Jalapão: um paraíso dourado no coração do Brasil

No coração do Brasil existe um paraíso natural onde a natureza se mantém praticamente intacta: o Jalapão.

Apesar de sua fama de “deserto”, o Jalapão está bem longe disso. Dentre suas vastas dunas douradas, de até 30m de altura, e seus grandiosos paredões de chapadas, o Jalapão esconde grandes rios, nascentes e lindas cachoeiras de águas esmeraldas que sempre instigam um delicioso banho.

Mas não se engane. Apesar de não ser um destino com longas trilhas, o calor, o isolamento e a falta de infraestrutura fazem desta viagem uma verdadeira aventura.

Preparamos esta matéria para que você saiba tudo sobre este destino especial.

As famosas dunas de areias douradas do Jalapão.

As famosas dunas de areias douradas do Jalapão.

Como chegar no Jalapão

Como todo paraíso, o Jalapão é de difícil acesso, limitando o número de turistas que visitam a região. É uma viagem indicada para pessoas com um espírito aventureiro, que desejam conhecer uma região de beleza rara.

Durante todo o roteiro, percorremos cerca de 1.000km de distância, e metade desse trajeto é feito em precárias estradas de terra e areiões. Chegar aos atrativos do Jalapão é uma aventura por si só: apenas um veículo 4×4 consegue acessar seus tesouros naturais, e por isso é importante viajar com uma empresa de turismo qualificada, como a Pisa Trekking, que foi uma das pioneiras em oferecer viagens organizadas para o Jalapão.

 

Estrada de areia que leva de Ponte Alta a Mateiros, no Jalapão.

Estrada de areia que leva de Ponte Alta a Mateiros, no Jalapão.

 

Saindo de Palmas, o acesso pode ser através de São Félix do Tocantins, ao norte, ou por Ponte Alta, ao sul. O destino final é a pequena cidade de Mateiros, de onde conhecemos os principais fervedouros, a comunidade Mumbuca e as famosas dunas de areias douradas.

As distâncias percorridas por dia são sempre altas, e é preciso estar disposto a encarar o sacolejo da viagem. Uma quebra mecânica pode custar muitas horas esperando um resgate. Por sorte, no caminho existem outros atrativos que fazem a viagem ser menos cansativa.

 

Principais atrativos do Jalapão

Na Serra da Catedral, no Morro Vermelho e na Pedra Furada contemplaremos cenários naturais muito fotogênicos e inusitados.

Canion Sussuapara, próximo a Ponte Alta, no Jalapão.

Canion Sussuapara, próximo a Ponte Alta, no Jalapão.

 

As dunas de areias douradas são o cartão postal da região. Formadas pela erosão da Serra do Espírito Santo, é uma paisagem única de areias amarelas cercada por buritizais e pequenas lagoas de águas quentes, que se espalham pela paisagem amarela.

Os fervedouros também são uma das grandes atrações locais. São nascentes de águas muito puras, que graças a um fenômeno chamado ressurgência faz com que seus visitantes “flutuem”  sobre as águas, sem conseguirem afundar.

Fervedouro dos Buritis, um dos mais bonitos do Jalapão.

Fervedouro dos Buritis, um dos mais bonitos do Jalapão.

 

E falando em tesouros, o Jalapão possui em suas terras uma joia natural raríssima e exclusiva da região – o capim dourado.

O capim dourado é um verdadeiro tesouro da natureza que, nas mãos das artesãs da Comunidade do Mumbuca, vira arte. O artesanato do capim dourado é marca registrada da comunidade, sendo vendido pelo Brasil e mundo afora. Uma natureza que só poderia ser brasileira.  Quer presente melhor para levar para casa?

Artesanato de capim dourado da comunidade quilombola Mumbuca, no Jalapão.

Artesanato de capim dourado da comunidade quilombola Mumbuca, no Jalapão.

Jalapão com pernoites em pousadas

Basicamente existem duas formas de hospedagem no Jalapão. A mais convencional é dormindo em pousadas simples. Por ser uma área remota, não há opções de hotéis que ofereçam hospedagem de luxo. No roteiro Jalapão 360º  dormimos duas noites em Mateiros – nos dias que conhecemos a comunidade Mumbuca, a Cachoeira da Formiga e as Dunas do Jalapão. E depois mais uma noite em Ponte Alta, no dia que conhecemos a Cachoeira da Velha e a prainha do Rio Novo.

Caminhonetes 4x4 são os veículos apropriados para as expedições no Jalapão.

Caminhonetes 4×4 são os veículos apropriados para as expedições no Jalapão.

 

É um roteiro que permite aproveitar ao máximo as belezas da região, pois dá mais mobilidade para os deslocamentos. Nesta opção é possível, por exemplo, conhecer o cânion Sussuapara e a Pedra Furada, próximos à Ponte Alta.

