Dicas para ser um turista sustentável

O turismo sustentável é uma tendência que veio para ficar. Na hora de planejar uma viagem, é preciso considerar como ela poderá impactar os lugares que você irá visitar, e pensar em como minimizar os impactos negativos. Hoje, o Blog Vida ao Ar Livre apresenta algumas dicas para ser um turista sustentável.

Opte pelo slow travel

Talvez você já tenha ouvido falar do slow travel, que se traduz como “viagem lenta”. Esse é um estilo de viagem que preza por experiências mais profundas em uma menor quantidade de lugares, ao invés de experiências mais rápidas em mais lugares. A grande vantagem desse tipo de viagem, em termos sustentáveis, é a diminuição do uso de transportes poluentes.

Assim, com mais tempo nas mãos, você pode optar por uma viagem de trem ao invés de avião, por exemplo. Afinal, viagens aéreas são responsáveis por boa parte da emissão de gases estufa na atmosfera. Além disso, em uma viagem dessas, você também terá mais tempo para conhecer e aprender sobre a cultura local, o que te levará a ser um turista mais consciente e contribuirá para uma experiência mais rica.

Escolha agências e hotéis que se preocupam

O comprometimento com o turismo sustentável começa com o planejamento da viagem. Na hora de contratar o serviço de uma agência, por exemplo, busque saber se ela utiliza o serviço de guias locais, e quais são as medidas que ela adota para minimizar os seus impactos na natureza. Uma simples pesquisa no site da empresa já pode dar sinais sobre os seus princípios e valores.

Faça uma pesquisa similar quando estiver decidindo em que hotel se hospedar. Alguns hotéis contribuem diretamente para a geração de renda da comunidade local, contratando funcionários e comprando produtos que provêm desses lugares. Também é importante verificar se existe um sistema de tratamento de esgoto, programas de reciclagem, ou até geração de energia por fontes alternativas, como a solar. 

Apoie o comércio e o artesanato locais

Durante uma viagem, costumamos estar abertos a novas experiências. Aproveite esse estado mental, então, para deixar de lado as grandes redes de restaurantes cujo menu você já conhece de cor, e aproveite para comer em restaurantes locais familiares, por exemplo. Siga a mesma lógica quando for comprar presentes e souvenirs. 

Sobre esse aspecto, é preciso prestar um pouco mais de atenção. Em destinos mais populares, existem lojas de souvenirs que vendem produtos chineses que imitam trabalhos locais. Embora esses produtos possam parecer mais atrativos por serem mais baratos, eles não estimulam o artesanato local, que costuma ser um pouco mais caro, mas que promove impactos positivos bem maiores. 

Por fim, não apóie o comércio que se baseia no tráfico e na caça de animais silvestres. Existem diversos souvenirs feitos com penas de aves, conchas, marfim, cascos de tartaruga e peles de outros tantos animais. Esse é um mercado ilegal que contribui para o desaparecimento de diversas espécies. 

Diga não ao plástico

Talvez você já tenha ouvido falar da Grande Ilha de Lixo do Pacífico, que ocupa uma área de mais de 700 km² e é composta principalmente por plásticos provenientes das costas marítimas. Garrafas e sacos de plástico demoram mais de 400 anos para se decompor, mas esses mesmos produtos, feitos de materiais biodegradáveis, demoram apenas alguns meses.

Seja parte da solução e prefira usar garrafas reutilizáveis ou squeezes, canudos também reutilizáveis ou biodegradáveis (ou, então, beba direto do copo) e, na hora de fazer as compras, leve as suas próprias sacolas de tecido. 

Respeite as pessoas e a natureza

Respeitar a cultura do lugar que você está visitando não é apenas um gesto de educação, consideração e gentileza. Muitas vezes, ao observarem que os turistas apreciam e valorizam a cultura local, as pessoas que moram nesses lugares se sentem mais motivadas a cultivarem suas origens, valorizarem o seu próprio povo e a preservarem as suas belezas naturais.

E falando em natureza, é importante também demonstrar respeito pela vida selvagem. Evite participar de atividades como nado com golfinhos, passeios em camelos e elefantes, ou fotos com tigres, por exemplo. E quando estiver em um trekking na natureza, por exemplo, não retire nem reintroduza plantas ou animais a esse ecossistema. Apenas observe e aprecie de longe. 

Agora que você já sabe como ser um turista sustentável, que tal aplicar os seus conhecimentos em um dos roteiros oferecidos pela Pisa Trekking? Especialistas em ecoturismo, oferecemos várias opções de pacotes para todo o mundo. Encontre o melhor para você aqui e tire todas as suas dúvidas com nossos atendentes!

Leia mais textos sobre turismo sustentável:

Conheça os nossos roteiros!

Assine nossa newsletter e receba nossos roteiros e novos textos do blog

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 356 outros assinantes

Um Comentário em: “Dicas para ser um turista sustentável

  1. Eu adorei o texto!

    Vou aderir ao show travel. E também achei interessantíssimo a informação sobre a ilegalidade de conchas e demais, não tinha conhecimento sobre isso.

Deixe uma resposta