Dica de Viagem: O que fazer e qual fazenda escolher no Pantanal?

Já pensou em fazer um safári fotográfico de jacarés e onças-pintadas? Ou quem sabe um passeio de barco enquanto os mais variados tipos de cardumes passam ao lado? Ou então subir em um cavalo e manejar o gado como um verdadeiro peão? Pois bem, se alguma dessas atividades aceleram um pouquinho o coração, você precisa conhecer o Pantanal. E para te ajudar nisso, hoje, o Blog Vida ao Ar Livre mostra o que fazer e qual fazenda escolher no Pantanal.

O que fazer no Pantanal?

Antes de qualquer coisa, é preciso dizer que para ter uma experiência mais autêntica, a melhor forma de conhecer o Pantanal é se hospedando nas fazendas, refúgios e lodges da região. Cada uma delas à sua maneira mantém projetos ecológicos e de preservação do ecossistema. Isso sem contar que acordar todo dia com a natureza da janela e ser servido com comida típica pantaneira é um luxo sem igual!

Por isso, todas as atividades que descrevermos a seguir terão uma legenda ao final dizendo onde você poderá desfrutar delas!

  • Safári fotográfico:

E nada melhor do que começar essa seleção se não com os animais. O percurso até cada uma das fazendas já é biodiverso por si só, mas são os safáris fotográficos que te levarão para os “points” certos.

Suba em um carro 4x4 aberto e adaptado para o passeio, e aí é procurar pelos macacos, cervos, veados, tatus, tamanduás, araras, tucanos, garças, tuiuiús, gaviões, emas, anhumas, colhereiros e as inúmeras outras espécies da região.

Além disso, conforme aproveitamos as 3h (em média) de passeio, a multiplicidade de paisagens comprova quão diverso é o Pantanal. Em questão de minutos, passamos de campos, para cerrado, para terrenos alagados e, enfim, corixos.

Onde fazer? Fazenda Aguapé, Fazenda 23 de Março, Fazenda San Francisco, Refúgio Caiman, Barra Mansa Lodge, Araras Eco Lodge e Pousada do Rio Mutum.

  • Focagem noturna:

E se um passeio não foi bastante, você pode reencontrá-los, quer dizer, descobrir novas espécies. Isso porque alguns animais, como jaguatiricas, lobinhos e antas, têm hábitos noturnos. Outros já velhos conhecidos ganham contornos soturnos, como os jacarés cujos olhos refletem um vermelho intenso.

Na maior parte das fazendas, esse roteiro será feito de carro com a ajuda de uma lanterna para enxergar melhor os animais. Aliás, na Fazenda Aguapé ou na Barra Mansa Lodge, dependendo do horário do pôr-do-sol, você pode conjugar o passeio com o safári diurno.

Já na Pousada do Rio Mutum, a aventura poderá ser feita também de barco, o que dá um ponto de vista completamente diferente do Pantanal.

Onde fazer? Fazenda Aguapé, Fazenda 23 de Março, Fazenda San Francisco, Refúgio Caiman, Barra Mansa Lodge, Araras Eco Lodge e Pousada do Rio Mutum.

  • Passeio de barco/canoa:

Falando em barcos, uma outra opção é explorar a fauna em passeios diurnos pelas águas pantaneiras. Nas Fazenda Aguapé, Pousada do Rio Mutum e Barra Mansa Lodge, você pode avistar ariranhas, raias e cardumes de peixes pequenos em um barco a motor.

Dependendo de onde se hospedar, o passeio pode levar até 3h e acomoda até seis pessoas. No caso do Barra Mansa Lodge, vale destacar que os barcos são equipados com motores de popa e motores elétricos silenciosos, que facilitam a aproximação aos animais. Aliás, em algumas fazendas, você também poderá relaxar nas praias de areia branca ou mesmo tomar um banho de rio. Verifique em quais isso é possível com seu consultor Pisa Trekking.

Para um passeio mais silencioso, você pode optar por uma canoa. Na Pousada do Rio Mutum, a aventura começa logo cedo, às 4h30 da manhã, para pegarmos o despertar da natureza. Em outras, como a Araras Eco Lodge e a Fazenda San Francisco, a mata ciliar com árvores centenárias e os cantos dos pássaros já fazem o dia.

Nas duas modalidades, você será acompanhado por guias experientes e que conhecem muito da fauna e flora. Mas existe também uma terceira opção mais próxima das imediações do Barra Mansa Lodge e do Refúgio Caiman, onde você pode remar por conta própria em uma canoa canadense. Acomodando de duas a três pessoas, sua condução é fácil e não exige experiência prévia.

Onde fazer? Fazenda Aguapé, Fazenda San Francisco, Refúgio Caiman, Barra Mansa Lodge, Araras Eco Lodge e Pousada do Rio Mutum.

  • Pesca esportiva de piranhas:

Bom, e já que estamos falando de animais e água, uma atividade bastante tradicional, que foi com o tempo adaptada para que a espécie pudesse ser preservada é a pesca esportiva de piranhas.

Na verdade, não dá para saber o que a isca vai atrair e muito comumente traíras, mandis, lambaris e piaus engancham no anzol. Mas a piranha é, com certeza, o peixe que desperta mais fascínio até pela fama de feroz que ela tem. E é por isso que o passeio é todo monitorado, porque mesmo depois de fisgado ela ainda pode morder.

