Tudo o que você precisa saber sobre o Trekking no Vale do Pati

Considerado um dos trekkings mais bonitos do Brasil, o Vale do Pati está situado no coração da Chapada Diamantina, e é um dos passeios mais indicados para quem quer mergulhar na beleza baiana e conhecer mais da história da região, que evoluiu em sincronia com o ecoturismo. Se você é trekker, mas ainda não fez essa travessia, está na hora de você conferir tudo o que você precisa saber sobre o Trekking no Vale do Pati.

Onde fica e como chegar ao Vale do Pati?

O Vale do Pati está localizado bem no centro da Chapada Diamantina, que por sua vez está localizada no centro da Bahia, a cerca de 5 horas de distância de carro da capital do estado, Salvador. Ao seu redor, existem várias pequenas cidades turísticas que contam com suas próprias belezas culturais e naturais, como Mucugê, Ibicoara, Lençóis e Andaraí.

A paisagem é de mata densa durante grande parte do trajeto, permeada pelos imponentes planaltos rochosos típicos da região. Em alguns momentos, a Mata Atlântica é substituída pelo cerrado e pela caatinga, com campos planos e extensos, mas que em quase nada se assemelham aos arredores da reserva, onde os cactos e a seca predominam.

Para chegar ao Vale do Pati, é possível escolher entre diversas opções de acessos. Algumas delas são o Beco do Guiné, em Mucugê, o Bomba, no Vale do Capão, e a Ladeira do Império, em Andaraí. O trajeto mais comum é chegar pelo Bomba e sair pela Ladeira do Império, chegando de carro até essas cidades e depois continuando a pé até o começo da trilha.

Uma vez lá dentro, o mais indicado é permanecer com um guia local. Ir por conta própria só é indicado para trekkers experientes e que conhecem bem os trajetos da região, que podem contar com várias bifurcações.

Melhor época para visitar o Vale do Pati?

O Pati pode ser visitado o ano todo, faça sol ou faça chuva. Por conta das mudanças climáticas e das características naturais da região, está se tornando, inclusive, difícil de prever o clima de maneira exata, tendo em vista que as oscilações de temperatura e umidade são frequentes.

Ainda assim, é importante saber que a estação de seca é de abril a outubro, e a estação de chuvas é de novembro a março. Cada uma conta com vantagens próprias: as chuvas deixam as cachoeiras mais volumosas, mas podem atrapalhar o trekking. Já na seca, a paisagem pode não parecer tão impressionante, mas a caminhada com certeza se torna mais confortável.

O que fazer no Vale do Pati?

O trekking no Vale do Pati não é um passeio indicado para pessoas que pretendem fazer uma visita curta à Chapada Diamantina, tendo em vista que os roteiros mais comuns costumam durar de três a cinco dias, com aproximadamente 15 km de caminhadas diárias, sempre com muitas subidas e descidas.

Os roteiros com durações diferentes também costumam seguir por caminhos diferentes, embora existam alguns atrativos principais que são contemplados por todos. Esses atrativos incluem o Mirante do Pati, que apresenta a visão clássica da entrada do vale, seguido pela descida da Rampa, uma trilha bastante íngreme e acidentada; a Cachoeira dos Funis, localizada em uma área antiga de garimpo e que possui uma grande piscina natural; o Cachoeirão, de 270 metros e que pode ser visitada por cima e por baixo; a Gruta do Castelo, uma enorme gruta de quartzito localizada no topo da Serra da Lapinha; e as Gerais do Vieira e do Rio Preto, duas áreas planas extensas cortadas de norte a sul pelo Rio Preto.

As caminhadas são longas e exigentes - sendo necessário carregar mochila contendo roupas e demais equipamentos de trilha, uma vez que por lá não é possível passar carros -, e que se torna mais pesada quanto maior for a quantidade de dias de trilha. Assim, o roteiro não é indicado para pessoas sedentárias ou inexperientes em longas caminhadas. 

Porém, a graça do passeio é justamente essa: caminhar pelo interior baiano, que mudou muito desde que a área se tornou uma unidade de conservação, expulsando as atividades de garimpo e de cultivo de café, e permitindo que a vegetação original voltasse a florescer. Em todos os roteiros, os rios e cachoeiras também estão presentes de montão, oferecendo oportunidades de deixar as pernas de molho um pouco após tanto esforço.

Onde se hospedar no Vale do Pati?

Uma das grandes vantagens e peculiaridades do Vale do Pati é que os pernoites ocorrem nas casas dos moradores locais. Alguns até já se tornaram personalidades ilustres entre os viajantes, como o Seu Wilson, dono de uma singela pousada, a Dona Raquel, em cuja casa acontece um famoso forró com sanfona de primeira, a Dona Leia e o Seu Aguinaldo.

Nelas, é possível esperar cafés-da-manhã e jantares caseiros e excelentes, além de muita hospitalidade e histórias sobre o passado da região. Quando o Parque Nacional da Chapada Diamantina foi instaurado, muitos moradores, afinal, tiveram que procurar no turismo uma nova forma de sustento, já que as atividades extrativistas não eram mais permitidas. 

Algumas casas aceitam camping, mas a hospedagem mais comum se dá nos quartos coletivos com beliches e camas de solteiro, com os viajantes compartilhando o sono e as experiências vividas no dia.

O que levar para o Vale do Pati?

Para fazer uma travessia confortável, alguns itens básicos são necessários, como mochila de pelo menos 30 litros, capa de chuva, bota ou tênis previamente amaciado, pares de meias apropriadas para evitar bolhas, roupa de banho, chapéu ou boné com proteção para pescoço e rosto, filtro solar, repelente de insetos, kit de higiene pessoal e medicamentos de uso pessoal, tendo em vista que no Pati não há farmácias.

A roupa para o dia a dia deve ser, primeiramente, leve e confortável. Ainda assim, mesmo que esteja quente, é uma boa pedida sempre levar uma camisa de manga comprida para se proteger do sol. Também é importante lembrar de levar sacos de lixo, para não deixar resíduos para trás, e avaliar a opção de levar um bastão para auxiliar na caminhada.

Agora que você já conhece tudo o que você precisa saber sobre o Trekking no Vale do Pati, que tal agendar a sua viagem? Para tanto, conte com os serviços da Pisa Trekking. Especialistas em ecoturismo, oferecemos várias opções de pacotes para a Chapada Diamantina. Confira todos aqui e tire todas as suas dúvidas com nossos atendentes!

Leia mais textos sobre a Chapada Diamantina:

Conheça os nossos roteiros!

Assine nossa newsletter e receba nossos roteiros e novos textos do blog

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 372 outros assinantes

Deixe uma resposta