Mochila para trekking: como escolher a mochila certa?

Seja lá o tipo de trekking que fizer, você vai precisar carregar algumas coisas. A diferença é só o quanto você terá que levar. Em outras palavras, se você tiver que investir seu dinheiro em apenas um acessório, que seja em uma boa mochila. Mas atenção, nem sempre preço é sinônimo de melhor qualidade. Tudo vai depender do tipo de viagem que você pretende fazer. Para esclarecer essas e outras dúvidas, hoje, o Blog Vida ao Ar Livre explica tudo sobre mochila para trekking.

Com um mercado cada vez mais competitivo, a cada dia surgem modelos melhor adaptados para um tipo específico de atividade. Mas em geral, podemos pensar em três categorias de mochila: as de hidratação, as de ataque e as cargueiras.

TIPOS DE MOCHILA:

Antes de tudo, você precisa entender que as mochilas se diferenciam pelo tamanho, e pelo peso e volume que acomodam. Quando você for comprar a sua, você vai ver que na etiqueta quem manda é a litragem (volume). Que é bem diferente do peso, já que, por exemplo, 4L de roupa pesarão bem menos que 4 de água; ainda que possam ocupar o mesmo espaço. Uma vez determinado o tipo de mochila necessário para determinada atividade, a tecnologia do material que ela é feita, os acessórios, ajustes e muitos outros detalhes é quem vai dizer o real valor de uma mochila.

  • Mochila de hidratação (1 a 10L):

Se a ideia é carregar apenas o essencial do essencial, compre uma mochila de hidratação. As maiores acomodam até um anorak (saiba o que é um anorak aqui) e lanterna, mas para muitos, basta caber água (afinal, ‘hidratação’, né?!). E o bom é que dela sai de um tubinho, então você não vai nem precisar parar o que está fazendo para se refrescar. Por isso, essa é a mochila preferida dos ciclistas. Elas vem com detalhes reflexivos, aumentando a visibilidade de noite, e também  são pequenas e ficam coladas ao corpo, diminuindo o atrito com o vento. Além disso, as mochilas de hidratação tem sido muito utilizadas por pessoas adeptas do fast trek, que consiste em fazer longas trilhas de forma leve e rápida.

mochila de hidratação

Mochila de hidratação de 10L da Osprey. Crédito: Mônica Morais.

Se você é do time do pedal, conheça aqui alguns roteiros de cicloturismo oferecidos pela Pisa Trekking.

 

  • Mochila de ataque (20 a 40L):

Para trilhas curtas de até um dia, escalada e trajetos de bike mais longos, você terá que levar mais apetrechos, além da necessidade de carregar também um pouco de  comida. Por isso, as mochilas de ataque são mais resistentes, reguláveis, e com bolsos e compartimentos em lugares estratégicos. Apesar disso, elas ainda são bastante leves e versáteis.

É importante dizer que, apesar de terem um volume parecido, mochilas de ataque feitas para prática de atividades outdoor são bem diferentes de mochilas escolares ou de carregar laptops, já que são feitas para aguentar o tranco. Em outras palavras, as mochilas de ataque são perfeitas para você que está só começando no mundo de trekking. Isso porque normalmente as primeiras aventuras não passam de um dia. E não pense que você vai descartá-la logo, porque mesmo quando você começar a acampar, deixamos as mochilas maiores na barraca, e “atacamos” (por isso o nome) com as menores para termos mais agilidade.

mochila de ataque

Conheça aqui alguns roteiros de viagem de um dia saindo de São Paulo, para quem quer experimentar fazer uma trilha passando por cachoeiras, montanhas ou praias desertas..

 

  • Mochilas cargueiras (40 a 75L+):

Quando os hotéis e pousadas começarem a não ter mais tanta graça, é hora de dormir no meio do mato. Nesse momento, você terá novas coisas com que se preocupar, afinal, a comida precisa durar para toda a viagem, e será preciso levar barraca, isolante térmico, saco de dormir entre outros itens essenciais. Sem contar os acessórios que você vai usar para cozinhar, trocas extras de roupa, itens de higiene e primeiros socorros. Para que tudo isso entre na mochila, será preciso uma cargueira.

mochila cargueira

É claro que tudo depende do que você quiser levar nas costas (embora não seja recomendável carregar mais de 1/3 do seu peso), mas para se ter uma ideia, um bom começo é seguir a tabela abaixo:

De 2 a 3 dias: cargueira de 40 a 50L

De 4 a 5 dias: cargueira de 50 a 60L

De 6 a 7 dias: cargueira de 60 a 75L

Mais de 7 dias: cargueira 75L+

Se você já achava que as mochilas de ataque tinham bolsos demais, você literalmente vai se perder na cargueira. É bolso lateral, inferior, no tampo… a ideia é aproveitar todos os espaços para colocar mais peças. E se depois de tanto mexe e remexe, ficar aquela coisa de não conseguir fechar o zíper, você terá uma série de fitas para estabilizar e comprimir tudo lá dentro. É tanta regulagem aqui e porta-coisa ali que você vai precisar até de um tempo para se acostumar, mas o bom é que espaço não vai mais faltar.

mochila cargueira

Conheça aqui alguns roteiros de grandes expedições e veja quantas opções existem para colocar sua mochila cargueira à prova!

 

Agora que você já tem a mochila certa para trekking, só falta decidir para onde ir. Na Pisa Trekking você tem opções pelo Brasil e o mundo para todas as dificuldades. Além da segurança e conforto, em várias de nossas viagens distribuímos o peso de tudo que será preciso entre os guias e clientes. Assim você tem uma experiência mais cômoda, mas não menos destemida. Veja aqui nossas próximas saídas e tire todas as suas dúvidas com nossos atendentes!

 

Leia outras listas:

CONHEÇA NOSSOS ROTEIROS!

Assine nossa newsletter e receba nossos roteiros e novos textos do blog

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 290 outros assinantes

Um Comentário em: “Mochila para trekking: como escolher a mochila certa?

  1. É, realmente são materiais de primeira, seu artigo é monstro sobre o assunto, parabéns. O preço ainda está fora da realidade da massa, porém, para quem tem bala na agulha, vale investir nos tops que vc apresentou, principalmente estes que podem chegar a 100 litros, MDS! Capacidade de carregar coisas é o que não falta! O difícil é carregar! Ainda chego lá! kkkk, abraços!

Deixe uma resposta