Dica de Viagem: Tudo sobre a Nova Zelândia

A Nova Zelândia é um sonho para quem curte ecoturismo e turismo de aventura. Com praias, picos nevados, vulcões, gêiseres e glaciares, o país é um destino inesgotável para atividades na natureza, embora o seu tamanho não seja lá muito impressionável. Quer descobrir por que esse lugar já foi cenário de tantos filmes? Hoje, o Blog Vida ao Ar Livre te conta tudo sobre a Nova Zelândia.

Onde fica a Nova Zelândia?

Localizada na Oceania, a 1.700km da costa leste da Austrália, a Nova Zelândia tem cerca de 270.000km² de área. Apesar de o seu tamanho ser semelhante ao do Japão, a Nova Zelândia tem uma população quase 30 vezes menor, que conta com apenas 4 milhões de pessoas. O fuso horário entre Brasília e a Nova Zelândia tem uma diferença de +13 horas.

Auckland é a maior cidade do país, e também o seu centro econômico e financeiro. Por conta de sua abundância em oferta de empregos, oportunidades educativas e opções de lazer, ela abriga 31% da população. Lá está presente a Sky Tower, torre de observação e comunicação que virou símbolo da cidade. Mas essa não é a capital do país: a cidade que recebe esse título é Wellington, também conhecida como a capital “mais ao sul” do mundo. 

Como ir para a Nova Zelândia?

A Nova Zelândia possui cinco aeroportos que recebem voos internacionais. Os aeroportos de Auckland e de Christchurch são os únicos que atendem a voos provindos diretamente de países não pertencentes à Oceania; os demais, de Wellington, Queenstown e Dunedin, recebem apenas voos que passam pela Austrália

O Aeroporto de Auckland, o mais movimentado de todos, fica a apenas 15 km do centro da cidade. Esse trajeto pode ser feito em pouco mais de 20 minutos com ajuda dos táxis e shuttles que ficam à disposição no aeroporto. Às vezes, porém, o trânsito local pode fazer com que esse tempo aumente consideravelmente. 

Diversas cidades brasileiras, como Curitiba, Brasília e Porto Alegre, oferecem voos para a Nova Zelândia, mas a rota por São Paulo é, certamente, a mais popular. Em média, a duração de um voo para o país é de 20 horas, e as escalas, que sempre são no mínimo duas, geralmente se dão em Santiago (Chile) e Melbourne ou Sydney (Austrália). 

Qual a melhor época para ir para a Nova Zelândia?

O clima da Nova Zelândia é extremamente variado, e é possível que você chegue a experimentar as quatro estações do ano em um dia só! Isso significa que qualquer época do ano é uma época favorável para visitar a Nova Zelândia. Para decidir a melhor época para visitar a Nova Zelândia, portanto, você deve considerar o propósito da sua viagem. 

O outono é a estação mais “quieta”, e as cores nos tons de laranja tornam tudo uma verdadeira obra de arte, sendo uma boa opção visitar os jardins botânicos e parques nessa época. Já no inverno, as atividades de maior sucesso são esqui e snowboarding, e apesar de as temperaturas ficarem por volta dos 8ºC e a neve não ser extremamente abundante, as estações de ski ficam lotadas. Na primavera, os dias são imprevisíveis: eles podem ser frios como no inverno, ou quentes como no verão. O ponto positivo dessa estação é que as paisagens estão mais coloridas, e os preços ainda baixos.

Ainda assim, a maioria das pessoas prefere, invariavelmente, ir durante o verão, quando as temperaturas ficam entre os 21ºC e 25ºC e a chuva não aparece. A vantagem é que atividades como trekking, surf, kayaking e snorkeling são favorecidas. A desvantagem é que as atrações turísticas ficam muito mais cheias e os preços sobem. 

Principais atrativos da Nova Zelândia?

Apesar do seu tamanho, na Nova Zelândia não faltam atrações turísticas para fazerem você pensar que esse é o paraíso do ecoturismo. O país está dividido em Ilha Norte e Ilha Sul, com o Estreito de Cook entre elas. Cada qual possui suas próprias especialidades, e mesmo que seja possível explorar ambas regiões em pouco tempo, você deve considerar suas diferenças para encontrar o roteiro ideal para você.

  • Ilha Norte

A Ilha Norte é famosa pelo seu esplêndido litoral, com praias de areias branquinhas, águas mornas e perfeitas para o nado e para o surf. Na região da Península de Coromandel, está localizada a Cathedral Cove, provavelmente a mais famosa formação geológica da Nova Zelândia, e que pode ser acessada a pé ou por kayak. 

No interior da ilha, estão localizados os hotspots geotermais. A região faz parte do Círculo de Fogo do Pacífico, que recebe esse nome por conta de sua intensa atividade vulcânica e sísmica. Nas proximidades da cidade de Rotorua, você encontra gêiseres de 30m, como é o caso de Pohutu, e outras tantas piscinas de lama borbulhante. 

Lá, a presença da cultura Maori também é evidente: esse povo, provindo da Polinésia, habita a Nova Zelândia há mais de mil anos, e hoje você pode conhecer um pouco mais sobre a sua história através das suas vilas, da sua arte, em forma de tecelagem e entalhe, e da sua gastronomia. 

Outros atrativos que levam as pessoas a explorarem a Ilha Norte são os cenários dos filmes Senhor dos Anéis, onde casas construídas no estilo hobbit podem ser encontradas no Hobbiton Movie Set, na cidade de Matamata. Já a noroeste desse local, na cidade de Waitomo, cavernas tomadas por larvas que brilham no escuro, também chamadas de Glowworm Grottos, são o que chamam a atenção dos turistas.

