Pirenópolis – Trekking, cicloturismo e cultura no interior de Goiás

O interior de Goiás é repleto de história, cultura e natureza exuberante, e Pirenópolis não é diferente. Contando com mais de oitenta cachoeiras em seu território, além de um passado extrativista que remonta ao século XVIII, esse é o destino ideal para quem quer fugir da sobriedade de Brasília ou conhecer mais da história do Brasil. A seguir, o Blog Vida ao Ar Livre te conta mais sobre a Cidade dos Pireneus.

Onde fica e como chegar a Pirenópolis?

Pirenópolis é um município no interior de Goiás, localizado a cerca de 150 km de Brasília e 130 km de Goiânia, em uma região que nos séculos XVIII e XIX era terra de mineração de ouro, comércio e agricultura. 

Nos seus arredores, está localizada a chamada Serra dos Pireneus, que constitui o divisor continental das bacias dos rios Tocantins e Paraná, e é um dos principais elementos geográficos que contribui com o potencial turístico do município. Além do seu clima agradável, da sua paisagem de morros e da sua fauna diversificada, lá também existem centenas de cachoeiras.

Para chegar a Pirenópolis partindo de São Paulo, é possível pegar um voo até o Aeroporto Internacional de Brasília, e seguir de carro ou de ônibus por cerca de 2 horas até o destino final. Também é possível pegar um voo até o Aeroporto Internacional de Goiânia, Santa Genoveva, e seguir de carro ou ônibus também por aproximadamente 2 horas. 

De carro, as rotas podem ser escolhidas de acordo com outros atrativos presentes no caminho, como é o caso das Águas Lindas de Goiás, Cocalzinho e do Salto Corumbá, localizadas nos arredores da via BR-070, no caminho de Brasília.

Qual a melhor época para ir a Pirenópolis?

Existem duas estações bem definidas em Pirenópolis: a de seca, que vai de maio a setembro, e a de chuvas, que vai de outubro a abril. Apesar da região oferecer passeios durante o ano inteiro, a melhor época para quem quer evitar chuvas e ainda pegar uma vegetação verde e cachoeiras cheias é entre maio e junho.

Os meses de agosto e setembro são os mais críticos no que se refere à seca, o que pode causar algum desconforto e prejudicar a vivacidade da paisagem. A temperatura nesses meses varia entre a mínima de 16°C e máxima de 31°C.

Já o auge da temporada chuvosa são os meses de novembro a fevereiro, em que os passeios ainda podem ser aproveitados, mas é preciso se atentar ao risco de cabeças d’água nas cachoeiras, por exemplo. Aqui, a temperatura varia entre mínima de 19°C e máxima de 27°C.

O que fazer em Pirenópolis?
  • Natureza

Pirenópolis tem mais de oitenta cachoeiras, sendo que várias delas oferecem boa infraestrutura para receber turistas. É possível visitá-las de carro, ou conhecê-las através de trekking e cicloturismo.

Uma das cachoeiras favoritas é a Cachoeira do Abade, com 22 metros de queda e um poço cercado por areia. Ela está localizada dentro de uma reserva que conta com quatro quedas d’água, mirantes e pequenas trilhas. Outra é a Cachoeira do Rosário, com 42 metros de altura, e com um caminho de pedras que leva ao espaço por trás da queda d’água. Ela conta com ótima infraestrutura, incluindo um restaurante com comida regional, redários e petiscos disponíveis o dia todo.

A Cachoeira Bonsucesso, por sua vez, leva os turistas diretamente ao universo das fazendas do interior de Goiás, sendo necessário passar por uma estrada que data do século XVIII e uma propriedade repleta de animais para chegar até lá. Sendo a queda principal de um conjunto de seis cachoeiras, ela conta com um poço de incríveis 7 metros de profundidade. 

Já o Santuário dos Dragões, por fim, está localizado dentro de uma propriedade onde funciona o Mosteiro Zen Eisho-Ji, um reduto de paz onde monges residem, e que abriga um conjunto de oito cachoeiras.

Você pode fazer um trekking que percorre aproximadamente 24 km ao longo de dois dias, passando pelo Pico dos Pireneus, considerado o ponto mais alto da Serra dos Pireneus, com 1.385 metros de altitude, bem como pelo Santuários dos Dragões e pelas cachoeiras do Rosário, das Freiras e das Veredas. O pernoite durante a trilha ocorre em um acampamento selvagem.

Já se quiser pedalar, a viagem de cicloturismo percorre aproximadamente 60 km ao longo de dois dias, sendo indicado para pessoas ativas com experiência em mountain bike. O roteiro passa pela Reserva do Preguiça, culminando no alto do Morro do Frota, considerado “eterno vigilante” de Pirenópolis, e pelas cachoeiras Bonsucesso, do Rosário, Meia Lua e Usina Velha. Todo dia há retorno para pernoitar em Pirenópolis. 

  • Cultura

O próprio município de Pirenópolis possui vários atrativos turísticos, com um centro histórico que conta com casarios coloniais, ruas de pedra, igrejas, teatros e museus. O recomendado é iniciar o passeio pela Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário, que rende uma bela vista para a cidade, e ir explorando cada um de seus cantinhos a partir daí.

Os museus da cidade não contam com horários de funcionamento muito regulares, mas ainda assim valem a tentativa de uma visita. Um deles é o Museu Rodas do Tempo, que conta a história dos veículos de duas rodas e apresenta um acervo extenso. Também há os museus do Divino e das Cavalhadas, que buscam contar a história da Festa do Divino, a mais tradicional festa religiosa da cidade. Por fim, para quem curte arte sacra, vale uma visita também à Igreja de Nossa Senhora do Carmo, que possui uma pequena coleção.

A gastronomia também é um dos destaques da cidade, com restaurantes que valorizam os sabores típicos da região. Há galinhadas, pamonhas, pratos à base de pequi, empadões goianos, e muitos biscoitos e doces caseiros que podem acompanhar as cervejas e os vinhos produzidos localmente.

Para quem quer levar para casa um pedacinho da cidade, é possível comprar diversos tipos de artesanatos típicos, como as máscaras da Cavalhada, sempre com muitas cores e longos chifres que lembram a cabeça de um boi, ou então as pombas brancas da Festa do Divino. Não faltam opções de lembranças e, portanto, é recomendável guardar um dinheiro para investir apenas nisso.

Agora que você já sabe mais sobre Pirenópolis, que tal planejar a sua viagem? Para tanto, conte com os serviços da Pisa Trekking. Especialistas em ecoturismo, oferecemos várias opções de pacotes para a Pirenópolis. Confira todos aqui e tire todas as suas dúvidas com nossos atendentes!

Leia mais textos sobre destinos em Goiás:

Conheça os nossos roteiros!

Assine nossa newsletter e receba nossos roteiros e novos textos do blog

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 374 outros assinantes

Deixe uma resposta