Grandes expedições: como é o Trekking no Monte Roraima?

Já pensou em conhecer o Monte Roraima?! A não ser que você esteja disposto a pagar uma pequena fortuna para dar uma voltinha de helicóptero, a melhor forma é seguir por trilha. E não dá para desbravar a montanha mais mística desse Brasil sem passar pelas provações do caminho. Uma coisa a gente garante: não existe sentimento melhor do que ver o imenso paredão se aproximando, e no dia seguinte estar andando sobre uma das montanhas mais antigas da Terra. Por isso, hoje, o Blog Vida ao Ar Livre te mostra como é fazer o trekking no Monte Roraima.

Antes de ir

O Monte Roraima é uma montanha que fica na divisa entre os territórios do Brasil, Guiana e Venezuela, que é a partir de onde começam as expedições que levam rumo ao seu topo. Para começar essa aventura é preciso chegar na cidade de Santa Elena de Uairen (VEZ) e, para nós brasileiros, a melhor rota é via Boa Vista, capital de Roraima.

A primeira coisa que você precisa saber é que diferente da maioria dos eco-destinos mais famosos do Brasil, você não vai dormir em pousadas. Enquanto você estiver se deslocando entre Boa Vista e Santa Elena os hotéis podem ser bem confortáveis. Mas, durante a trilha você vai ter que se acostumar a acampar. Isso, claro, se você já não for um aventureiro de carteirinha!

Uma vantagem de viajar com uma agência de turismo experiente como a Pisa Trekking é que você não precisa se preocupar em carregar sua barraca, nem a comida ou outros equipamentos de uso coletivo. Na mochila cargueira vão apenas seus itens de uso pessoal, como isolante e saco de dormir, roupas e afins. Sua única preocupação será manter um bom preparo físico. Afinal, os roteiros mais curtos têm 7 dias só de trekking.

E falando em trekking, caso você já tenha dado uma olhada nos pacotes para o Monte Roraima, você vai ver que o que os difere é o número de dias em cima da montanha. Mas já que o caminho para subir o cume e retornar à base é sempre o mesmo, uma vez lá em cima, porque não ficar um tempinho a mais explorando a área? Aproveite para conhecer o vale dos cristais, cachoeiras, mirantes e jacuzzis naturais que encontrar, mas antes disso…

Dia a dia do trekking no Monte Roraima
  • Primeiro dia:

Serão 3 dias de aproximação e subida. No primeiro, teremos o trecho mais longo (16km), de Paraitepuy ao Rio Kukenan. O bom é que o desnível altimétrico é baixo. Apesar das subidas e descidas da trilha, a variação é de apenas 200m. Momento perfeito para conhecer os companheiros de expedição e chegar ao topo com o grupo bem unido e cheio de energias positivas.

trekking no Monte Roraima

Pai e filha viajando juntos para o Monte Roraima com a Pisa Trekking

  • Segundo dia:

Nos despedimos do rio, e após 7km de caminhada, alcançamos a base da montanha. Sim, menos da metade do dia anterior, mas pense que 70% do trajeto será de subida, somando uma variação de altitude de 750m. No caminho, já praticamente sem nenhum tipo de intervenção humana, podemos perceber que estamos nos aproximando de um paredão imenso. A vastidão da paisagem impressiona, com os campos ondulados da savana venezuelana terminando em uma verde mata na encosta da montanha. Entre sufoco e história, o trekking vale a pena: no acampamento, podemos tomar banho de água fria, matar a fome com um jantar bem servido, e ainda prestar atenção nos sons da natureza enquanto cai a tarde.

trekking no Monte Roraima

  • Terceiro dia:

Este é o dia do que chamamos de “ataque ao cume”. Se antes, a vegetação era predominantemente rasteira, aqui as árvores dão as caras na primeira metade da subida, flores e pássaros nos acompanham, numa vegetação que chega a parecer com a Mata Atlântica. Já com a maior parte da subida para trás, a mata dá lugar à uma muralha de rocha que vai nos acompanhar até o topo da montanha. Perto do fim, uma cachoeira nos saúda, o Paso das Lágrimas.

No final do dia terão sido apenas 4,5km deslocamento. Como você pode imaginar, eles vêm acompanhados de uma grande inclinação. Até o topo serão 1.000m ganhos de altitude. Por outro lado, a sensação é de estar entrando no Parque dos Dinossauros. Mas longe dos jurássicos, se você tiver que se proteger, que seja das temperaturas. Afinal, não é difícil o termômetro bater 10ºC, quando não -5ºC durante a noite. Um frio explicado pelos quase 3 mil metros de altitude da montanha.

Lá em cima, estar diante do cenário rústico de rochas enegrecidas e lapidadas por 2 bilhões de anos de chuva, sol e vento será algo único na vida. 

 

trekking no monte roraima

Uma vez em cima, atrativos não faltam. E na hora que você estiver comprando o seu pacote, você pode escolher ficar 2, 3 ou 4 dias inteiros no topo. Em todos eles, você verá pelo menos o básico. Mas a cada dia extra, uma oportunidade a mais de desbravar um pedaço que só os mais experts em Roraima conhecem. Depois de tantas belezas e energias, você nem vai reparar que o caminho de volta foi o mesmo que você usou para subir. Vale destacar também que ao invés de 3, você fará o retorno agora em 2 dias. Mas fique tranquilo, em boas mãos, o trekking no Monte Roraima será uma experiência inesquecível. A Pisa Trekking é especialista em Monte Roraima, e garante uma logística segura e muita cômoda. Afinal, vale lembrar que você não precisará se preocupar com os equipamentos coletivos, barraca e comida. Converse com nossos atendentes e prepare-se para fazer o trekking no Monte Roraima!

Leia outros textos sobre o Monte Roraima:

CONHEÇA NOSSOS ROTEIROS!

trekking no Monte Roraima
trekking no Monte Roraima

Assine nossa newsletter e receba nossos roteiros e novos textos do blog

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 231 outros assinantes

Deixe uma resposta