Os principais centros urbanos do país estão na Ilha Norte. Cidades como Auckland e Wellington contam com uma vida cultural agitada, e apresentam alguns atrativos imperdíveis, como os seus belos portos.  

  • Ilha Sul

Se a Ilha Norte já parecia um destino insuperável em belezas naturais, saiba que a Ilha Sul é geralmente considerada ainda mais bonita. Apesar de também apresentar um litoral charmoso, são as montanhas e os fjords que fazem a sua fama. Aqui você encontra os chamados “Alpes do Sul”, uma cordilheira que corta a ilha de norte a sul, dividindo-a em dois. Lá está localizado o ponto mais alto do país: o Monte Cook/Aoraki.

No meio dos fjords, você encontra paisagens como Milford Sound e Mitre Peak, onde os imponentes e afiados picos das montanhas são refletidos nas águas azuis que as rodeiam. Essas localidades podem ser acessadas por terra, mas se você quiser ter uma melhor noção das suas dimensões, os passeios por barco são ideais. Com alguma sorte, você poderá até avistar golfinhos e focas. 

Seguindo essa cordilheira, também é possível encontrar glaciares, como o Fox Glacier e o Franz Josef. Nessa região da ilha, pedras verdes, as famosas greenstones, são encontradas em abundância, sendo possível esculpir o seu próprio pingente em galerias locais. Outros lugares, como Lake Tekapo, são perfeitos para a observação de estrelas e galáxias em noites claras, e também contam com paisagens impressionantes, com águas turquesas e lavandas lilás que emolduram o lago. 918

A Ilha Sul é mais “agrícola” do que a Ilha Norte, sendo Christchurch a sua maior cidade. Ainda assim, vale a pena visitá-la por sua arquitetura, de típico estilo inglês, e jardins botânicos, considerados os melhores do país. Já cidades menores, como Queenstown, são centros de atividades de aventura, oferecendo skydive, bungee jumping, trekking, canyon swing, safari, rafting, dentre outras atividades.

 

  • Trekkings

O trekking é, sem dúvida, uma das atividades mais populares na Nova Zelândia, sendo que os roteiros mais populares estão concentrados na Ilha Sul. A subida do Mount Cook, por exemplo, é indispensável para quem quer ter uma visão mais abrangente da ilha. Com 3.754m, o terreno não tem um caminho definido e é coberto de gelo e pedras; por isso, a utilização de crampons geralmente é necessária. 

O trekking Queen Charlotte é um dos mais famosos da Ilha Sul, e envolve uma caminhada de 71km na região de Marlborough Sound, beirando praias e bosques. O percurso começa em Ship Cove, uma área histórica muito frequentada por James Cook, e termina em Anakiwa

Já o trekking no Vale Hollyford se dá no Fiordland National Park, e tem apenas 41km de extensão. Também passando por paisagens de natureza intocada e pela ponte suspensa mais longa do parque, o percurso tem um trecho de navegação pelo Rio Hollyford até o Lago McKerrow, onde é possível avistar golfinhos nariz-de-garrafa. Essa é uma ótima oportunidade de se encantar com as belezas neozelandesas.

Por fim, na Ilha Norte, o trekking de destaque é a travessia do Monte Tongariro, com extensão de 19km e duração de 7 a 9 horas. Apesar de o primeiro trecho ser mais plano e possuir um caminho demarcado, o segundo trecho é íngreme, em terreno vulcânico acidentado. Montanhas nevadas e lagos de azul turquesa enfeitam a paisagem ao redor, tornando essa uma das mais belas trilhas da Nova Zelândia.

Onde ficar na Nova Zelândia?

A Nova Zelândia recebe centenas de milhares de turistas todo ano, todos com um perfil e objetivo diferente. Como consequência disso, as opções de acomodação no país buscam refletir essa diversidade. 

Para os mochileiros que visitam o país, geralmente quartos compartilhados em lodges ou hostels dão pro gasto. Esses quartos abrigam de 4 a 6 pessoas, e apesar de não oferecem muita privacidade, eles são de boa qualidade e o baixo custo faz com que você se preocupe apenas com os gastos nas atividades que pretende fazer fora do hostel. 

Já para as pessoas que podem gastar um pouquinho mais numa acomodação com mais comodidade, é possível obter quartos privativos nesses mesmos lodges e hostels, com duas camas ou cama de casal, e banheiro compartilhado. Outra opção é se hospedar em redes internacionais de hotéis, como o Ibis em Rotorua, Christchurch e Wellington. Em Auckland, um hotel ideal para um turismo de três estrelas é o Auckland City Hotel, que oferece quartos privativos com banheiro e cozinha, e tem ótima localização. 

E quem pode investir em uma estadia mais luxuosa? Bem, as opções também são muitas. Em Auckland, por exemplo, dois hotéis se destacam para o turismo de quatro estrelas: o Copthorne Hotel e o SkyCity Hotel. O primeiro, com sua estrutura imponente, oferece quartos com TV de tela plana, isolamento acústico e vista para o Porto Waitemata. Já o segundo, localizado no centro financeiro de Auckland, está ao lado da Sky Tower e do SkyCity Casino, que oferece entretenimento ao vivo 24 horas por dia. 

Agora que você já sabe tudo sobre a Nova Zelândia, que tal começar a planejar uma viagem? Para fazer isso, conte com os serviços da Pisa Trekking. Especialistas em ecoturismo, oferecemos várias opções de pacotes para a Nova Zelândia. Confira todos eles aqui, tire todas as suas dúvidas com nossos atendentes e boa viagem! 

Leia mais textos sobre paraísos do ecoturismo:

Conheça nossos roteiros!

Assine nossa newsletter e receba nossos roteiros e novos textos do blog

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 307 outros assinantes

Deixe uma resposta