Tudo sobre Triângulo Dourado

A Índia é um país gigantesco, com tantos chamarizes que chega a ser difícil saber por onde começar. O Triângulo Dourado, nesse sentido, está aí para te ajudar. Denominando a região formada entre as cidades de Nova Delhi, Agra e Jaipur, aqui você encontrará os principais atrativos do país. Hoje, o Blog Vida ao Ar Livre te conta tudo sobre o Triângulo Dourado.

Melhor época para visitar o Triângulo Dourado

A Índia está localizada no Hemisfério Norte. Portanto, é preciso considerar que suas estações são o oposto das nossas, e dividem-se entre inverno, verão e monções. Esta última é a época de chuvas, causada por ventos sazonais, que pode se dar através de pequenas porções de chuva ao longo do dia ou tempestades torrenciais que provocam alagamentos.

Como o turismo no Triângulo Dourado ocorre principalmente à pé, o inverno - que vai de outubro a fevereiro - é a época mais indicada para viajar. Com uma temperatura média máxima de 32°C e mínima de 18°C, a tendência é que o céu esteja limpo e o sol não tão forte. Os meses de dezembro e janeiro são os mais frios, podendo chegar a menos de 10°C à noite. O inverno, porém, é a época mais popular para o turismo na região. 

A segunda melhor época para visitar a região é durante as monções, que vão de junho a setembro. Apesar das chuvas prejudicarem as atividades ao ar livre, elas não costumam durar o dia inteiro, e até conferem um certo “charme” à região. A sua intensidade começa a diminuir a partir de agosto, e as temperaturas variam de 24°C a 36°C.

A pior época para visitar o Triângulo Dourado é durante o verão, entre os meses de março e maio. Como essa é uma região próxima ao deserto, o calor é quase insuportável, com temperaturas que chegam a 45°C e que provocam risco de desidratação. Por essa razão, muitos atrativos permanecem fechados durante a tarde. O verão é a época mais impopular para o turismo.

O que visitar no Triângulo Dourado

Como já explicado anteriormente, o Triângulo Dourado é formado pelos “maiores hits” da Índia: as cidades de Nova Delhi, Agra e Jaipur. De carro, o trajeto entre elas costuma durar de 4 a 5 horas, e a cidade de Nova Delhi é geralmente o ponto de partida, tendo em vista que é lá onde está localizado o principal aeroporto internacional do país.

Sendo assim, ao iniciar a sua jornada em Delhi, você já terá a oportunidade de fazer um passeio de rickshaw para conhecer as ruas e os mercados mais antigos da Índia. No Bangla Sahib Gurudwara, maior templo Sikh da cidade, também será possível conhecer a grande área da cozinha, que oferece 10 mil refeições gratuitas diariamente para toda a população.  

Em termos de grandes construções, o Forte Vermelho é um dos destaques, tendo sido construído pelo mesmo imperador que mandou construir o Taj Mahal. Com um estilo semelhante, o Túmulo de Humaium também é uma das principais arquiteturas em Delhi, tendo se tornado o primeiro grande mausoléu que viria a representar a arquitetura mongol na Índia.

O templo hindu de Laxmi Narayan, a torre de Qutab Minar, o Museu de Gandhi e a Porta da Índia também são atrativos imperdíveis em Nova Delhi. 

Mas falando em mausoléus, a segunda parada do roteiro, Agra, possui aquele que é com certeza o mais famoso de todo o mundo: Taj Mahal. Abrindo às 6 da manhã e fechando às 6 da tarde todos os dias exceto sexta-feira, acredita-se que cerca de 4 milhões de pessoas visitam o lugar todos os anos. 

Mas não é só de Taj Mahal que vive Agra, e o seu segundo principal atrativo, o Forte de Agra, é uma mistura de forte e palácio que foi embelezada por diversas gerações de imperadores, tornando-se uma das principais jóias da Índia. 

Por fim, a cidade de Jaipur, conhecida como “cidade cor de rosa”, também possui um forte grandioso em suas proximidades: o Forte Amber, que representa a mistura entre os estilos muçulmano e hindu. O palácio de Hawa Mahal é o cartão-postal da cidade, assemelhando-se a uma estrutura de favo de mel, que apesar de parecer grandiosa por fora, é apenas uma fachada de parte do Palácio da Cidade.  

Existem cinco “Jantar Mantar” na Índia, sendo que o maior deles está em Jaipur. O termo é designado para construções que eram utilizadas como instrumentos astronômicos. Na época, acreditava-se que estudar os movimentos astrológicos permitia prever eventos do destino e do futuro. Hoje, lá ainda é possível assistir a espetáculos de luz narrados que contam a origem e história de Jaipur.

Curiosidades

É conhecida a história de que o Taj Mahal é um mausoléu que foi construído pelo imperador Shah Jahan para a sua esposa Mumtaz Mahal, que morreu após dar à luz ao seu 14º filho. Uma lenda um pouco menos conhecida, porém, é aquela que conta os planos do imperador de construir um Taj Mahal negro para si mesmo, do outro lado do Rio Yamuna, espelhando o Taj Mahal de mármore branco.

Os planos nunca foram adiante, e ao longo do tempo, Shah Jahan passou a ser considerado um comandante “inadequado” para liderar o império mongol. Ele foi preso em uma das torres do Forte de Agra, que tinha vista para o Taj Mahal, e lá permaneceu por oito anos até a sua morte. 

Com tantos atrativos majestosos e grandiosos, você não vai se surpreender ao saber que a Índia é o país com mais Patrimônios Mundiais da UNESCO. São 38 no total. Em comparação, os Estados Unidos têm 23, e o Brasil, 22. 

Agora que você já sabe tudo sobre o Triângulo Dourado, que tal agendar a sua viagem? Para isso, conte com os serviços da Pisa Trekking. Especialistas em ecoturismo, oferecemos várias opções de pacotes para a Índia. Confira todos aqui e tire todas as suas dúvidas com nossos atendentes!

Leia mais textos sobre a Ásia:

Conheça os nossos roteiros!

Assine nossa newsletter e receba nossos roteiros e novos textos do blog

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 313 outros assinantes

Deixe uma resposta