Pisa Trekking Aventura Levada a Sério

(11) 5052-4085 • (19) 3253-0274

Receba nossos Informativos

Reserve Agora

Voltar

Chapada Diamantina - Trekking no Vale do Pati

Cód.Roteiro:34

Convidar Amigo Imprimir

EXPERIÊNCIAS:

  • Trekking

    Trekking

  • |
  • Parques Nacionais

    Parques Nacionais

  • |
8 DIAS E 7 NOITES

Nível de dificuldade:

- Radical -
Valor a partir de:

R$ 3.590,00

Terrestre

Gostou do Roteiro?
Solicite a sua Pré-reserva!

Solicitar

A Travessia do Vale do Pati é considerada por muitos o trekking mais bonito do Brasil. Se você gosta de uma boa caminhada este trekking irá marcar sua vida. As experiências vividas durante estes 8 dias são únicas e com certeza não sairão da sua memória. Nos sentimos pequenos diante da grandeza e beleza das paisagens. A simplicidade da vida dos moradores do Pati nos faz refletir os significados da vida. Este é o roteiro mais antigo da Chapada Diamantina, foi desenvolvido há 20 anos por nosso parceiro local que tem uma paixão por esse lugar que faz a diferença na qualidade dos serviços. Foi ele quem fortaleceu os serviços nas casas dos moradores nativos, tornando possível outra fonte de renda para a comunidade que era dependente do cultivo do café até a criação do Parque Nacional. Pergunte para o Sr. Wilson, que ele conta direitinho essa história. Este roteiro é ideal para quem gosta de grandes caminhadas de dia inteiro, aventura e lindas paisagens. Sinta essa emoção e contemple as paisagens únicas e mais bonitas da Chapada Diamantina.

Pontos de Interesse

- Percorrer uma das mais lindas travessias do Brasil
 
- Pernoitar por 4 noites em casas de moradores locais, conhecendo sua cultura e seus costumes
 
- Participar de uma viagem rica em natureza, esporte e cultura. Uma aventura completa
 
- Conhecer a segunda maior cachoeira do Brasil, a Fumaça com 380m de altura
 
- Esta viagem é um dos principais exemplos de turismo sustentável do Brasil, com ela muitos moradores já têm uma vida melhor, aumentaram suas casas e hoje vivem com tranquilidade no Vale
 
- Contratamos apenas guias locais, gerando renda para a comunidade
 
- Dormimos por 4 noites em 3 casas diferentes, levando oportunidade de renda para várias famílias
 
- Almoçamos em diversas casas pelo caminho e incentivamos o empreendedorismo

Sobre a Trilha

Este roteiro é indicado para pessoas que praticam atividade física regularmente, que já tiveram alguma experiência em caminhadas de longo curso e que desejam explorar as mais belas paisagens da Chapada Diamantina com as próprias pernas. As caminhadas são consideradas intensas, pois são repleta de subidas e descidas íngremes, travessias de rios, trechos com pedras soltas e terrenos irregulares. Alguns dias com caminhadas longas, de dia inteiro. Os pernoites durante o trekking no Vale do Pati são feitos em casas de nativos, que oferecem quartos e banheiros coletivos e deliciosas refeições típicas, sempre muito elogiadas. Este roteiro não é indicado para pessoas sedentárias ou inexperientes em longas caminhadas.

Dia a Dia

1° Dia - ORIGEM / SALVADOR / LENÇÓIS / MORRO DO PAI INÁCIO / VALE DO CAPÃO

Opção Rodoviária: Apresentação no aeroporto para embarque com destino a Salvador. Transfer até a rodoviária de Salvador(não incluso) para embarque com destino a cidade de Lençóis com a Cia Real Expresso. Recepção na rodoviária e traslado. 
 
Opção Aérea: Apresentação no aeroporto para embarque com destino a Salvador. Chegada em Salvador e embarque no Vôo da Azul com destino a Lençóis. Recepção no aeroporto e traslado. 
 
