Treinamento para expedições: a lesão além da carne

O número de praticantes de viagens de aventura é cada vez maior. São pessoas em busca de uma experiência desafiadora nas viagens que fazem, como percorrer a pé longas travessias, e fazer expedições para alcançar o cume de altas montanhas.

Para escalar o Monte Elbrus ou pedalar na Chapada Diamantina é preciso estar muito bem preparado fisicamente. E aqui na Pisa Trekking nós sempre recomendamos a procura por profissionais, que nos orientem a fazer exercícios específicos para a viagem planejada. Sabemos que uma lesão durante os treinos pode abalar a preparação física, mas é importante lembrar que uma lesão também pode nos abalar psicologicamente.

Aulus Sellmer, da assessoria esportiva 4Any1, é especialista em treinamento físico para atividades de aventura. Com toda sua experiência, ele sabe da importância de evitar as lesões em um treinamento para uma grande expedição. E isso vale seja para uma viagem internacional, como o Campo Base do Everest ou o Kilimanjaro, ou para uma aventura nacional, como o Vale do Pati e o Monte Roraima.

Leia o texto e prepare-se para sua próxima aventura!

Lesão além da carne

Aulus Sellmer

Para muitos aventureiros uma lesão é algo complexo. Vai além do físico, ou seja, do diagnosticar, tratar, reabilitar e voltar aos treinos. Um aventureiro machucado, muitas vezes, enfrenta uma forte confusão de emoções como descrença, frustração, confusão e vulnerabilidade.

Ele é confrontado com uma situação de inércia, de separação dos seus colegas de treino e de afastamento do local de desenvolvimento das suas capacidades, originando um conjunto de reações psicológicas. Neste ponto, se alguma atitude não for tomada, a harmonia do treino se rompe.

Resgate da autoconfiança

Quando se chega a esta encruzilhada, o aventureiro vai ter de passar pelo processo de recuperação física e psicológica, que depende de um diálogo interior positivo para auxiliar no resgate da autoconfiança. Nesta minha jornada como treinador, vivi diversas histórias, da desistência à superação. Se você passa por esta situação ou tem colegas nesta fase de descrença, tenho comigo algumas sugestões para reacender a chama da corrida.

A primeira providência após a lesão é ter profissionais competentes para ajudar e oferecer todo o apoio. É fundamental este profissional explicar, de maneira simples e didática, como surgiu a lesão e como o organismo vai se adaptar para resistir às demandas na retomada do equilíbrio. Além disso, explicar como será o processo de recuperação, a previsão da evolução gradativa da reabilitação e a importância de sua dedicação ao tratamento.

Trabalho mental

A próxima etapa é se propor a um trabalho mental incansável e diário, estabelecendo um diálogo interior positivo. Somos bombardeados com ideias para desistir quando o resultado não aparece. Tenha em mente que a reabilitação é lenta. Portanto, estabelecer pequenas metas pode servir de motivação para ir até o fim, como já fazemos numa expedição, de fato. Um exercício interessante é mentalizar sua recuperação e até mesmo se imaginar em sua melhor forma.

 

Para facilitar este processo, a psicologia desempenha papel importante na reabilitação, não só de quem está lesionado, mas também na prevenção. Em muitos casos, as lesões têm origens mais profundas do que apenas pisar num buraco e torcer o pé. Por exemplo, trabalhar a autoconfiança vai deixar o organismo mais alerta, preparado para lidar com situações de risco.

Diversos estudos demonstram a intervenção psicológica após uma lesão como determinante para reduzir incidências de lesão. Quando ela acontece, as reabilitações são mais eficazes.

Retomada

Acredito que desta forma é possível vencer inseguranças e receios e retomar o mesmo nível de performance antes da lesão. Esse processo depende muito mais de um aspecto psicossocial do que realmente todo os procedimentos recomendados de reabilitação.

Portanto tenha em mente que irá precisar de uma equipe multidisciplinar ao seu lado como também o apoio de seus familiares e amigos. Só assim a sua confiança e um retorno mais rápido aos treinos será possível. Desde que a persistência e a dedicação estejam presentes.

 

Aulus Sellmer é bacharel em Esporte pela Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo (EEFEUSP. Tem especialização em treinamento desportivo pela USP, marketing esportivo pela UCLA Berkeley EUA e administração esportiva pela FGV-SP. Atualmente é pós-graduando no curso MBA Qualidade de Vida em Gestão Corporativa pela Universidade São Camilo e proprietário da assessoria esportiva 4any1. É também colunista da rádio e site Eldorado FM, Rádio Estadão AM/FM, revista Contra Relógio, além de realizar coberturas de eventos radicais pela Eldorado FM

Siga-me
aulus@4any1.com.br
blog.estadao.com.br/blog/qualidadedevida
www.facebook.com/aulussellmer

Deixe uma resposta