Diário de Viagem – Navegação pelo Rio Negro – M/V Desafio

Em julho de 2019, eu, meus filhos Lucas (13 anos), Luiza (9 anos) e Vinicius (5 anos), junto com a irmã deles, Beatriz (19 anos), participamos do Roteiro M/V Desafio na Amazônia.

Amo viajar, mas viajar com meus filhos me proporciona um contentamento especial. Além da diversão e das experiências bacanas, vem junto aquela satisfação única que toda mãe ou pai tem ao vê-los brincando livres e crescendo como pessoinhas enquanto exploram o mundo aos seus pés.

Dessa vez, nosso destino foi a Amazônia!

Não foi muito difícil escolher o roteiro. Desde que fiz uma expedição fluvial em 2018 pelo Rio Tapajós em Alter do Chão, Pará, fiquei com muita vontade de explorar ainda mais esse mundo que é a Amazônia

São muitas opções de hospedagem: hotéis de selva, hotéis flutuantes, mais ou menos perto de Manaus, mais ou menos isolados… Enfim, é necessário avaliar bem o perfil dos viajantes para escolher qual deles é mais indicado.

No nosso caso, eu tinha certeza do que eu queria, pois há anos me encanto com as declarações das pessoas que conhecem o M/V Desafio!

Como tudo começou

A vontade de viajar para a Amazônia é antiga. Conhecer a maior floresta tropical do planeta é um desejo que começou quando eu era criança, nas aulas de geografia. Quanto mais aprendia sobre sua importância para a humanidade, mais minha vontade crescia.

Porém, muitos sonhos precisam de um tempo de amadurecimento e é necessário esperar a melhor hora para realizá-los. Hoje, com meu filho menor, de 5 anos de idade, e o maior, de 13 anos, achei que estávamos mais preparados para experimentar essa aventura. 

Por que o M/V Desafio para nossa família?

Já comentei que só ouvia elogios do barco e da viagem. Mas existem outros fatores que me fizeram escolher conhecer a Amazônia embarcada.

Refeições no barco -  O cardápio é leve. Comida bem preparada, variada, delicadamente apresentada, mas com tempero suave, pois normalmente crianças têm dificuldade com sabores fortes. Tivemos o gostinho de experimentar pratos típicos, mas sempre havia opções leves, com muito peixe, saladas, legumes. Isso foi importante na minha decisão! O barco serve 3 refeições: café da manhã, almoço e jantar. Eu levei uns snacks que comprei em Manaus para os intervalos. Com criança é sempre bom fazer isso, porque lá não tem mercadinhos por perto.

Destaque para a gentileza dos garçons e cozinheiros que, mesmo não estando no cardápio, fizeram um feijãozinho para o Vinicius. Ele comeu com prazer!

Grupo pequeno – De modo geral, os hotéis de selva são pequenos, até por uma questão de sustentabilidade. No caso do barco, são poucas cabines e achei que o ambiente seria muito acolhedor.  

Tempo livre navegando - Aproveitamos que tínhamos muito tempo livre enquanto navegávamos e brincamos muito. Levei jogos de cartas, tipo Uno, jogo da memória, e outras coisas leves e pequenas. Também é importante aprender a curtir o ócio. Ficávamos sentados em algum dos vários espaços de relaxamento do barco só apreciando a paisagem. 

Cada hora estar numa paisagem diferente – Nossa viagem começou em Manaus no Rio Negro. Todos à bordo, partimos em direção ao arquipélago de Anavilhanas. Lembrei do meu querido amigo Jorge, que foi o grande incentivador de irmos nessa expedição. Ele dizia: “Você precisa ir! Não tem nada em volta, só a natureza, sem sinal de celular de internet, sem barulho, nem avião passa lá...”

Realmente, quanto mais nos aproximávamos da região de Anavilhanas, todo vestígio de civilização ia sumindo, deixando apenas o profundo som da floresta. O Parque Nacional de Anavilhanas é uma unidade de conservação formada por mais de 300 ilhas. Um arquipélago fluvial que deve e merece ser protegido! 

Seguimos em direção a Manaus, passamos por comunidades ribeirinhas, aldeias indígenas, e até pelo incrível e famoso encontro das águas entre os rios Negro e Solimões.

Vivenciar a rotina da embarcação – Foi bem divertido, ainda mais com a tripulação do Desafio que faz o trabalho com tanto carinho e dedicação. Conviver 4 dias com eles acaba sendo uma atração à parte. As crianças visitaram a cabine do comandante, onde gentilmente explicaram um pouquinho sobre navegação. Também foram na casa de máquinas e exploraram cada cantinho do barco observando a rotina deles.

Experiências na floresta

Vou comentar brevemente e deixar as imagens contarem por si só o que eles viveram. Aqui é importante relembrar o calor, a brisa, a umidade e o som dos pássaros presentes em cada experiência. Foram apenas 4 dias mas sentimos como se fossem 8. Ali, não tínhamos pressa e os dias eram longos.

Aproveito para agradecer a toda a tripulação. Vocês fizeram nossas férias serem melhores!

Também agradeço a Jorge e Aracele: parabéns pelo lindo trabalho e obrigada pelo carinho com minha família. Por fim, preciso agradecer e parabenizar o querido Rubem. Não podia deixar de falar desse cara. Afinal, ele é uma atração à parte. Sabe tudo da floresta, do barco, da Amazônia, da vida! Obrigada por compartilhar um pouco dessa sua sabedoria.

Nada como o contato com os animais para aprender a valorizar a natureza!

Como não se apaixonar pela história e cultura deles?

Essa sumaúma era bem pequena!

E assim acaba nosso Diário de Viagem! 

Ficou interessado em ir para Amazônia? Conheça aqui todos os roteiros que a Pisa Trekking oferece para lá. E não se preocupe, qualquer dúvida que tiver, nossos atendentes estarão prontos para te ajudar!

E se você for levar uma criança e ainda está na dúvida se é seguro, qual melhor opção de hospedagem, como se organizar, etc, pode me procurar também. Terei o maior prazer em conversar e facilitar a decisão de levar as crianças para a natureza!

Leia mais textos sobre a Amazônia:

Conheça nossos roteiros!

Assine nossa newsletter e receba nossos roteiros e novos textos do blog

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 299 outros assinantes

Deixe uma resposta