Em horário combinado com o guia, sairemos para contemplar o pôr do sol em cima do Morro do Pai Inácio (1,5 km de caminhada), um dos cartões postais da Chapada Diamantina. Em seguida traslado para o Vale do Capão e pernoite. (Essa atividade pode ser remanejada de acordo com os horários de chegada do grupo em Lençóis).
 
Pernoite no Vale do Capão
 
Sem alimentação


2° Dia - CACHOEIRA DA FUMAÇA (11 km)

Após café da manhã, transfer até a base da trilha da "Cachoeira da Fumaça" com seus impressionantes 380m de queda livre, a segunda maior cachoeira do Brasil, passando pela cidade de Palmeiras. Lanche no local e retorno para o Vale do Capão e traslado para o Guiné. Acomodação na Pousada.
 
Pernoite no Povoado do Guiné
 
Pensão Completa


3° Dia - PARQUE NACIONAL/ SERRA DO ESBARRANCADO / VALE DO PATY / GERAIS DO RIO PRETO (15 Km)

Após o café da manhã saída para iniciarmos o trekking mais bonito do Brasil. Traslado do Guiné até o Beco contornando o lado sudoeste do Parque Nacional, passando pela Serra do Esbarrancado e pelo Vale que a Coluna Prestes foi emboscada pela segunda vez. Vamos caminhar para o Vale do Paty, passando pelos belíssimos Gerais do Rio Preto, lanche com vista privilegiada. Ao final da tarde, chegaremos à casa do Sr. Wilson para jantar e pernoite.
 
Pernoite em quarto coletivo na casa de nativos
 
Pensão Completa


4° Dia - CACHOEIRA DO FUNIL / MORRO DO CASTELO (14 Km)

Após o café, iremos visitar as cachoeiras do Funil e do Lajedo. Lanche no local, depois fará a "escalaminhada" do Morro do Castelo. No alto do morro contemplaremos o visual, atravessaremos a gruta que tem formação de quartzito, retorno para a casa de Dona Lé para jantar e pernoite.
 
Pernoite em quarto coletivo na casa de nativos
 
Pensão Completa


5° Dia - VALE DO CACHOEIRÃO (12 Km)

Após o café da manhã, saída para a próxima etapa da nossa travessia. Seguiremos caminhando pelo Vale do Paty até a casa do Sr. Jóia e Lêu, próximo ao Vale do Cachoeirão. Acomodação, jantar caseiro e pernoite.
 
Pernoite em quarto coletivo na casa de nativos
 
Pensão Completa


6° Dia - CACHOEIRÃO POR BAIXO (16 Km)

Após o café, um dia inteiro dedicado ao Cachoeirão por baixo. Caminhada pelas pedras gigantes do leito do rio e, depois de muito esforço e equilibrio, chegaremos ao fim do Vale para contemplarmos suas 3 quedas perenes, tendo a maior delas uma altura de 300m! Banhos revigorantes, lanches no local e retorno para a próxima casa de nativo para nosso último pernoite no Vale.
 
Pernoite em quarto coletivo na casa de nativos
 
Pensão Completa


7° Dia - VALE DO PATI / ANDARAÍ / CACHOEIRA DO MOSQUITO / LENÇÓIS (18 Km)

Dia de acordarmos bem cedo e começamos a caminhar para cumprirmos nossa última etapa do trekking pelo Vale do Pati. Faremos uma subida pela Ladeira do Império e passaremos por antigos campos de mineração, de onde foram tirados diamantes, antes da região ser transformada em Parque Nacional. Chegada em Andaraí e transfer até a Cachoeira do Mosquito. Seguiremos por asfalto em direção a Lençóis até o acesso por estrada de terra a sede da fazenda, serão aproximadamente 1h30 de traslado. Almoço no local e depois iremos de carro até o inicio da trilha que dará acesso a Cachoeira do Mosquito, uma linda queda de 55m onde nos despediremos das cachoeiras da Chapada. No final da tarde, seguiremos para Lençóis.
 
Pernoite em Lençóis
Café da manhã e Almoço


8° Dia – LENÇOIS / SALVADOR / ORIGEM

Café da manhã. Certificação. Manhã Livre. Em horário combinado, transfer para a rodoviária ou aeroporto.
 
