Conheça a Patagônia: o santuário animal Península Valdés

Longe das montanhas, lagunas e glaciares do resto da Patagônia, a Península Valdés é um santuário animal de mais de 1.500 espécies. Todo ano, viajantes de todo o mundo são recepcionados por pinguins, leões marinhos, gaivotas, baleias e outros animais. Para você que já pensa em incluir a região na sua próxima viagem à Argentina, o Blog Vida ao Ar Livre explica tudo sobre a Península Valdés.

 

Onde fica e como ir?

A Península Valdés fica na Costa Atlântica da Argentina, na província de Chubut. Dos destinos famosos da Patagônia, é o que fica mais ao norte da região. Para se ter uma ideia, de Buenos Aires à Península são 1.350km de distância. Os mesmos 1.350 que dividem Península de El Chaltén, o primeiro grande destino depois de Valdés. Ainda assim, entre voos e estrada, os 1.350 de Buenos Aires lhe tomarão 3h. Tudo isso para conhecer um pedaço de terra tomado por dois golfos, um de cada lado.

Agora, para chegar a esse paraíso, a forma mais fácil é pelo aeroporto de Trelew, com conexão em Buenos Aires. De lá, mais uma hora de estrada e você estará na cidade de Puerto Madryn, de onde saem os passeios para a Península Valdés.

mapa Península Valdés

 

Quando ir?

Independente da época que escolher, sempre vai ter pelo menos algum animal esperando por você. Aves, lobos e elefantes marinhos, por exemplo, praticamente montam base em Valdés. Mas para aproveitar melhor o que a região oferece, é preciso se atentar a sazonalidade dos outros animais.

Pinguins e golfinhos costumam aparecer nos meses de primavera e verão, quando vêm para se reproduzirem. As baleias chegam um pouquinho antes, no inverno, e ficam até o começo do verão. Por isso, se puder optar, prefira os meses de setembro a dezembro. Assim, você pode voltar para casa dizendo ter visto os Big 4 patagônicos (os três sazonais, além dos sempre presentes lobos). Mas se o calendário estiver apertado, saiba que até março você encontra tranquilamente a maioria dos animais.

Península Valdés

 

O que fazer?

Enquanto nos deslocamos até Puerto Madryn, você vai perceber que a vegetação é predominantemente rasteira. Num primeiro momento, a visão pode até ser sem graça, mas pense que com tudo baixinho, é mais fácil encontrar os animais. Mas antes dos Big 4, procure pelos guanacos (espécie parecida com as lhamas), choiques (espécie parecida com as emas), tatus, raposas e maras (“lebres”). São espécies menores, mas não por isso menos fascinantes para iniciar a experiência.

  • Puerto Pirâmide:

Se você estiver viajando de junho a dezembro, não deixe de fazer o passeio de navegação pelo Golfo Nuevo. Afinal, não é todo dia que a gente tem uma baleia passando do nosso lado. E olha que passa mesmo, elas nem se incomodam! Se elas gostarem do barco da vez, quem sabe elas não te presenteiem com uns saltos ou a cauda para fora?

península valdés

 

  • As Puntas:

Nem é preciso ter o castelhano afiado para saber que “punta” significa “ponta”. E quando você estiver na Península, você vai entender o porquê. São trechos bem na borda, com animais tomando sol, caminhando e às vezes até procriando.

As quatro puntas mais famosas são a Tombo, Delgada, Rawson e a do Norte da Península, onde você pode avistar, respectivamente, pinguins, elefantes marinhos, golfinhos e lobos marinhos/orcas. Para isso, mais uma vez, prefira os meses de primavera e verão. Vale lembrar que a Punta Tombo não fica na Península Valdés. Na verdade, ela fica a 2h de Trelew, tomando a estrada no sentido contrário da Península. Mas o esforço vale a pena! Imagine poder andar literalmente em meio a uma pinguinera e tirar fotos com as avezinhas do lado do seu pé!

 

  • Caleta Valdés:

Outro espaço muito especial compreende uma porção d’água separada do mar por uma fina e extensa camada de areia. Na ponta, você até tem uma saída para o mar, mas as águas lá dentro são tão calmas, que pinguins e elefantes marinhos gostam de relaxar para a felicidade dos turistas. Também, com 35km de faixa para contemplar o mar, até nós ficaríamos em um point desses.

península valdés

 

  • Yellow Submarine:

E para encerrar, um dos opcionais mais imersivos da região é um barco com um andar debaixo da linha d’água repleto de janelas, feitos para avistagem dentro do mar. Ou seja, sabe aquele leão marinho ou aquela baleia que não estava muito a fim de sair da água? Pois bem, se ela não vem até você, você vai até ela! Você vai se sentir num aquário selvagem.

península valdés

 

Como você pode perceber, mesmo quando não falamos de montanhas ou geleiras, a Patagônia continua a nos surpreender com uma fauna riquíssima e muito receptiva. Agora, para uma viagem ainda mais acolhedora, conte com os serviços da Pisa Trekking. Principalmente para evitar os estresses logísticos entre os atrativos, nós que somos especialistas em Patagônia há mais de 20 anos, garantimos uma viagem organizada e muito segura! Converse com nossos atendentes e já separe a câmera fotográfica! E depois do safári pela Península Valdés, aproveite a passagem para conhecer El Calafate, El Chaltén, Ushuaia e Torres del Paine. A Patagônia espera por você 🙂

 

Leia outros textos sobre Patagônia:

CONHEÇA NOSSOS ROTEIROS!

Assine nossa newsletter e receba nossos roteiros e novos textos do blog

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 231 outros assinantes

Deixe uma resposta