Amazônia ou Pantanal, qual escolher?

A Amazônia e o Pantanal são, possivelmente, os biomas mais “ilustres” de todo o Brasil. Embora os dois mereçam ser visitados, é importante conhecer as principais diferenças entre eles para poder tirar o máximo de cada experiência. Hoje, o Blog Vida ao Ar Livre apresenta as principais diferenças entre Amazônia e Pantanal.

Onde ficam?

A Amazônia é o maior bioma do Brasil, ocupando quase 50% do território nacional. Costumamos associá-la apenas ao estado do Amazonas, mas é importante lembrar que ela também se estende ao Acre, Amapá, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins e parte do Maranhão, além de países fronteiriços como Peru, Venezuela e Colômbia.

São mais de 5 milhões km² com uma biodiversidade praticamente inigualável. A sua flora é composta principalmente por mata de terra firme, mata de igapó - onde há inundação permanente -, e mata de várzea, onde a inundação é periódica. Já a fauna tem alguns representantes expressivos, como a onça-pintada, a arara-vermelha, a sucuri e o boto-cor-de-rosa.

Em contraste, o Pantanal é o menor bioma do país, ocupando apenas 2% do nosso território, uma área comparável ao Ceará. Ainda assim, ele é considerado uma das maiores extensões úmidas contínuas do planeta. Ele está presente principalmente no Mato Grosso e no Mato Grosso do Sul, se estendendo também para a Bolívia e Paraguai.

As plantas hidrófitas, que permanecem em contato constante com a água, representam a maior parte da sua vegetação. Ainda assim, o Pantanal também apresenta árvores de médio e grande porte, típicas da Amazônia, e árvores tortuosas e de baixo porte comuns no Cerrado. Já a sua flora abrange jacarés, onças-pintadas, araras-azuis, ariranhas, tuiuiús, entre diversos outros animais.

  • A importância desses biomas

Tendo em vista as recentes notícias sobre os incêndios no Pantanal e o desmatamento desenfreado na Amazônia, é importante ressaltar a importância desses biomas para o equilíbrio ecológico do planeta. Ambos abrigam ecossistemas de imensurável riqueza, servindo como refúgio para animais sob risco de extinção e espécies endêmicas, estando intimamente interligados. 

Os efeitos da destruição que ocorre lá não se restringem à fauna e flora local. De pouco em pouco, o mundo inteiro sentirá as suas consequências. O turismo pode auxiliar na preservação desses biomas ao arrecadar fundos para a sua proteção, e ao conscientizar a população a respeito do seu valor e das atitudes que é possível tomar para contribuir com tal preservação. 

Melhores épocas para visitar?

A grande vantagem da Amazônia e do Pantanal é que ambos podem ser visitados em qualquer época do ano. O que determina a sua escolha é o tipo de passeio que você deseja realizar em cada um. 

  • Amazônia

A Amazônia está localizada em uma região de clima equatorial, o que significa que, em geral, as suas temperaturas e os seus níveis de umidade são sempre altos. O período de dezembro a maio é considerado o mais chuvoso, com as temperaturas mais amenas, e o período de junho a novembro é o mais seco, com o calor mais intenso.

Mas o que mais influencia os tipos de passeios disponíveis são os níveis dos rios. Entre junho e setembro, a cheia está no seu ápice, sendo a época mais favorável para os passeios pelos rios e igarapés, com canoas e pequenos barcos que navegam na altura das copas das árvores.

Já o período de outubro a novembro é a época da baixa dos rios, e essa é a época mais favorável para quem quer visitar as inúmeras praias de areias brancas que surgem ao longo da floresta, e fazer trilhas e caminhadas. De dezembro a maio o ciclo recomeça, sendo um período de transição enquanto os rios começam a encher gradativamente de novo.

  • Pantanal

No Pantanal, o período de seca vai de maio a setembro, e essa é a melhor época para fazer observação de animais e descobrir a diversidade de vida lá existente. Ao invés de estar totalmente inundada, a planície dá lugar ao campo com algumas poças, onde mamíferos vão para procurar comida ou matar a sede. Nessa época, a temperatura média é de 21ºC.