Sem pernoite
 
Café da manhã
 
 
*A programação acima poderá sofrer modificações devido a fatores climáticos, de acesso ou que possam interferir na segurança dos participantes.


Datas e Preços

PREÇO POR PESSOA - SOMENTE TERRESTRE - EM R$

CATEGORIA

HOSPEDAGEM

SGL

DBL

TPL

Econômica

Vale do Capão - Pousada Pé no Mato ou similar
Guiné - Pousada Beco do Guiné ou similar
Lençóis - Pousada Pouso da Trilha, Alto Cajueiro ou similar
Vale do Pati - Casa de nativos

3.870

3.590

2.940

Superior

Vale do Capão - Pousada do Capão ou similar
Guiné - Pousada Beco do Guiné ou similar
Lençóis - Pousada Pouso da Trilha, Alto Cajueiro ou similar
Vale do Pati - Casa de nativos

3.960

3.750

3.030

Luxo

Vale do Capão - Pousada do Capão ou similar
Guiné - Pousada do Beco Guiné ou similar
Lençóis - Hotel Canto das Águas(Canto do Rio) ou similar
Vale do Pati - Casa de nativos

4.290

3.930

3.200

Valores válidos para saídas entre: 5 de Janeiro  a 15 de Dezembro de 2017. Exceto Feriados.
 
Valor adicional para 1 cliente: R$ 1.070,00

adicional aéreo - são paulo x salvador x são paulo - valores em r$

Cia. Aérea

Valor a partir de

Gol / Tam / Azul

Sob Consulta

transportes salvador / lençóis / salvador - valores por pessoa em r$

Cia

Horários de Saída

Valor a partir de

Real Expresso

SSA / LEC 07h00, 13h00, 16h30, 23h00
LEC / SSA 07h30, 13h15, 15h00, 23h30

170

Transfer in e out em Salvador (por pessoa)

Horários conjugados com Ônibus

200

Azul Linhas Aéreas

Saída às Quintas e Domingos:
SSA / LEC 12h55 / 14h05
LEC / SSA 14h30 / 15h30

sob consulta

Valores válidos para grupo mínimo de 2 clientes.
 
 

 

Informações gerais:
* O roteiro está sujeito à confirmação quanto à disponibilidade de vagas de todos os serviços locais e poderá sofrer reajustes de valores na parte aérea ou terrestre. Confirmar o valor do pacote com seu agente de viagens.
* A programação acima poderá sofrer modificações devido a fatores climáticos, de acesso ou que possam interferir na segurança dos participantes.
* Os valores citados nas tabelas acima estão sujeitos a alterações e disponibilidade no ato da reserva.
* Consulte-nos para outras opções de hospedagens.
* Menores desacompanhados terão que apresentar carta dos pais feita em próprio punho e com firma reconhecida em cartório.
* As tarifas das Cias. Aéreas estão sujeitas a constantes mudanças, por ser essa uma estratégia do mercado. Certifique-se no dia do pagamento do seu pacote, se a tarifa informada pode ser confirmada. Somente a emissão do bilhete, garante a tarifa.
 
Formas de pagamento:
 
Cheque
6x sem juros em cheques pré-datados.
5x sem juros até 30 dias antes do embarque.
(30% na 1ª parcela e o restante em parcelas de igual valor).
* Aceitamos somente cheque do próprio viajante.
 
Cartão
Visa, American Express e Mastercard - Entrada + 3x sem juros.
(Entrada de 30% em cheque ou depósito e o restante em até 3x iguais no cartão).
*** para clientes estrangeiros, consultar condições de pagamento.
*** for foreign clients consult payment rules.
 
Cancelamentos
Em caso de cancelamento por parte do cliente, serão abatidos os valores referentes à taxa administrativa e a multa de cancelamento da companhia aérea, e sobre o valor restante pago incidirão as seguintes taxas de cancelamento que serão rigorosamente cobradas:
 
Parte terrestre
Cancelamento até 30 dias do início da viagem: multa de 10% do valor total
Cancelamento entre 29 e 21 dias do início da viagem: multa de 20% do valor total
Cancelamentos com 20 ou menos dias do inicio da viagem: percentuais superiores aos acima referidos, desde que correspondentes a gastos efetivamente comprovados pela agência perante a EMBRATUR, efetuados em decorrência da desistência do usuário.
 