Vale lembrar que a pescaria no Pantanal é permitida apenas entre os meses de março e outubro. Fora disso, é época de Piracema, ou reprodução. Para preservar os peixes e resguardar a pesca de subsistência e garantir a diversão das gerações futuras, programe-se para viajar no período certo.

Aliás, se você ainda não percebeu, jacaré não faltará. E muitos deles estarão à espreita sedentos pelo trabalho dos pescadores. Para isso, você pode aguardar o show de alimentação dos jacarés na Pousada do Rio Mutum e se sentir ainda mais perto do mundo selvagem.

Onde fazer? Fazenda Aguapé, Fazenda 23 de Março, Fazenda San Francisco, Barra Mansa Lodge, Araras Eco Lodge e Pousada do Rio Mutum.

  • Caminhada nas trilhas pantaneiras:

Agora, se a ideia é ter contato com a vegetação, nada melhor do que se embrenhar na mata através de algumas trilhas. Junto com guias, conheceremos as espécies e a importância do ecossistema pantaneiro conforme passamos por cordilheiras, campos abertos, matas ciliares e matas fechadas.

Cada fazenda terá suas trilhas, de duração que varia de 1h30 a 4h. E tanto para minimizar o impacto no meio ambiente, quanto para evitar trechos tomado pela época das chuvas, em algumas fazendas, os percursos são revezados com o decorrer do ano. Mas todos estão convidados, independentemente da idade, a conhecer o Pantanal de um modo mais intimista.

Nas Fazenda 23 de Março e Refúgio Caiman, existem também tours pelos arredores das sedes. Na fazenda, você observa capivaras no açude, entende o trabalho genético da ovinocultura, visita o galpão dos peões e casa de arreios e conhece a história da fundação da fazenda. Já no refúgio, passamos pela base do Projeto Arara Azul que, entre outras coisas, promove a preservação da espécie; pelo Centro de Interpretação Ambiental, onde conheceremos os detalhes e curiosidades do Pantanal; e pelo ponto de observação de jacarés.

Onde fazer? Fazenda Aguapé, Fazenda 23 de Março, Fazenda San Francisco, Refúgio Caiman, Barra Mansa Lodge, Araras Eco Lodge e Pousada do Rio Mutum.

  • Passeio a cavalo:

E para encerrar, uma última forma de explorar o Pantanal é montado em um cavalo. Mas calma, se você tem receio de subir neles, saiba que eles são bem dóceis, os arreios são confortáveis e foram projetados para longas jornadas, tudo será feito com a supervisão de um guia experiente e, em algumas fazendas, você pode até definir o tamanho do percurso. O passeio levará de 1h30 a 3h e pode ser feito até em épocas de cheia, já que os cavalos são capazes de cruzar brejos e trechos alagados de água.

Na Fazenda 23 de Março, o cavalo pode ser inclusive transporte para um passeio de observação de pássaros. Aqui, você faz paradas em pontos estratégicos, quando não mirantes suspensos, e identifica as espécies mais inusitadas com a ajuda de um guia de aves. Se preferir, também é possível se deslocar a pé ou de jipe.

Em outras fazendas, como a Aguapé, a San Francisco, a própria 23 de Março ou o Barra Mansa Lodge, você irá cavalgar junto com locais e ter um dia de pantaneiro. Além da paisagem, você conhecerá os hábitos nas lidas com o gado, o linguajar e histórias desses trabalhadores e se sentirá praticamente um Antônio Fagundes de cima de seu cavalo. Vale dizer que, dependendo do serviço do dia, você precisará de alguma experiência no galope, mas para se programar, você pode combinar tudo com seu consultor da Pisa.

Se mesmo com todas essas oportunidades, montar em um cavalo não for do seu feitio, na Fazenda Aguapé há a opção de fazer os percursos de charrete. Os acessos são os mesmos e você ganha um bônus de conforto para contemplar a vista.

Onde fazer? Fazenda Aguapé, Fazenda 23 de Março, Fazenda San Francisco, Barra Mansa Lodge, Araras Eco Lodge e Pousada do Rio Mutum.

Agora que você já sabe um pouco do que pode fazer no Pantanal, falta só reservar a passagem. Quer dizer, antes disso, saiba que com os 150.000km² em território nacional, o bioma é dividido entre Pantanal Norte (Araras Eco Lodge e Pousada do Rio Mutum) e Pantanal Sul (Fazenda Aguapé, Fazenda 23 de Março, Fazenda San Francisco, Barra Mansa Lodge e Refúgio Caiman). Isso é importante porque a forma para chegar em cada uma delas é diferentes. Saiba um pouco mais neste texto aqui.

Com isso certo, agora sim é fazer o check-in e relaxar. E para ter uma experiência confortável e segura, conte com os serviços da Pisa Trekking. Especialistas em ecoturismo, nós oferecemos diversos pacotes para você conhecer o Pantanal de norte a sul. Confira todos do Pantanal Sul aqui e do Pantanal Norte aqui, tire todas as suas dúvidas com nossos atendentes e boa aventura!

 

Leia outros textos sobre o Centro-Oeste do Brasil:

Conheça nossos roteiros!

Assine nossa newsletter e receba nossos roteiros e novos textos do blog

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 275 outros assinantes

Deixe uma resposta