Principais atrativos para visitar a Índia de Norte a Sul

Com mais de cinco mil anos de cultura e história, a Índia é um destino que esbanja atrativos turísticos. Seja pelo famoso Taj Mahal, pelas terras douradas do Deserto de Thar, ou pela inigualável comunidade de Auroville, esse país atrai milhares de turistas do mundo inteiro todos os anos. Quem sabe você não é o próximo? Hoje, o Blog Vida ao Ar Livre traz os principais atrativos para visitar a Índia de Norte a Sul.

Norte da Índia
  • Triângulo Dourado

Triângulo Dourado é como se denomina a região do noroeste da Índia que engloba as cidades de Nova Delhi, Agra e Jaipur. Embora o nome tenha surgido como referência à exploração do ouro nesses locais, é lá que você irá encontrar os atrativos mais famosos e celebrados do país.

Sendo a capital do país, Nova Delhi é uma verdadeira metrópole que conta com arranha-céus e grandes avenidas. Porém, isso de maneira alguma ofusca o seu passado. Ao visitar a parte velha de Delhi, você tem a oportunidade de conhecer o Forte Vermelho, um monumento com 33 metros de altura que remonta ao reinado dos mongóis, bem como o Bangla Sahib Gurudwara, o maior templo sikh em Delhi, e o mirante de Qutub Minar.

A história mais recente, por sua vez, é contada através da Porta da Índia, o arco do triunfo erguido em homenagem aos indianos que morreram nas guerras do começo do século XX, e do Museu Memorial Gandhi. O Templo de Lótus também fez história ao ganhar inúmeros prêmios de arquitetura e design.

Agra é a cidade que muitos vão com um objetivo em mente: conhecer o Taj Mahal. Esse mausoléu de mármore branco é considerado uma das 7 Maravilhas do Mundo Moderno, sendo um dos principais atrativos para visitar a Índia. Ele foi construído como uma prova de amor do imperador Shah Jahan à sua falecida esposa. A outra pérola da cidade é o Forte de Agra, considerado o principal forte da Índia, a 2,5km do Taj Mahal.

Por fim, Jaipur é a capital do estado do Rajastão, e possui uma gama de atrativos turísticos que fariam qualquer um babar. Tal é o caso do Forte de Amber, com o seu estilo único que mistura a cultura muçulmana com a hindu. O Palácio dos Ventos, por sua vez, é o principal cartão-postal da cidade, construído com arenito vermelho e rosa para que as mulheres da família real pudessem observar o movimento das ruas.

O Templo de Kali, o City Palace e o observatório de Jantar Mantar também são vistas que não podem ser perdidas. Todo ano, a cidade de Jaipur recebe o festival Holi, que anuncia o começo da primavera, e enriquece as ruas com pessoas de trajes vívidos e pós coloridos.

  • Deserto de Thar

Ainda dentro do estado do Rajastão, o Deserto de Thar é uma paisagem desenhada por uma infinitude de terras douradas, que ultrapassam a fronteira entre Índia e Paquistão. Cidades como Jaisalmer, com suas estruturas de coloração também dourada, chegam a desaparecer em meio à areia.

Outras, como Bikaner, frequentemente são utilizadas como porta de entrada para acampamentos no deserto, onde é possível pernoitar em tendas que contam com estrutura de banheiro e camas. Jodhpur, Ranakpur e Udaipur também são destinos comuns na rota de quem passa pelo Deserto de Thar, possuindo fortes, palácios e templos que valem a visita.

  • Capitais espirituais

A religião está diretamente interligada com a sociedade indiana, e é verdade que muitas cidades têm um “quê” de espiritual. Varanasi e Rishikesh são os dois destinos que se destacam precisamente por esse aspecto, também compondo alguns dos principais atrativos para visitar a Índia.

A “capital sagrada” da Índia, Varanasi, foi construída às margens do Rio Ganges, e esse é o principal atrativo da cidade. Lá são realizados diversos rituais hindus e cremações, sob o pretexto de que as águas do rio garantem a purificação divina. Indianos de todo o país peregrinam para Varanasi para se libertarem da Samsara, o círculo interminável de reencarnações.