Parte aérea: Taxa ou multa de cancelamento cobrada pelas Companhias Aéreas para os bilhetes em questão.
 
 

O que está Incluso

Inclui

- Transporte terrestre em veículos próprios e fretados a partir de Lençóis
- 1 pernoite no Vale do Capão c/ café da manhã e lanche de trilha
- 1 pernoites no Povoado do Guiné c/ café da manhã
- 1 pernoites em Lençóis c/ café da manhã
- 4 pernoites em casa de nativos durante o trekking
- Passeios citados no roteiro
- Guia local especialista na região
- Carregador(8kg por pessoa)
- Taxas de acesso
- Seguro viagem
- Brindes especiais Pisa Trekking
 

Não inclui

- Passagem aérea Origem / Salvador / Origem
- Transfer in / out em Salvador
- Ticket da Real Expresso Salvador / Lençóis / Salvador
- Passagem aérea Salvador / Lençóis / Salvador
- Bebidas
- Jantares
- Despesas de caráter pessoal

O que levar

- Mochila cargueira de no mínimo 40 litros
- Mochila de ataque 20 litros
- Bota ou tênis de caminhada com solado aderente e pré-amaciado
- 1 par de chinelo / papete / crocs
- 1 calça ou bermuda de lycra(opcional)
- 1 calça-bermuda
- 1 bermuda / shorts
- 1 blusa tipo fleece
- 3 camisetas de manga curta (de preferência tecido Dryfit)
- 1 camiseta manga comprida (para proteger do sol)
- 3 ou mais meias confortáveis para caminhada
- Roupas de banho - banhos de rio ou cachoeira todos os dias
- Headlamp (lanterna de cabeça) ou de mão com pilhas reservas
- Anorak - corta vento e impermeável
- Óculos escuros, boné ou chapéu
- Protetor solar para rosto e lábios
- 1 Cantil
- Repelente
- Câmera fotográfica
- Bastão de caminhada (opcional)
- Medicamentos particulares
 
* Evite malas de rodinha e bagagem excessiva

Informações Importantes

*. O ROTEIRO PODERÁ SER ALTERADO DE ACORDO COM CONDIÇÕES CLIMÁTICAS E/OU POR MOTIVOS ALHEIOS A NOSSA VONTADE. *

 
Informações Mínimas Preliminares a Clientes (ABNT NBR 15286)
 
Nome do Roteiro / Produto: Trekking no Vale do Pati
 
Duração do Roteiro: 8 dias / 7 noites
 
Atividades envolvidas: Caminhada de longo curso
 
Descrição prévia do local: 
Clima – semiárido e tropical de altitude, com média anual variando de 15ºC a 30ºC. 
 
Relevo – Vales estreitos e profundos, serras, planaltos e altitude máxima de 1.500m (alto do Morro do Castelo).
 
Regime de chuvas – Índice pluviométrico médio de 220 mm anualmente, com longas estiagens e média da umidade relativa do ar em 40%.
 
Vegetação – Floresta Pluvial Submontana até 500 metros de altitude / Floresta Montana de 500 a 1.500 metros de altitude / Floresta Pluvial Alto-montana até 1.500 metros de altitude / Campo de Altitude e Campo Rupestre entre 800 e 1.500 metros de altitude/ Caatinga e Cerrado entre 300 e 800 metros de altitude. 
 
Fauna – sagüi, macaco-prego, barbado, muriqui, raposa, guaxinim, papa-mel, suçuarana, jaguatirica, onça preta e pintada, gato-maracajá, quati, caxinguelê, cutia, paca, tamanduá-mirim, queixada, tatu, pica-paus, gaviões, canário da terra, melro, pintassilgo, coleiro, trinca-ferro, pichochó, tiê-sangue, tizil, tico-tico, bem-te-vi, curió, rolinha, currupião, cancão-de-fogo (são cerca de 350 espécies de pássaros catalogados), sapo-intanha, perereca-masurpial, perereca-verde, sapo-martelo, pererequinha, sapo-boi (diversas espécies de batráquios), teiú, cobra-cipó, jararacussu, jararaca, coral-verdadeira, coral-falsa, caninana, cobra-verde, cobra-preta, jibóia, sucuri, cágados e jabutis. Além de uma infinidade de insetos.
 