O período de chuvas, por sua vez, vai de outubro a março, e é então que o Pantanal começa a assumir a forma pela qual ele é mais conhecido. As terras mais baixas são ocupadas completamente por um espelho d’água, e os mamíferos são expulsos pelos jacarés, patos, peixes e cegonhas que chegam. Tudo fica mais verde, e os barcos viram o principal meio de locomoção. Aqui, a temperatura média é de 32ºC.

O que fazer em cada destino?

Embora existam semelhanças entre os dois destinos, a Amazônia e o Pantanal têm especialidades diferentes no que se refere a atividades turísticas.

  • Navegações, hotéis de selva e comunidades ribeirinhas

A Amazônia possui o rio mais extenso do mundo, e a navegação pelos seus afluentes é o principal meio de locomoção para a população local. Não é à toa, portanto, que muitos turistas também busquem viagens com esse enfoque. Através de roteiros como o M/V Desafio, por exemplo, é possível visitar o famoso encontro das águas dos rios Solimões e Negro, avistar e interagir com botos, e visitar as vitórias-régias gigantes.

Na Amazônia, também são famosos os chamados hotéis de selva, como o Uacari Lodge e o Anavilhanas Lodge, construídos de maneira totalmente sustentável e integrada à natureza, proporcionando uma experiência autêntica aos seus hóspedes. Os hotéis contam com guias naturalistas, pesquisadores e ribeirinhos que proporcionam atividades como trilha, focagem noturna, pesca e canoagem, e as instalações dos lugares contam com decks, redários, e restaurantes.

As comunidades ribeirinhas também são alguns dos grandes destaques da região. É possível visitá-las para conhecer o modo de vida local, a sua fonte de sustento, o artesanato e outras facetas culturais regionais. Na Amazônia como um todo, a gastronomia também costuma ser imperdível, contando com frutas e tipos de peixe que você não encontraria em nenhum outro lugar.

  • Observação de animais, pesca esportiva de piranhas e passeio a cavalo

Muitas pessoas acreditam que tanto a Amazônia quanto o Pantanal são bons destinos para a observação de animais, mas por conta da sua floresta alta e densa, essa atividade é bem mais desafiadora na Amazônia, não sendo recomendável ter isso como o foco da sua viagem. Já no Pantanal, por conta do relevo de planície e vegetação mais dispersa, a observação de animais é bem mais favorável. 

Nos safáris fotográficos você sobe em um carro 4x4, e sai em busca dos macacos, cervos, tamanduás, emas, tatus e gaviões, sendo possível avistar até onças-pintadas. Já nas focagens noturnas, você pode encontrar jaguatiricas, antas e lobinhos do mato.

A navegação também costuma ser comum no Pantanal, sendo possível, por vezes, parar para relaxar em uma praia de areias branquinhas, e até tomar um banho no rio. Os barcos costumam contar com motores silenciosos para não espantar os animais. Na região também é comum haver pesca esportiva de piranhas, mas que só pode ocorrer nos meses de março a outubro, para preservar o ciclo de reprodução dos peixes.

Por fim, os passeios a cavalo também costumam ser comuns no Pantanal, tendo em vista que os cavalos conseguem atravessar os brejos e trechos alagados sem muitas dificuldades. Esses passeios podem durar de uma a três horas, dependendo do percurso escolhido. Existem diversas opções de fazendas e lodges que oferecem essas atividades, como a Fazenda Aguapé e a Pousada do Rio Mutum, e que te ajudam a montar o roteiro mais propício para o seu gosto.  

Agora que você já conhece as principais diferenças entre Amazônia e Pantanal, que tal começar a planejar uma viagem? Para tanto, conte com os serviços da Pisa Trekking. Especialistas em ecoturismo, oferecemos várias opções de pacotes para ambos os destinos. Confira todos aqui e aqui, e tire todas as suas dúvidas com nossos atendentes!

Leia mais textos sobre a Amazônia e o Pantanal:

Conheça os nossos roteiros!

Assine nossa newsletter e receba nossos roteiros e novos textos do blog

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 372 outros assinantes

Deixe uma resposta