Dica de viagem: O que fazer em Cuzco?

Todo mundo que já pesquisou alguma coisa de Machu Picchu provavelmente já deve ter ouvido falar de Cuzco. Mas se engana quem acha que a cidade é apenas ponto de passagem para a cidade perdida inca. Dentre sítios arqueológicos, templos e antigos casarões, Cuzco guarda parte da aura dos primeiros fundadores. Por isso, o Blog Vida ao Ar Livre mostra o que fazer em Cuzco.

CATEDRAL DE CUZCO

A Catedral de Cuzco é uma das Igrejas mais bonitas de toda a América Latina. Construída em formato de cruz, a igreja guarda artefatos em ouro, altares repletos de detalhes e uma série de pinturas principalmente no estilo renascentista. Muitas dessas obras foram idealizadas pelos próprios incas, já em tempos de domínio espanhol.

Apesar da sua enorme beleza, é preciso lembrar que a Catedral de Cuzco tem uma história de violência. Por volta de 1560, o local onde hoje é a catedral, abrigava um dos principais locais da cultura inca: a casa do imperador. Com a chegada dos espanhóis, e como forma de apagar o “paganismo” dos povos ameríndios, a Igreja Católica construiu muitas igrejas, que podem ser vistas por toda parte no centro antigo da cidade.

Flickr: David Stanley

PRAÇA DE ARMAS

De frente para a Catedral, está o marco central de Cuzco. Desde que o turismo chegou, o entorno da Praça de Armas conta com uma infraestrutura de restaurantes e lojas, nos casarões espanhóis antigos e nas pequenas vielas ao redor da “plaza”. Na época em que Cuzco era a capital do império Inca, ali ficava o principal pólo administrativo e religioso de todo império.

Além do jardim super bem cuidado, a Praça ainda tem postes de luz amarelada e uma fonte com a estátua de um dos heróis incas, o imperador Pachacútec. Um charme à parte que você só vai entender quando estiver descansando em um dos banquinhos da praça.

Praça das Armas - Cuzco

QORICANCHA

Qoricancha era o principal complexo de templos de Cuzco, incluindo o grande Templo do Sol, o templo da Lua e de Vênus. Em 1534, os católicos demoliram grande parte do complexo para erguer o Convento e a Igreja de Santo Domingo. Como em muitas outras edificações, os europeus utilizaram o próprio alicerce de pedras inca para aproveitar a resistência do material.

Mais de 400 anos depois, em 1950 um grande terremoto derrubou parte da construção colonial. O abalo expôs algumas das antigas ruínas incas, que resistiram ao tremor, e já estavam esquecidas pelo tempo.

Hoje, as construções espanholas e incas dividem espaço, e é nessa combinação de culturas e épocas que Qoricancha ganha sua grandiosidade.

Qoricancha - Cuzco

SÍTIOS ARQUEOLÓGICOS

Quando falamos de ruínas, não tem como não lembrar dos sítios arqueológicos que existem ao redor de Cuzco. São vários deles espalhados nas proximidades.

Kenko, Pukapukara e Tambomachay são três sítios arqueológicos que ficam fora da cidade, sendo que o último é o mais distante deles, e está a 9km do centro histórico da cidade.

Dentre os sítios arqueológicos da região, o mais famoso e de longe o maior deles está a apenas 2km da Praça de Armas. Sacsayhuamán era uma grande fortaleza construída, ao longo de 50 anos, e servia tanto para evitar a invasão de tribos inimigas quanto para cerimônias. O que eles não esperavam era por uma invasão europeia.

Hoje em dia, o que sobrou das pedras originais foi cerca de 20% do que existia na época. Isso porque a maioria foi retirada para construir as casas e Igrejas católicas. Ainda assim, o visual impressiona: alguns dos muros que sobraram chegam a ter 6m, o que equivale a altura de três pessoas uma em cima da outra! E as pedras, que pesam até 350 toneladas, se encaixam num Tetris perfeito.

A 300m acima de Cuzco, Sacsayhuamán ainda te proporciona uma vista panorâmica da cidade de tirar o fôlego. E todo ano, no solstício de inverno, em junho, é realizado o festival Inti Raymi. Oportunidade única para assistir os peruanos fazendo festa em homenagem ao deus do Sol.

Sacsayhuamán - Cuzco

Se tudo isso não te convenceu que vale a pena passar um tempinho a mais em Cuzco, a dica que damos é: vá até Cuzco e conheça com seus próprios olhos. Provavelmente você vai descobrir muitas outras coisas que não fomos capazes de listar aqui, como o cultural bairro de San Blas, o mercado municipal e as baladas multiculturais. Aproveite e confira aqui os roteiros de quem é especialista. Há mais de 30 anos guiando viagens para o Peru, a Pisa Trekking é escolha certa para segurança e boas lembranças!

Leia outros textos sobre o Peru:

Conheça os roteiros!

perito moreno

Assine nossa newsletter e receba nossos roteiros e novos textos do blog

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 168 outros assinantes

Deixe uma resposta