Número mínimo por grupo: 1
 
Público específico: Praticantes de Trekking, esportistas e amantes da natureza
 
Acomodação 
Pousada e casas de nativos da região
 
Alimentação 
Café da manhã – Típico, com sucos e frutas da época e itens regionais diversos.
Lanche de Trilha –02 sanduíches naturais, 500 ml de suco, fruta da época, 01 ovo cozido, 01 pacotinho de granola, 02 melzinhos, 01 chocolate.
Jantares – Pratos quentes regionais e sobremesa. 
 
Há opções para vegetarianos.
 
Equipamentos
Cordas de segurança para travessias de pontos de risco, rádios de comunicação entre a equipe, celulares e kit de primeiros-socorros.
 
Experiência prévia ou pré-requisitos para realizar a atividade
Já ter praticado outras caminhadas de longa duração.
 
Condicionamento físico necessário
Praticante de atividade física aeróbica regular.
 
Restrições médicas
Pessoas com problemas crônicos no joelho e pessoas não habituadas a esforço físico. Pessoas alérgicas a picadas de insetos deverão ter cuidado, sempre utilizar repelente e levar remédio antialérgico pessoal. Pessoas com problemas cardíacos deverão ter autorização do médico responsável e portar os medicamentos necessários para a prática de exercícios físicos.
 
Disponibilidade de atendimento de emergência
O Parque Nacional da Chapada Diamantina conta com uma Santa Casa de Misericórdia em Andaraí e o Posto de Saúde do Guiné (apenas atendimento de emergência), para a remoção é utilizado a Associação de Moradores do Vale do Paty. 
 
Facilidade para crianças, idosos e portadores de necessidades especiais
Mulas de cela dos moradores do Guiné, Vale do Paty e Vale do Capão.
 
Condicionantes para a realização da atividade
Não há
 
Existência de regras de visitação
Todas as normas de visitação estipuladas pelo Parque Nacional da Chapada Diamantina são repassadas pelo guia no começo do roteiro.
 
Práticas de conduta consciente em ambientes naturais
Antes do início da caminhada no primeiro dia, o grupo recebe informações sobre o modo de se comportar na trilha e todo o lixo gerado pelos participantes é retirado do parque e retorna para a cidade de origem.
 
Dados solicitados aos clientes para efetuar reserva: 
Nome / CPF / RG / Telefone do pax / Telefone de emergência / Data de Nascimento / Nacionalidade / Termo de responsabilidade / Ficha médica
 
Existência de Termo de Responsabilidade 
Sim.
 
Grau de dificuldade
Radical – Trilha aberta, com subidas e descidas íngremes, com trechos em rochas escorregadios. Travessia em montanha com trechos de “escalaminhada”. 
 
Acesso a eletricidade
Sim. Nas casas de nativos tem somente energia solar para uso nas necessidades básicas domésticas.
 
Sinal de telefone celular
Não.
 
Outros
A cidade de Palmeiras possui posto de saúde e Andaraí conta com uma Santa Casa. As casas dos moradores durante o trekking, não possuem luz elétrica e os pernoites podem ser realizados em quartos coletivos dependendo do fluxo de visitantes para o local. O trekking no Vale do Paty é pensado e realizado visando à segurança e satisfação dos passageiros. A experiência e conhecimento da equipe de guias nas trilhas percorridas durante o trekking minimizam eventuais riscos. Todavia, em caso de necessidade o resgate será feito por guias locais qualificados com a ajuda do Corpo de Bombeiros da cidade de Lençóis. Resgates com helicópteros, quando necessários, serão solicitados a cidade de Salvador e podem demorar até 24 horas. Nossa equipe de guias para o trekking do Paty não possui telefone via satélite e não há outro meio de comunicação telefônica dentro do Vale.