Acredita-se que em Sarnath, cidade localizada a 13km de Varanasi, Buda fez o seu primeiro discurso, expondo os preceitos do dharma. Naturalmente, hoje o local conta com diversos templos budistas, sendo um dos principais destinos de peregrinação dos adeptos dessa filosofia.

Rishikesh, por sua vez, é considerada a capital do yoga, tendo caído na cultura popular como a cidade em que os Beatles se isolaram em 1968 para compor e meditar. Localizada aos pés do Himalaia, onde o Rio Ganges passa limpo e caudaloso, as suas ruas são tranquilas e contrastam com o que vemos no resto da Índia.

Lá é possível visitar a caverna onde Vasistha, um dos sábios védicos mais reverenciados da Índia, viveu em reclusão por diversas gerações. Também em Rishikesh é possível conhecer um pouco mais sobre os ashrams (locais de retiros espirituais), os swamis (monges hinduístas) e os saddhus (sábios eremitas).

Sul da Índia
  • Kerala

De Norte a Sul, a Índia nos impressiona. Porém, ao fazer uma viagem que percorre as duas regiões, você poderá notar o quão diferentes elas são entre si. Kerala é um dos 28 estados indianos, situado no extremo sudoeste da Índia, sendo a localidade com o maior Índice de Desenvolvimento Humano do país.

A cidade de Cochin é frequentemente elogiada como “A Rainha do Mar da Arábia”, em virtude da sua localização entre as águas azuis do Mar da Arábia e da corrente verde esmeralda do Rio de Kerala. Um de seus principais atrativos, nesse sentido, é a cultura da Rede de Pesca Chinesa, que se estende ao longo de parte de sua costa.

Cochin também apresenta uma mistura interessante entre a arquitetura indiana e estrangeira, como exemplifica o Palácio Holandês, a Sinagoga Judaica e Igreja de São Francisco, a mais antiga construída pelos europeu na Índia.

Munnar, por outro lado, é uma experiência completamente diferente. Localizada em meio à cadeia de montanhas Ghats, a vista que se tem é de uma plantação de chá que parece infinita, decorada por vales e paredões rochosos. A principal atividade, assim, é caminhar em meio à natureza. Em dias claros, é possível avistar o Anaimudi, pico mais alto do sul da Índia.

A Reserva de Tigres de Periyar, por fim, guarda uma das principais razões para visitar a Índia de norte a sul: conhecer os seus grandes mamíferos. Na reserva, você avista elefantes e tigres bengala, percorrendo a reserva por um passeio de barco ao longo do Lago Periyar.

  • Mahabalipuram, Thanjavur e Auroville

Antes de encerrar a lista de principais atrativos para visitar a Índia, não dá para esquecer da cidade de Mahabalipuram. Ela entrou para a lista de Patrimônios Mundiais da UNESCO por conta dos seus templos hindus lapidados em pedra, e por conta do Arjunas Penance, uma das maiores esculturas em pedra do mundo, com 9 metros de altura e 31 de largura.

Thanjavur, similarmente, é um importante centro de religião, arquitetura e arte na Índia, que teve o seu auge entre os séculos 10 e 14. Hoje, ela se destaca pela presença do Templo de Brihadisvara, o primeiro templo do mundo a ser construído com granito, dedicado à deusa Shiva.

Por fim, a comunidade de Auroville é o destino que mais se distingue dos demais, tendo em vista que o “apelo” dessa comunidade é ser um lugar onde pessoas de diferentes nacionalidades e crenças podem viver em harmonia. Sendo assim, ela também não conta com moeda ou sistema político definidos. Ela é organizada um forma de espiral, com um centro de meditação, zona industrial, zona internacional, zona residencial e zona cultural. Tudo isso envolvido por um cinturão verde.

Agora que você já conhece os principais atrativos para visitar a Índia de Norte a Sul, falta só marcar a viagem. Para isso, conte com os serviços da Pisa Trekking. Especialistas em viagens de ecoturismo, nós oferecemos diversos roteiros para a Índia. Confira todos eles aqui, tire todas as suas dúvidas com nossos atendentes e boas viagens!

Leia mais textos sobre a Ásia:

Conheça os nossos roteiros!

Assine nossa newsletter e receba nossos roteiros e novos textos do blog

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 313 outros assinantes

Deixe uma resposta