem tem experiência com longas caminhadas. São em média 6 horas de caminhada e aproximadamente 1000m de subida e 1000m de descida todos os dias. Para aproveitar melhor o trekking e as fascinantes paisagens durante todo o percurso, as bagagens são transportadas para cada refúgio por veículo fretado e alguns trechos de asfalto serão efetuados com traslados em vans. Conheça este roteiro clicando aqui.

Grupo da Pisa Trekking caminhando cercado por montanhas durante o Tour du Mont Blanc

 

A outra opção é fazer o roteiro completo, conhecido como TMB 360º. Guiado pelo guia Agnaldo Gomes, é uma oportunidade rara de realizar a volta completa no maciço da principal e mais famosa montanha da Europa Ocidental.  Atravessamos vales, campos, montanhas nevadas, agulhas de rocha que parecem tocar o céu. São 15 dias de viagem, e a cada dia passamos por paisagens encantadoras e vamos conhecer as pequenas vilas e cidades do interior, com suas construções antigas. Além, é clado, de vivenciar o espirito de montanha que toda a região respira, com anos de história por onde já passaram os maiores escaladores do montanhismo.  Conheça o roteiro aqui.

 

Expedição Kilimanjaro

Para quem tem o sonho de subir até o cume de uma das montanhas mais altas do mundo, a melhor opção é escalar o Kilimanjaro. A montanha mais alta da África, com seus 5.895m de altitude, é também a montanha mais escalada do mundo. Por ser um trekking relativamente fácil, tendo em vista a elevada altitude, atrai milhares de pessoas todos os anos que se deslocam até a Tanzânia para alcançar o topo deste continente.

Existem várias rotas para se chegar ao cume do Kilimanjaro. As expedições da Pisa Trekking são feitas através da rota Rongai. O custo de cada uma dessas rotas varia, sendo que as mais baratas são, sem dúvida, as mais populares. A escolha da rota Rongai se baseia na variedade da paisagem encontrada, na beleza do caminho e, mais do que tudo, pelo fato de ela ser muito menos usada do que as outras. Assim, os acampamentos são divididos com menos grupos, e há também muito menos pessoas nas trilhas.

Grupo da Pisa Trekking próximo ao cume do Kilimanjaro, maior montanha da África

De um modo geral os dias não são difíceis. O primeiro e terceiro dias serão de apenas 3 a 4 horas de caminhada em um ritmo bem tranqüilo. O segundo dia será um pouco mais difícil, com cerca de oito horas de caminhada (contando as paradas para comer e descansar). O quarto, dia de aclimatação para a altitude, será de ao redor de 5 a 6 horas, mesmo tempo previsto para o quinto e o sétimo dias. Mas, o dia do cume é um dia bastante duro, pelo desnível vertical de 1140 metros e pela altitude que chegaremos, 5895 metros. Como fatores positivos, a aclimatação é feita de forma bastante cuidadosa, e não são feitos pernoites em altitude extrema.

Esta viagem tem data programada para o mês de maio, e é conduzida pelo experiente guia de montanha Manoel Morgado. Clique aqui e confira os detalhes desta expedição.

 

Campo Base do Everest

Everest para os ocidentais, Sagarmatha, a deusa mãe da Terra, para os nepaleses. A mais alta montanha da Terra vem, por décadas, povoando os sonhos de alpinistas e aventureiros. Mais recentemente, tem atraído pessoas de várias idades, profissões e interesses, que têm uma coisa em comum: o amor pelas montanhas.

Chegar até o acampamento base do Everest é um grande desafio. Nessa viagem caminhamos por trilhas usadas há centenas de anos pela população local. Afinal, caminhar é o único meio de locomoção no acidentado relevo das montanhas do Nepal. Por cerca 20 dias conheceremos vilarejos e monastérios rodeados pelo Himalaia, as mais lindas paisagens deste planeta.

Namche Bazaar, último vilarejo com boa estrutura turística antes de chegar ao Campo base do Everest

Este trekking tem dificuldade média comparado com outras expedições. As caminhadas duram ao redor de 6 horas por dia, sendo 4 de manhã e 2 à tarde, em um ritmo lento e com paradas. Como são respeitadas as regras básicas para aclimatação, a altitude não atrapalha muito. Apesar disso, a Pisa Trekking recomenda que as pessoas façam algum tipo de preparação física antes da viagem. Por isso, oferece um mês de assessoria esportiva grátis na 4any1, para quem é de São Paulo.

Pra quem não tem flexibilidade de datas para viajar, é possível fazer esta travessia com um guia nepalês. Este roteiro tem saída diária e seu custo é relativamente menor, pois usa uma estrutura mínima de staff, e possui menos atividades culturais.

Grupo da Pisa Trekking a caminho do Campo base do Everest

No entanto, para quem quer uma experiência completa, recomendamos fazer esta expedição com um guia brasileiro. A Pisa Trekking oferece duas opções. A primeira é com o guia Manoel Morgado, que já fez este roteiro ao Campo Base do Everest mais de 50 vezes, e trabalha com a mesma equipe de sherpas, carregadores e guias de montanha há mais de 12 anos.

A opção mais completa tem o acompanhamento da guia Lisete Florenzano, experiente montanhista que acompanha um grupo ao Campo Base do Everest via Vale de Gokyo. Este roteiro de 21 dias faz um caminho diferente na ida e na volta. É uma inesquecível oportunidade de estar diante do Cho Oyu, a sexta montanha mais alta do planeta, com 8.201m de altitude. A próxima saída é dia 23 de março. Garanta já sua vaga!

 

Se você gostou destas opções de grandes expedições, vai gostar ainda mais quando conhecer as outras opções que a Pisa Trekking oferece. São opções na Austrália, Mongólia, Butão, Japão, Peru, Rússia, Itália entre outros países! Conheça todas as possibilidades e escolha já qual será sua próxima grande aventura!

 

Um Comentário em: “Grandes expedições: os maiores desafios de trekking ao redor do mundo

Deixe uma resposta