 

Depoimentos

  • Edson Horita
    Boa tarde Cacá,
    Desculpa-me pela demora, primeiramente gostaria de agradecer todo o apoio, deu tudo certo como programado. A trilha é incrível como imaginávamos, o Lucas e eu gostamos muito! Realmente a trilha não é facil, mas atendeu nossas expectativas. Os guias foram ótimos, principalmente o preparo e experiência do Beto nos deixou muito tranquilos, todo conhecimento e preocupação com a preservação impressiona! Foi uma experiência excelente, conhecer toda a rusticidade de morar  no vale e conhecer a forma de viver dos locais, desintoxicação do cotidiano urbano! As comidas também foram ótimas.
    A Pousada do Capão fica um pouco afastada do centrinho, por isso não conhecemos a vila, acabamos jantando na pousada.
    Experiencia inesquecível.
    Abraços,
    Edson
  • Fernanda Toledo
    Oi Tainah!
     
    Hoje que consegui parar um pouco e ver e-mails, organizar um pouco a vida de volta.
     
    A viagem foi ótima....deu tudo super certo! A pousada que fiquei em Lençóis é um charme e da muita vontade de ficar lá mais tempo. Ainda pegamos o último dia do festival de música de Lençóis.....fechamos com chave de ouro.
     
    A empresa que nos atendeu lá também, super joia, guia super simpático e muito animado.
     
    Indicarei com certeza a Pisa para outras pessoas e com ctz contratarei novamente.
     
    Obrigada e parabéns pelo seu atendimento. Fiquei muito satisfeita com tudo.
     
    Beijos
     

     

    Fernanda
  • Leandro
    Bom dia Tainah! td bem?
    Adorei a viagem! Sensacional mesmo! Desde o seu atendimento inicial, a condução do guia, o roteiro e, claro, o lugar que é fantástico!!!
    Muito obrigado pelo suporte!
    Já estou pensando na próxima viagem hahahahah
    Cliente fidelidade tem desconto??? :P rs
    Abs!!
    Leandro
     

     

  • Evandra Macedo

    Oi, Tainah!!!


    No fim, valeu viajar na época mais cara...  Amei as cidades enfeitadas para o São João, fiquei emocionada... sou nordestina e fazia muito, muito tempo que não passava São João lá.

    Deu para fazer a Fumacinha; é muito legal! Mas fiquei morrendo de vontade de fazer a  trilha por baixo... fazer o Vale do Pati também... ou seja, vou voltar lá, com certeza!

    Amei tudo! Quase morri de tomar banho de cachoeira!!!!! A do Buracão é fantástica!

    Fiquei com pena de não ter ficado mais tempo no Vale do Capão. Insistimos para o guia entrar na vila e ficamos com água  na boca...

    O nosso guia foi o Cézar, muito atencioso e simpático.

    As pousadas muito legais também. A de Igatu, Flor de Açucena, é um show!!!

    Enfim, adorei a viagem.


    Uma abraço,


     Evandra

  • Eduardo Maruya

    A viagem foi 10, ñ tivemos problema nenhum, o nosso guia "Zói" foi 10, o grupo apesar de pequeno, apenas 4 pessoas foi muito bom... pois sempre eramos os primeiros a sair pras trilhas... e quando o tempo ñ ajudava esperavamos o melhor momento pra sair e pegar o tempo aberto (Morro do Castelo).

    O Vale do Pati realmente e muito bonito, pena que tivemos somente 5 dias pra conhecer o Vale e como e muito grande ñ deu pra conhecer tudo....

    Mais a viagem foi  muito legal....


    Eduardo Maruya
     

  • Paulo Roberto Lima
    Gostei muito do trekking pelo vale do Pati na chapada diamantina ; tava um tempo muito bom, muito sol , muitas cachoeiras, algumas cachoeiras nesses tempos secos com pouca agua mas com muita beleza, noites com muitas estrelas, comida boa.... tudo muito bom. 
     
