Poon Hill, Annapurna e Everest: As principais trilhas do Himalaia

A cordilheira do Himalaia se estende por 2.400km, começando no Paquistão e terminando na China. No caminho, ela corta a Índia, o Butão e o país onde estão as escaladas mais famosas: o Nepal. É aqui onde o gigante Everest corta o ponto mais alto do céu. Mas há quem prefira caminhar por trilhas com menos altitude ou circuitos mais curtos, então vale a pena iniciar sua jornada aos colossos de 8.000m por trilhas como Poon Hill ou campo base do Annapurna. Para conhecer um pouco de cada uma, hoje, o Blog Vida ao Ar Livre te mostra as principais trilhas do Himalaia.

A mais alta montanha do mundo, com 8.848m, fascina aventureiros do mundo inteiro. Desde 1953, quando Tenzing Norgay e Edmund Hillary conquistaram o cume pela primeira vez, muitos outros já seguiram seu feito quebrando inúmeros recordes.

Mas você não precisa chegar ao topo para ter um gostinho de Everest. Obviamente, com uma boa preparação e condicionamento físico, é possível alcançar os 5.150m do Acampamento Base do Everest.

Dependendo do roteiro que escolher, ao longo de 7 (neste roteiro) ou 11 dias (neste) de subida, seremos presenteados pelas vistas de Thamserku, Kantega, Ama Dablam, Lhotse, Nuptse e, claro, Everest; todas montanhas com mais de 6.500m de altitude, cada uma trazendo um detalhe natural que as torna únicas se comparadas uma com a outra.

Em alguns desses dias, pararemos em pequenos povoados para nos aclimatar e conhecer a cultura local; em outros, permaneceremos em silêncio à procura de faisões típicos do Nepal ou em respeito a monumentos para alpinistas que morreram em avalanches.

Na Pisa Trekking, você tem duas opções para subir até o campo base do Everest. Nas duas você fará o mesmo caminho. A diferença é que no primeiro pacote serão menos dias e, no segundo, ao invés de se hospedar nas paradas clássicas, você ficará em vilarejos menores e com menos turistas. E é claro, neste segundo roteiro, além dos Sherpas nepalenses, seu guia será Manoel Morgado, médico de formação, mas que trabalha com trilhas desde 1992, sendo bastante experiente neste trekking, o qual já subiu mais de 60 vezes.

Veja aqui os roteiros para fazer o campo base do Everest.

  • Campo Base do Annapurna

Mas a Cordilheira dos Himalaias é muito mais do que simplesmente o trekking para o campo base do Everest. Se estudar o mapa da região, você vai descobrir que a cordilheira é dividida em várias seções, cada qual com suas respectivas trilhas – aliás, para os mega experientes, pegando trechos de cada uma delas, você tem a Grande Trilha do Himalaia e seus 1.700km.

Crédito: Great Himalaya Trails

Enquanto você não chega lá, uma boa alternativa caso o nome Everest te assuste um pouco é a região do Annapurna. Segundo o número de permissões concedidas para trekkers em 2017, só ela é mais visitada que o resto dos Himalaias inteiro, incluindo a região do Everest.

E não pense que as altitudes sejam modestas, afinal, mesmo com 1.000m a menos, os 4.130m do Campo Base do Annapurna já ostentam respeito. Ainda mais quando dali se abre uma vista de 360º para colossos à volta como Annapurna I (8.091m) & III (7.555m), Machhapuchhare (6.993m), Varhha Shikar (7.647m) e Khansar Kang (7.485m).

Justamente por ser rodeado por montanhas de todos os lados, o campo base é conhecido como "Santuário Annapurna", o que atrai muitos viajantes. Além da beleza, o fato da trilha tomar menos dias também contribui para que viajantes menos experientes a procurem. Ainda assim, vale lembrar que você caminhará por grandes altitudes, então um ótimo condicionamento físico é desejável.

Confira aqui o roteiro para fazer o trekking até o Campo Base do Annapurna.

  • Poon Hill

Ainda na região de Annapurna, uma alternativa perfeita para quem continua um pouco inseguro com a dificuldade da trilha é Poon Hill. Diferente dos dois trekkings anteriores onde você segue cortando a cordilheira, aqui o caminho é de floresta mais tropical, com as montanhas nos acompanhando ao fundo.

A elevação é bem menor, saindo dos 1.400m de Pokhara (por onde o Campo Base do Annapurna também se inicia) para alcançar 3.210m de Poon Hill. E um belo diferencial é que além da floresta de bambus, você poderá conhecer a vila de guerreiros Gurung, famosos por combater durante as duas grandes guerras mundiais.

Conheça aqui o roteiro para fazer o trekking de Poon Hill.

Fato é: a Cordilheira dos Himalaias é tão grande que, mesmo todas elas sendo bastante próximas, cada uma tem sua peculiaridade. E isso porque estamos falando das rotas oficiais, porque quem é experiente cria um trekking novo a cada subida!

Até lá, vale lembrar que os Himalaias são de longe a região recomendada para você explorar sozinho. Seja pelo frio, pela altitude ou pela própria aventura, a companhia de um guia é essencial para que sua viagem saia nos conformes. Especialista em grandes expedições, a Pisa Trekking oferece diversos no Nepal. Confira todos eles aqui, tire todas as suas dúvidas com nossos atendentes e seja o próximo a conquistar os colossos na Terra.

 

Leia mais textos sobre a Cordilheira do Himalaia:

Conheça nossos roteiros!

Assine nossa newsletter e receba nossos roteiros e novos textos do blog

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 275 outros assinantes

Deixe uma resposta