Dica de Viagem: Tudo sobre a Guatemala

A Guatemala ainda é um destino turístico incipiente, mas com um potencial imensurável. Com uma natureza tropical exuberante, decorada por vulcões, lagos e bosques, à beira do Mar do Caribe, os seus verdadeiros tesouros ficam escondidos no meio de tudo isso: sítios arqueológicos com ruínas da civilização Maia. Ficou interessado? Hoje, o Blog Vida ao Ar Livre te conta tudo sobre a Guatemala.

Onde fica e como ir para a Guatemala?

Localizada na porção mais “ao norte” da América Central, a Guatemala ocupa uma área de 108.890km² e tem uma população estimada de cerca de 18 milhões de pessoas, tornando-a o país mais populoso da região, e também um dos mais multiétnicos. Acredita-se que a maior parte de seus habitantes seja descendente dos Maias, dividindo-se em grupos que falam mais de 20 línguas diferentes. 

A capital do país é a Cidade da Guatemala, que está localizada no Valle de La Ermita, cercada por cordilheiras e quatro vulcões, que conferem um tom sublime à cidade. No seu interior, podem ser encontrados resquícios da antiga cidade maia de Kaminaljuyú, fundada em meados de 1500 a.C.

O Aeroporto Internacional La Aurora, na Cidade da Guatemala, é o principal aeroporto do país. Cidades brasileiras como São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre oferecem vôos para lá, com escalas em ao menos uma cidade, que podem variar entre Cidade do Panamá, Bogotá e San José. A duração do voo fica em torno de 10 horas. 

Melhor época para ir para a Guatemala?

A Guatemala apresenta duas estações principais: a chuvosa (ou inverno), que se estende de maio a outubro, e a seca (ou verão), de novembro a abril. Essa segunda é, sem dúvida, a melhor época para visitar o país. Os céus azuis e límpidos são ideais para fazer trekking e conhecer as ruínas Maias. Nas porções de maior altitude, o ar fica livre de umidade e as temperaturas são mais amenas, raramente ultrapassando os 25ºC; cidades ainda mais altas, como Quetzaltenango, podem chegar a uma mínima de 5ºC. 

Já nas porções de menor altitude, ao longo do Mar do Caribe, as temperaturas são um pouco mais elevadas, assim como os níveis de umidade; aqui, a chuva está presente durante o ano inteiro, em pequenas quantidades. A estação seca também coincide com a época de alta temporada do turismo, com diversos visitantes vindos da América do Norte e da Europa.

Ainda assim, se você decidir visitar a Guatemala durante a estação chuvosa, não pense que todos os seus passeios serão arruinados. Apesar de as trilhas ficarem mais escorregadias nessa época, em geral, as chuvas ficam concentradas apenas nos finais de tarde, e dias mais frios são intercalados com outros mais quentes. A época chuvosa também tem o seu pico de turistas, durante os meses de julho e agosto.  

Principais atrativos da Guatemala?

A Guatemala é repleta de vulcões, cavernas, lagos, bosques, sítios arqueológicos e praias paradisíacas. Eleger quais são as suas paisagens mais bonitas é difícil, mas alguns lugares já foram consagrados ao longo do tempo, como é o caso do Lago Atitlán. Considerado o lago mais profundo da América Central e um dos mais bonitos do mundo, ele tem uma área de mais de 130km², sendo rodeado por três vulcões e diversos povoados indígenas.  

Já a cidade de Antigua, com suas pitorescas ruas de pedra, catedrais e museus coloniais, é a cidade mais visitada da Guatemala. Fundada há mais de 500 anos, ela costumava ser a capital do país. Por conta de terremotos que abalaram a região em 1773, porém, esta foi transferida para a Cidade da Guatemala. 

Esse e outros desastres naturais, como erupções vulcânicas e enchentes, fizeram com que grande parte das construções mais antigas do local ficassem em ruínas. Hoje, porém, tudo contribui para o charme da cidade. O seu cartão postal é o belo Arco de Santa Catalina, através do qual é possível avistar o Vulcán del Água. Como a região é cercada por vulcões, é possível fazer passeios de um dia que te levam até os seus topos. 

  • Sítios arqueológicos

Os sítios arqueológicos da Guatemala, que abrigam resquícios da civilização Maia, são alguns dos mais importantes do mundo. O Parque Nacional Tikal, localizado na região norte, a 500km da capital, é o principal sítio arqueológico do país, ocupando o lugar onde um dia existiu a maior cidade de toda a civilização Maia. 

Contando com ruínas de casas, reservatórios de água, palácios, prisões e até alguns utensílios utilizados pelas pessoas que ali moraram, ele possui uma área de mais de 570m². Lá, os monumentos de maior destaque são seis pirâmides que eram utilizadas como templos. A maior delas, denominada “Templo IV”, tem 64 metros de altura, e de lá de cima é possível avistar toda a selva interminável que a rodeia. Estima-se que mais de 60 mil pessoas tenham sido necessárias para construir todas elas. 

Outros sítios arqueológicos menos conhecidos, como Quiringuá, na região leste do país, também abrigam construções que foram essenciais no entendimento dos pesquisadores sobre o povo Maia. Peças esculpidas em pedra com desenhos em alto relevo, chamadas de “stelae”, contém calendários que contavam, além de datas, eventos importantes na cidade e passagens da mitologia maia. 

Agora, para quem é fã de trekking, é possível chegar ao sítio arqueológico do El Mirador, também conhecido como a cidade perdida dos Maias, através de uma caminhada de cerca de 40km em meio à selva. Nesse caminho, você passa por outras zonas arqueológicas como El Tinta e La Muerta, com tempo para explorar cada uma delas. A pirâmide de El Tigre, em El Mirador, é a maior pirâmide da civilização Maia, e de lá é possível observar um pôr do sol espetacular.

Onde ficar na Guatemala?

Uma típica viagem para a Guatemala, em geral, envolve estadias em três lugares principais: Cidade da Guatemala, Lago Atitlán e Antigua. E mesmo em uma viagem econômica, é possível se hospedar em hotéis de considerável luxo e com ótima localização. 

O Hotel Radisson, na Cidade de Guatemala, está localizado em um dos melhores bairros da cidade, perto do aeroporto e cercado por bares e restaurantes. Os seus quartos são amplos e equipados com uma TV de tela plana. No último andar do edifício, existe uma academia e uma jacuzzi, de onde é possível obter uma vista panorâmica da cidade. 

Já o Hotel Villa Santa Catarina fica à beira do Lago Atitlán, proporcionando um contato inestimável com a natureza. Apesar de oferecer TV a cabo e Wi-fi, é muito provável que você prefira ficar ao ar livre, apreciando a bela paisagem ao seu redor. Por fim, o Hotel Villa Colonial, em Antigua, não destoa dos cenários pitorescos da cidade, oferecendo muito conforto aos seus hóspedes, com quartos em estilo colonial, café da manhã e restaurante com vista para os vulcões, piscina e belos jardins.

Agora que você já sabe tudo sobre a Guatemala, falta só marcar a viagem. Para isso, conte com os serviços da Pisa Trekking. Especialistas em viagens de ecoturismo, nós oferecemos diversos roteiros para a Guatemala. Confira todos eles aqui, tire todas as suas dúvidas com nossos atendentes e boas viagens!

Leia mais textos sobre a América Central:

Conheça os nossos roteiros!

Assine nossa newsletter e receba nossos roteiros e novos textos do blog

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 323 outros assinantes

Deixe uma resposta