    Dormir na casa dos nativos e fazer um pouquinho da parte da vida deles é enriquecedor, quanto ao grupo de trekking formado este era bem forte nas caminhadas e o guia "Jorge" esta de parabéns, com muita tranquilidade foi passando e dividindo conhecimentos gerais da região sempre com seriedade e profissionalismo. 
     
    E muito importante e maravilhoso foi fechar o trekking com um banho no poço azul, é incrível este lugar. 
     
    Valeu abraços, muito obrigado pelas viagens que você e a pisa me proporcionam.
  • Bia -Beatriz de Paula Souza
    Deixo aqui um breve registro de minha viagem à Chapada Diamantina pela Pisa Trekking.
    Foi tudo primoroso, a começar pelo atendimento da Tainah. Fiquei por vezes até preocupada em estar abusando da sua imensa disponibilidade, que por vezes entrou fins de semana adentro.
    O roteiro é deslumbrante, superou minhas expectativas. Esperava um lugar bonito, mas não tão rico e variado de paisagens e terrenos. Foram cachoeiras que correm para cima, com águas ao vento que me banharam de cima do morro; banhos em lagoas de cores diferentes, de cor de Coca-Cola ao azul cristalino que dá a sensação de voo; ambiente de caverna; vales profundos com capões de mata; travessias de rios pulando pedras ou por pinguelas; campos planos; longos e divertidos trepa-pedras; lama; flores miúdas e gigantes... Surpresas a cada passo. Sem falar nas formas geológicas impactantes do lugar, com aquelas espécies de Tepuis de camadas variadas, de pé-de-moleque a massa folhada. Um lugar rico também de história e histórias, que iam sendo contadas pelos guias e pelas pessoas que íamos encontrando pelo caminho.
    As pousadas eram bacanas, mas a experiência de ficar nas casas simplicíssimas dos moradores do Pati foi insuperável. Tomar banho frio, ao invés de uma experiência desagradável, tornou-se parte do aprendizado, composto também pelas galinhas, a comida de fogão a lenha, a fogueira no anoitecer, o céu estrelado, o barulhinho d´água, o cantar do galo e dos passarinhos, o chão de terra batida e os retratos retocados à mão.
    Chamou a atenção do grupo o cuidado com que a sequência de atividades foi planejada, aumentando gradativamente o grau de dificuldade com uma "pausa" no meio para o corpo fazer acomodações (uma caminhada de meros 12 km). 
    Os guias não poderiam ser melhores. Zói é um acontecimento. Sente-se claramente sua imensa experiência, que o faz saber como lidar com cada turista. Percebe habilidades e dificuldades, de desempenho físico e psicológico, e apoia e solta na justa medida. Simpático, alegre, sempre cantarolando um repertório que se harmoniza com o ambiente e de bom gosto, que instaura ou recupera o gosto por cantar na trilha de muitos do grupo. Consegue dar leveza aos momentos mais tensos, sem deixar de orientar e estar atento aos cuidados de segurança necessários. E tudo isso transmitindo gosto e amor pelos lugares e atividades, que nele permanecem vivos apesar dos muitos anos nessa função. Rosane é uma presença alegre, leve e atenta. Sempre está lá nas horas que um apoio é bem-vindo. Filha do lugar, conhece por dentro as histórias e características da região e de seu povo, enriquecendo nossa percepção de onde estamos e alargando nossos horizontes. É muito bom o fato de ser uma mulher trabalhando em conjunto com um homem, e de ter um jeito diferente do de Zói, pois às vezes nos sentimos melhor com um e outras com outro, conforme a situação, o assunto e o nosso jeito pessoal.
    A Fátima, nossa motorista, é uma figuraça, engraçada e cheia das histórias. É pontual e eficientíssima, o que dá muita segurança.
    Sei lá, que mais? Foi ótimo, ótimo, ótimo, ótimo!! Só posso falar bem e agradecer!
     
    Bia -Beatriz de Paula Souza
  • Paulo Ortega
    Olá Lucas,
     
    Foi o meu primeiro trekking, como você já sabia, e com certeza farei outros.
     