Além disso, é neste roteiro que conhecemos o trabalho incrível das artesãs de Mumbuca, uma antiga comunidade quilombola que há décadas produzem as peças de capim dourado, hoje exportadas para o mundo inteiro.

 

Jalapão em Safári Camp

Quem opta por fazer um safári vai encontrar uma estrutura de primeira.

Inspirada nos safári camps africanos, este formato de viagem busca proporcionar uma autêntica experiência junto à natureza, sem abrir mão do conforto. A infraestrutura do Safári Camp garante deliciosos banhos quentes, refeições de qualidade preparadas por um chef, atendimento cordial e uma boa noite de sono, já que as tendas tem camas confortáveis.

 

Confortável tenta do Safári Camp, à beira do Rio Novo, no Jalapão.

Confortável tenta do Safári Camp, à beira do Rio Novo, no Jalapão.

 

O Safári Camp é a melhor opção pra quem quer curtir de perto a beleza mais intocada do Jalapão. Durante 4 noites, teremos o privilégio de dormir em um acampamento às margens do Rio Novo, um dos últimos rios de água potável do mundo. Já durante o dia, diversas aventuras nos aguardam. A mais especial delas é a canoagem no Rio Novo, mas também visitaremos deliciosas cachoeiras, fervedouros, e avistaremos as Dunas do Jalapão. Uma combinação perfeita de aventura e conforto.

Vista aérea do Safári Camp, à beira do Rio Novo, no Jalapão.

Vista aérea do Safári Camp, à beira do Rio Novo, no Jalapão.

 

O Jalapão na prática

As paisagens de encher os olhos dão vontade de fazer as malas e ir correndo para o Jalapão. Mas antes de seguir este impulso e comprar as passagens pra Palmas, é importante lembrar que este é um destino isolado. Lá vivem menos de 1 habitante por quilômetro quadrado! E seu acesso é feito por estradas de areia, que exigem muita experiência do motorista neste tipo de terreno.

A Pisa Trekking, operadora de turismo de aventura, oferece viagens para o Jalapão desde 2010. “Em todos estes anos temos trabalhado principalmente na melhoria dos veículos que fazem este trajeto, e no aperfeiçoamento dos guias, que além de conhecerem muito bem a parte turística e cultural da região, são capacitados para fazer todo o percurso em segurança”, conta Élida Zuchini, responsável pelo destino na empresa.

O Jalapão sem dúvida é um dos destinos mais impressionantes e singulares do Brasil. E certamente precisa estar na sua lista de próximos lugares a se conhecer!

 

Quando você for para o Jalapão não esqueça de levar
 – Máquina fotográfica (claro!)
– Protetor solar
– Boné ou chapéu
– Roupa de banho
– Cantil ou garrafa de água
– Tênis ou bota para caminhadas (as caminhadas não são técnicas, mas é importante um bom calçado)
– Artigos de Higiene Pessoal
– Agasalho para noite (apesar do calor do dia, as noites no Jalapão são frescas)
– Repelente
– Óculos escuros
– Toalha de banho
– Lanterna
– Medicamentos de uso pessoal
– Dinheiro extra (não há caixa eletrônico na região)

Informações importantes
Clima – Curiosamente o período que vai de maio a setembro é chamado de verão, mesmo sendo inverno no hemisfério sul. O motivo é que nesta época não chove e as pessoas aproveitam para veranear.
Pluviosidade: O período chuvoso vai de outubro a abril com cerca de 1.600 mm e o período de seca vai de maio a setembro com média de 77mm.
Temperatura: A temperatura média anual é de 25,8Cº com a máxima em setembro de 39Cº
Geologia: A região é caracterizada pela formação Urucuia, com predominância do solo de areias quartzosa.
Vegetação: A cobertura vegetal da região é composta basicamente por Cerrados e Campos. No extremo leste encontra se uma zona de transição (ecotono) entre o Cerrado e a Caatinga .
Infraestrutura: A infraestrutura é praticamente inexistente, não havendo postos de gasolina, agência bancária ou outros “benefícios da tecnologia”. Estaremos nos aventurando com muito pouco contato com a civilização.

Vacinas:  Apesar da região visitada não ser foco de febre amarela, aconselhamos à todos os clientes a se vacinarem com 10 dias de antecedência da data de saída da viagem. Como a vacina pode causar reações, consulte o seu médico antes de se vacinar.Menores que ainda não completaram 12 anos necessitam de autorização para viajar sozinhos. A autorização pode ser obtida nos postos do Juizado de Menores, mediante solicitação de um dos pais, avós, tios ou irmão maior de 21 anos. Os menores que já completaram 12 anos não precisam de autorização para viajar desacompanhados.

 

Um Comentário em: “Jalapão: um paraíso dourado no coração do Brasil

Deixe uma resposta