Dica de Viagem: Os melhores destinos para fazer safári na África

Quando pensamos em África, uma das primeiras coisas que lembramos são os animais. E, de fato, do Saara para baixo, biodiversidade é o que não falta. Felizmente, com o tempo a caça passou a ser combatida, e o turismo cresceu, fazendo nos curvar às belezas do reino animal. O fascínio é tanto que os safáris contam com ótima infraestrutura hoteleira e logística na hora de ir procurar os animais. Também, não estamos falando de qualquer gatinho. São feras grandiosas que ostentam beleza e demandam respeito. Por isso, se você sempre sonhou em estar diante dos seres mais soberbos da natureza, hoje, o Blog Vida ao Ar Livre separou uma lista com os principais países para fazer safári na África.

 

Não é mistério para ninguém que o continente africano seja rico em vida animal. Tanto é que os antigos exploradores criaram a denominação “Big 5” para se referir àqueles mais difíceis de serem caçados. Hoje em dia, os animais são os mesmos de antes, mas os termos passaram a se referir àqueles mais difíceis de serem vistos: leões, leopardos, elefantes, búfalos e rinocerontes. E mesmo que este último esteja em grave processo de extinção, com o número de indivíduos diminuindo a cada ano, Botswana é um dos países em que você ainda poderá encontrar a lista completa dos cinco grandes.

Para isso, os principais lugares são o Parque Nacional de Chobe (principalmente para quem ama elefantes, que surgem em massa de agosto a outubro) e o Delta de Okavango. O segredo é que são dois lugares com grandes áreas alagadas, para onde os animais vão para se refrescar na estação da seca. E caso você não saiba onde exatamente fica Botswana, você vai se surpreender quando descobrir que ele não é banhado por nenhum mar ou oceano! Por isso, é preciso destacar a exuberância do maior delta interno do mundo. Toda água que chega do rio Okavango “morre” em uma imensa planície, para que se faça vida na região. Não à toa, o delta é Patrimônio Mundial da UNESCO e considerado uma das Sete Maravilhas da África.

Para os que desejam vivenciar ainda mais a experiência local, é possível fazer um safári fotográfico em Mokoro, uma canoa extraída do tronco do ébano, que os nativos usam para se transportar pela região.

safári em botswana

 

  • Quênia

No Quênia, os Big 5 também estarão presentes. No entanto, o grande espetáculo fica por conta da migração anual de gnus e zebras entre julho e outubro. Especialmente quando cruzam o rio Mara, dentro da Reserva Nacional de Masai Mara. Isso também atrai uma série de predadores, como os crocodilos, leões e leopardos, que apresentam o lado mais feroz do mundo animal.

Se preferir um programa mais tranquilo, outra migração que acontece pela região são as das aves, principalmente dos flamingos, no Lago Navaisha. Não se esqueça da câmera, para sair de lá um expert em todos os movimentos de voo e pouso.

safári no quênia

 

  • Ruanda

Tanto no Quênia quanto em Botswana, a maioria dos deslocamentos são feitos em carros 4×4. Já em Ruanda, as pernas serão suas melhores amigas. Isso porque o grande atrativo do país é o trekking pelo Parque Nacional dos Vulcões em busca dos raros gorilas da montanha. O caminho é longo, podendo durar até 8 horas, mas só esse isolamento poderia protegê-los do resto do mundo. Ainda assim, caças, doenças e guerras os colocam na lista de animais em alto risco de extinção.

Falando em guerras, antes de se embrenhar na mata, não deixe de passar pelo Memorial do Genocídio, em Gisozi, e se não conhecia, ouvir as histórias e marcas de um dos massacres mais terríveis da história humana. Por tudo isso, mesmo sendo um dos roteiros mais curtos da África, Ruanda talvez seja o mais poderoso e tocante de todos.

 

  • Tanzânia

Agora que você já passou pelo Quênia, podemos conhecer de onde partem todos os gnus: do outro lado do Rio Mara, no Parque Nacional de Serengeti, que no idioma Masai significa “Grande Planície”. E não é à toa, já que os 40 mil km² são recobertos por gramíneas perfeitas para antílopes, zebras e, é claro, gnus. Mas a área é também lar dos Guerreiros Masai, povo nômade conhecido por se deslocar pelos parques de caça com suas vestimentas vermelhas.

Mas na Tanzânia, toda a vida animal divide espaço com estupendas paisagens naturais. A cratera de Ngorongoro foi caldeira de um vulcão gigante, hoje inativo e coberto inteiramente por um santuário de plantas e animais. Um outro lugar também pouco explorado no país é a ilha Zanzibar, cujas praias intocadas só não relaxam mais do que suas águas azuis turquesas e transparentes.

Se já não fosse o bastante, é também no país onde fica o ponto mais alto da África: o Monte Kilimanjaro, a 5.895m sobre o nível do mar. Uma subida selvagem, longa e renovadora.

safári na tanzânia

 

  • África do Sul

Um destino clássico, mas que tem ganhado maior notoriedade depois da Copa do Mundo de 2010, a África do Sul também tem seus grandes safáris, onde é inclusive possível encontrar os Big 5. O mais famoso e um dos mais antigos do mundo é o que fica no Parque Nacional Kruger. São 20mil km² que se estendem até a fronteira com Moçambique.

Agora, se depois de tanto leão, ele já tiver virado gatinho na sua câmera, convidamos você a passar pela praia de Boulders, e contemplar o banho de sol de uma avezinha bem inusitada para a África: os pinguins. São mais de 2mil pinguins em vias de extinção, que você poderá observar de um deck ou até chegar mais pertinho na beira da praia. Só não vale encostar!

safári na áfrica do sul

Vale destacar que viajando com a Pisa Trekking em todos os destinos citados você será acompanhado por um guia que fala inglês ou espanhol, além de contar com toda infraestrutura de transfers, entradas nos atrativos, seguro viagem e, claro, com os melhores lodges e hotéis para descansar depois de um dia de aventura.

E ah, antes de comprar suas passagens, é importante lembrar que a maioria destes destinos exige vacina contra febre amarela. Para isso, é preciso emitir o Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP). Saiba como aqui. Além disso, você também estará exposto a algumas outras doenças, como a malária e hepatite. Confira aqui as orientações que a Anvisa dá para cada destino.

Por fim, vá como turista, mas não dê uma de turista. Evite portar roupas e artigos chamativos em um safári na África. Nunca se sabe como os animais podem reagir a algo brilhante ou de cor muito forte. Em contrapartida, tudo é muito seguro dentro dos carros, e as suas fotos estarão garantidas! As lembranças, então, nem se fala. E para você só ter que se preocupar com o clique da máquina, confira aqui os pacotes que a Pisa Trekking oferece. Converse com nossos atendentes e conheça a África de forma segura e cômoda!

 

Leia outros textos sobre África:

Deixe uma resposta