    A viagem foi excelente, superando todas as minhas expectativas. O roteiro é ótimo, com cenários bem variados (montanhas, vales, vegetação alta, vegetação rasteira, pedras... muitas pedras, mais pedras, cachoeiras, rios, etc). A experiência de ficar na casa dos nativos também é muito bacana, diferente de tudo que já vi. A comida por lá? Deliciosa e simples. Não precisa de mais nada. 
     
    Lençóis também é muito bacana. A pousada que fiquei (Canto do Bosque) é muito boa. No centrinho da cidade fiz compras (lembrancinhas) e jantei muito bem. Conheci o Terra, guia da viagem. O sujeito é fantástico, sabe tudo da região e faz questão de explicar cada detalhe da formação da Chapada com um entusiasmo sem igual.
     
    O seu atendimento, Lucas, foi impecável. Tudo funcionou muito bem, desde nosso primeiro contato quando eu ainda não havia decidido pela Chapada, até o fechamento do pacote. 
     
    O que eu mais gostei? Difícil responder esta... Mas se tiver que dizer alguma coisa, seria o fato de andar o dia todo em contato com a natureza e nada mais.
     
    Sugestões sobre o roteiro ou seu atendimento? Não consigo pensar em nada que possa melhorá-los. 
     
    Muito obrigado por tudo e até a próxima aventura
     
    Abraço,
     
    Paulo Ortega
  • Marcio A. Ferreira
    Fala Lucas, beleza?
     
    Meu que viagem meu amigo, foi nota 1000, o trekking, o visual, a galera (o Beto, melhor guia da chapada e o Terra que vive em outra orbita). Bicho, só pessoalmente para te passar minhas impressoes sobre a viagem. Os gerais, o castelo, o cachoeirão, a fumaça, as noites nos pousos!! Meu no paty de baixo só tinha eu, a carioca que fez o trekking conosco e o Beto, sensção de tudo aquilo ser só nosso.... Estou voltando para lá em breve, tem muitas coisas para conhecer. Na semana que vem quando voltar ligo para voce. Puta viagem mano!!! Poderia ficar lá duas ou mais semanas.
     
    Mantenho contato
     
    Abraços
     
    Marcio
  • Antônio Rufino Neto
    Prezada Letícia:
     
    De fato, estou em falta com você. Mas depois de ficar "fora do ar" por uma semana, ainda estou atualizando o serviço acumulado.
     
    A viagem foi magnífica, perfeita. A melhor que já fiz até hoje. 
     
    O roteiro é perfeito para os amantes do trekking.
     
    A recepção, o guia que me acompanhou (Beto), o carregador (Gilmar), as hospedagens nas casas dos nativos, a alimentação, a Helena (Salvador), tudo foi perfeito. 
     
    Tenho apenas uma sugestão a fazer: dedicar um dia inteiro ao Morro do Castelo (sem pernoitar lá); o local é belíssimo e merece mais tempo para ser visitado. Segundo informações do guia, o IBAMA não está mais permitindo acampar na caverna, por causa do lixo e degradação. Assim fizemos os Funis e o Castelo no mesmo dia e foi meio corrido. Daí minha sugestão. 
     
    O que mais me impressionou nesta viagem, além das paisagens deslumbrantes e de todo o resto, foi a hospitalidade dos nativos; o carinho com que eles me receberam. Realmente, eu não esperava tamanha hospitalidade, devido às dificuldades que o local impõe. 
     
    Foi uma grande experiência conviver com aquelas pessoas simples, mas completamente felizes. Realmente, precisamos de muito pouco para sermos felizes. Os moradores do Vale do Paty nos ensinam isto.
     
    Por fim, destaco o excelente atendimento da PISA. Esta já é a terceira viagem que faço com vocês e o serviço continua, como sempre, impecável.
     
    Registro especial agradecimento a você, por toda a assistência prestada, principalmente no dia 29/5/10, quando o meu vôo Rio-Salvador atrasou, atrapalhando todas as conexões seguintes. No fim, deu tudo certo. 
     
    Viajar com a PISA é investir em qualidade de vida!!!
     
     
     
    Abs.

VOCÊ TAMBÉM VAI CURTIR