Peru: Um vizinho desconhecido, uma aventura surpreendente

Se as primeiras imagens que lhe vêm à cabeça quando falamos em Peru são Machu Picchu e lhamas, você ainda não conheceu tudo que o país pode oferecer. O Peru é um mosaico de cores, sons, sensações e mistério. Um misto de paisagens belíssimas e incomparáveis, pessoas lindas falando e cantando em quechua. Uma avalanche de tradições herdadas dos incas.

Abriga em seu território 83 das 103 zonas ecológicas do mundo. Nelas, temos de picos gelados a praias, de deserto a floresta amazônica, de vulcões a cânions. Perto de Arequipa, há o impressionante Cânion del Colca, o mais profundo do mundo e duas vezes mais alto que o Grand Canyon, nos Estados Unidos.

Na fronteira com a Bolívia, a 3.856 metros de altitude, se encontra o lago navegável mais alto da Terra, o Titicaca, com 8.000 km² de extensão. Aqui também ficam as ilhas Taquile e as ilhas flutuantes de Urus, feitas de totora. As inexplicáveis linhas de Nazca, avistadas apenas por avião, formam gigantescos desenhos que datam de 2.500 a 1.800 anos a.C. 

A cidade de Cuzco, capital do Império Inca, apesar de desfigurada pela colonização espanhola, é uma atração imperdível e ainda abriga em suas ruínas grandes atrações históricas, arqueológicas e arquitetônicas. Aliás, essas ruínas revelam toda a complexidade da engenharia inca, como o sofisticado sistema de construção com gigantescos blocos de pedra, que pode ser visto em Sacsayhuamán. Todos esses blocos foram cortados e encaixados milimetricamente, sendo capazes de manter as suas enormes paredes em meio aos abalos sísmicos frequentes.

Ollantaytambo, Pisac, Rio Urubamba e o Vale Sagrado, outras regiões do Peru, constituem um show à parte.

Mas o ponto culminante de toda visita ao Peru é Machu Picchu. Localizada a 2.400 metros de altitude, ele é um dos maiores e mais místicos sítios arqueológicos do mundo. Para chegar na cidadela há duas formas: por trem ou pelas trilhas incas (Clássica, Curta ou Salcantay).

Todos os anos, milhares de turistas se aventuram a percorrer no mínimo de 12 km a 56 km (dependendo da trilha escolhida) no meio da Floresta Amazônica para alcançar a lendária cidade. As trilhas são indescritíveis e emocionantes. Caminhar por aqueles grandes vales, protegido pelas silenciosas e imponentes montanhas, povoadas por descendentes dos incas em seus trajes multicoloridos, lhamas, alpacas, coelhos selvagens e condores, conduzirão o caminhante a um estado de êxtase incomum. Mistério e conquista. Um lugar mágico e encantado, onde o tempo parece ter parado.

A mais tradicional é a Trilha Inca Clássica com cerca de 40 km, 4 dias com 3 noites em acampamento. De todos os dias, o primeiro é o mais penoso, pois sobe-se de 2.270 metros de Wayllabamba até os 4.070 metros da passagem do primeiro passo em Warmiwanusqa. Ao final da jornada, depois de percorrer cerca de 2.000 degraus de pedra, você chegará a Inti Punku, ou Porta do Sol, e terá a inesquecível visão de Machu Picchu, estrategicamente localizada no centro de um caracol de montanhas. Você experimentará a mesma sensação de maravilhamento que sentiu, em 1911, Hiram Bingham, quando avistou pela primeira vez a cidade perdida dos incas. É de tirar o fôlego.

Machu Picchu

Na Trilha Inca Curta de cerca de 13 km, de 1 dia, a primeira parte do caminho será em trem, de onde se desembarca e se percorre a ruína até Wyna Wayna, alcançando-se o último dia da Trilha Inca Clássica e chegando em Machu Picchu pela Porta do Sol.

Já a Trilha de Salcantay é a mais selvagem de todas e possui duas opções de hospedagem para percorrer seus quase 56 km: acampamento ou lodges de luxo (Mountain Lodges). Lodges esses que possuem até jacuzzi a céu aberto com vista para as montanhas. Aventura para todos os gostos. O percurso circunda a montanha sagrada de Salcantay e passa por passos mais altos do que as das outras trilhas. O segundo dia de caminhada é o mais difícil quando se chega ao passo Salcantay com 4.600m, que pode se percorrer caminhando ou a cavalo. Depois o caminho segue um percurso lindo por trás das montanhas de Machu Picchu, passando pelo povoado de Santa Tereza e chegando em Machu Picchu num caminho ao lado do trem, ou mesmo de trem, se preferir. A trilha não termina na cidadela mas é tão emocionante quanto as demais trilhas.

Outra atração, quase desconhecida para os brasileiros, é a Cordilheira Blanca, considerada como o Tibet da América do Sul, é um roteiro obrigatório para os amantes de montanhas nevadas e longas travessias. Um paraíso de beleza natural, glaciares, e importantes sítios arqueológicos pré-incaicos. Uma singular travessia de aproximadamente 60 km. Só para dar mais um gostinho, ela é considerada a cordilheira tropical mais alta do planeta, com 180 km de extensão, abriga o segundo maior pico da América do Sul, o Huascarán, com 6.768 metros, ou em outras palavras, mais do que o dobro da maior montanha brasileira, o Pico da Neblina (3.014 metros).

Ainda ao norte, você pode se maravilhar com a maior descoberta arqueológica do século passado: a Tumba do Senhor de Sipán, que foi considerado o Rei Tutankamón das Américas. A propósito, Sipán foi um governante da região norte do Peru quase na fronteira com o Equador. O seu tesouro quase todo em ouro, hoje está guardado em um museu onde se encontra uma réplica em tamanho real de sua tumba. Maravilhe-se com os detalhes da cultura moche, que era muito diferente da inca em seus costumes, múmias e artesanato. Foi a primeira cultura da América do Sul que se auto-retratava. Um lugar impressionante.

Renda-se ao fascínio do Peru, prove o sabor da terra, comidas, artesanato e costumes. Mergulhe dentro desse berço de mistério e cores. É muito mais fácil e barato do que você imagina conhecer toda essa rica cultura milenar. Nós da Pisa Trekking garantimos uma viagem confortável e segura. Conheça aqui os roteiros para o Peru, tire todas as suas dúvidas com nossos atendentes e viva você também essa experiência. 

 

Leia outros textos de Claudia Ribeiro:

Conheça nossos roteiros!

Assine nossa newsletter e receba nossos roteiros e novos textos do blog

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 298 outros assinantes

Deixe uma resposta